X
história
Clubes

Sion

Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
Primeiros anos

O Football Clube de Sion nasceu em 1909 por intermédio de Robert Gilliard que reuniu um grupo de jovens, na cidade de Sion, no cantão de Valais, sudoeste da Suíça.

Ainda no primeiro ano, Gilliard reuniu uma equipa para defrontar o Aigle. Os sedunois recuperaram de uma desvantagem de dois golos para vencerem por 3x2. O esplendor da vitória e forma heroica como fora conseguida entusiasmaram os habitantes de Sion que fizeram uma coleta para juntar dinheiro e oferecer um equipamento novo aos jogadores da equipa. Assim nascia uma velha ligação entre o clube e a cidade, de quem orgulhosamente carrega o nome, e que perdurou até aos nossos dias.

Para a história fica o «onze» fundador do FC Sion: Pabst, Zaugg, Martin, Nicod, Staehlin, R. Gilliard (capitão e treinador), Géroudet, Andenmatten, R.Bonvin, Georges e Robert-Tissot (que acumulou as funções de árbitro).

Durante os primeiros anos a equipa apenas disputava jogos amigáveis, tendo de esperar por 1914 para disputar o seu primeiro encontro oficial, uma vitória por 3x2 sobre o FC Monthey.

Seria preciso esperar pelo fim da Primeira Guerra Mundial para o clube se organizar devidamente. Em 1919 formou-se a primeira direção com Charles Aymon como presidente e Gilliard como vice-presidente. 

Assentar raízes
 
Durante os anos seguintes a equipa valaisanne mudou de casa em diferentes ocasiões. Se durante os primeiros anos jogava regularmente na Place de la Planta, entre 1914 e 1920, os sudenois jogavam regularmente no Champs des Îles. A partir de 1920 mudaram-se para a Grange de l'Hôpital, de onde sairam em 1928 para fazer do Parc des Sports a sua casa.
 
Em 1932 o Sion começou a disputar o quarto escalão do futebol helvético, por onde andaria até aos anos 50, com a excepção de uma breve passagem pelo terceiro escalão em 1944.
 
Foi preciso esperar por 1952 para a subida ao terceiro escalão ser uma realidade e o clube não voltar a cair pouco depois. Essa promoção seria seguida de nova ascensão, desta feita à Liga B - segundo escalão - cinco anos mais tarde.

A estreia no primeiro escalão chegaria em 1962. O primeiro grande troféu ganho seria a Taça da Suíça, com uma vitória sofrida (2x1) sobre o Servette de Genebra na final de 1965.
 
Clube de topo
 
Estabilizado como um clube de primeiro escalão, o Sion inaugurou o seu estádio, o Tourbillion, a 11 de agosto de 1968. Localizado em Champsec - Vissigen, o Tourbillion tornou-se num dos palcos icónicos do futebol helvético, e uma das "armas" do clube. 
 
Em 1974 venceu a taça pela segunda vez no seu historial, batendo o Neuchâtel Xamax por 3x2, voltando a conquistar o troféu por três vezes durante a década de oitenta, em finais em que se superiorizou ao Young Boys, FC Basel e Servette FC.
 
Durante este período de sucesso desportivo o Tourbillon sofre obras de renovação e expansão, o que permitiu ao estádio ter um palco renovado aquando da primeira conquista da liga em 1992. Nos anos noventa o FC Sion venceu a taça em mais quatro ocasiões e voltou a festejar o título de campeão em 1996/97, o que permitiu uma histórica «dobradinha».
 
Crise e renascimento
 
Apesar dos sucessos desportivos o clube passava por dificuldades económicas. O investidor Gilbert Kadji salvou o clube da insolvência comprando-o, mas a falta de liquidez impedia o clube de se reforçar em 1999, o Siom descia de divisão.
 
Regressando imediatamente ao primeiro escalão, o clube volta a descer na época seguinte, e Kadji abandona o clube, quando o Sion perde a licença profissional em 2003.
 
A salvação chegaria pela mão do ex-jogador e arquiteto Christian Constantin, que conseguiu que o clube voltasse a ser reinscrito na segunda divisão em outubro de 2003.
 
Constantin arregaçou as mangas e meteu mãos à obra, recuperando o clube. Durante oito épocas, o Sion teve vinte treinadores diferentes, com Constantin a treinar a equipa em duas ocasiões diferentes.
 
Em 2006 já depois de garantida a promoção, a vitória na Taça valeu ao Sion ser o primeiro clube do segundo escalão a vencer a competição. 
 
Crises e conflitos
 
Essam El-Hadary é sinónimo de problema em Sion. O jogador egípcio assinou contrato com o Sion em 2008 quando ainda tinha contrato com o Al-Ahly e seria suspenso, enquanto o clube suíço ficou impedido pela FIFA de contratar jogadores por dois anos. A batalha legal durou até 2011, o que adiou a entrada em vigor do castigo.
 
Os problemas com as instâncias internacionais do futebol continuaram na época seguinte, com a UEFA a decretar a derrota do Sion na secretária, após ter utilizado seis jogadores mal inscritos numa partida com o Celtic a contar para a Liga Europa.
 
Após uma longa batalha jurídica entre o clube, a FIFA, a UEFA e a Federação Helvética, com vitórias e derrotas para ambos os lados, o TAS (Tribunal Arbitral do Desporto) declarou que o clube era culpado, e a FIFA pediu um castigo exemplar à Federação Helvética.
 
O Sion perdeu 36 pontos e conseguiu a manutenção vencendo o Aarau num play-off. Na Taça voltou a vencer a competição, troféu que voltaria a conquistar em 2015, batendo o Basel na final, conseguindo o impressionante número de 13 vitórias em 13 finais. 
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...
Tópicos Relacionados
Equipa