história
Estádios

De Kuip: a Banheira

Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
Entre os estádios mais icónicos do futebol europeu encontra-se certamente o Stadion Feijnoord, mais conhecido como De Kuip (1) ou também como o De Voetbaltempel (2), casa do SC Feyenoord e muitas vezes também da seleção holandesa, localizado na cidade de Roterdão, a segunda maior cidade dos Países Baixos.
 
Ao longo dos anos, a «Banheira de Roterdão», como é conhecida entre nós, foi a casa dos sucessos do Feyenoord e da «Laranja Mecânica», mas também foi o palco de finais europeias e do Euro 2000.
 
Um estádio para um novo mundo

É a Leen van Zandvliet, Presidente do Feyenoord durante os anos 30 que se deve a ideia da construção do De Kuip. Van Zandvliet queria que a sua equipa tivesse um estádio diferente de todos os que conhecia, sem nenhum obstáculo para a visão dos espetadores, à imagem do Estádio de Highbury em Londres e do Yankee Stadium em Nova Iorque.
 
Johannes Brinkman e Leendert van der Vlugt foram os arquitetos escolhidos para desenharem o novo estádio. Pretendia-se que o estádio fosse barato, moderno e duradoiro, mas que a tudo isso se aliasse uma visão do futuro, de como todos os estádios deveriam ser daí em diante.
 
Recorrendo ao betão, ao ferro e também ao vidro, os dois desenharam um estádio que provocava um impacto não só aos jogadores como a todos os espetadores. A escolha dos materiais refletia a arquitetura moderna de então, baseada no design inovador da Bauhaus. Por sua vez, a forma elíptica da estrutura, a fazer lembrar as tinas onde se tomava banho então, ajudou a cunhar-lhe o apelido: a Banheira.
 
A primeira pedra seria colocada a 16 de setembro de 1935. 578 estacas com 21 metros de profundidade formaram a primeira estrutura do estádio. Os trabalhos decorreram sem problemas e a 23 de julho de 1937 o estádio era inaugurado.
 
O Templo do Futebol
 
Quase destruído durante a Segunda Guerra Mundial, a Banheira de Roterdão surgiu renascida e aumentada em 1949. Nove anos mais tarde seriam acrescentadas as torres de iluminação. 
 
Em 1963 o estádio recebeu pela primeira vez uma final europeia, onde, perante 49 mil espetadores, os ingleses do Tottenham bateram o Atlético Madrid com um claro 5x1 e conquistaram a Taça dos Vencedores das Taças, competição que tinha na «Banheira» um dos seus palcos de eleição. 
 
Ao todo disputaram-se seis finais da que era ao tempo a segunda mais importante competição da UEFA. A segunda final seria em 1968, com a vitória do AC Milan. Na terceira seriam os alemães de leste do Magdeburgo a bater o Milan em 1974. 
 
Outras três finais da competição seriam jogadas em Roterdão em 1985, 1991 e 1997, com as respetivas vitórias de Everton, Manchester United e Barcelona.
 
Mais importante que a Taça das Taças seriam as duas finais da Taça dos Campeões disputadas em 1972 e dez anos mais tarde. A primeira seria vencida pelo grande rival do Feyenoord, o Ajax de Amesterdão. A segunda final seria ganha pelo Aston Villa, que bateu os alemães do Bayern München. 
 
Também importante foi o Euro 2000, em que o De Kuip recebeu três jogos da primeira fase, entre eles o histórico Portugal x Alemanha (3x0), a goleada da Holanda sobre a Jugoslávia nos quartos-de-final (6x1) e a final em que a França bateu a Itália com o famoso Golo de Ouro. 

Mas certamente nenhuma final será tão lembrada entre as gentes de Roterdão e em particular os adeptos do Feyenoord, como a final da Taça UEFA de 2002, jogada entre o Borussia Dortmund e a equipa da casa, o Feyenoord
 
Pierre van Hooijdoonk e Jon Dahl Tomasson seriam os heróis da final, marcando os três golos da vitória dos holandeses por 3x2. 
----------------------------------------------
(1) A Banheira.
(2) O Templo do Futebol.
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...
Tópicos Relacionados
Equipa
Competição
Estádio
Feijenoord (De Kuip)
Lotação51480
Medidas-
Inauguração1937