história
Jogadores

Marco van Basten: A Gazela

Texto por João Pedro Silveira
l0
E11
Os primeiros passos

Natural de Utrecht nos Países Baixos, Marcel «Marco» van Basten, nasceu para o futebol no Ajax de Amesterdão, onde cedo se destacou no clube do seu ídolo Cruijff em 1982.

Depois dos títulos conquistados em 1982, 1983 e 1985, foi fundamental na conquista da Taça dos Vencedores das Taças em 1987, que lhe valeu a passagem para o calcio, onde brilharia intensamente com a camisola do AC Milan, ao lado de Rijkaard e Gullit, na mítica equipa rossonera que «il Cavalieri» - Silvio Berlusconi - colocou ao serviço de Arrigo Sacchi.
 
O sonho de il Cavalieri
 
Com o trio holandês em destaque, o Milan voou alto, como o sonho do seu Presidente, que apresentava os jogadores aterrando no meio do relvado com o seu helicóptero.
 
Marco passou a época quase sempre de fora, com uma desgastante lesão no tornozelo, correndo o risco de não participar inclusivamente na fase do Campeonato da Europa que se disputava na Alemanha.
 
Nas duas épocas que se seguiram estaria com a equipa na conquista de duas Taças dos Campeões Europeus, sagrando-se Bola D´Ouro do ano de 1988 e também no ano seguinte.
 
O calvário das lesões
 
Depois do fracasso da Holanda no mundial de Itália, ajudou a Laranja Mecânica a chegar à meia-final, onde foi afastada pelos dinamarqueses, que viram o seu guarda-redes parar o penálti de Marco no desempate por grandes penalidades.  
 
No final do ano ganhou a sua terceira Bola D´Ouro, igualando o feito de Cruijff e Platini, e já em novembro fizera história ao marcar quatro golos num jogo da Liga dos Campeões, recorde igualado por alguns, mas que só seria batido muitos anos mais tarde por Leonel Messi.
 
Durante a época de 1992-93 atravessou a «Via Sacra» das lesões, sendo obrigado a recorrer mais do que uma vez à cirurgia para ultrapassar o problema no tornozelo. 
 
Acabou ainda por jogar alguns jogos no fim da época, alinhando inclusive na final da Liga dos Campeões, perdida para o Marseille, naquele que seria curiosamente o último jogo que fez com a camisola rossonera. 
 
Desgastado pela continua lesão, acabou por não participar no mundial de 1994, dando por terminada a carreira no ano seguinte. Para a história ficou aquele verão de 1988, quando com a camisola laranja da sua seleção, marcou golos decisivos e entrou para a lenda do desporto-rei...
 
A glória holandesa 
 
Com Rinus Michels a apostar em John Bosman, começou o torneio no banco, na derrota com a União soviética por 0x1. Entrando no segundo tempo, já depois do golo de Rats, para o lugar de Vanenburg, mas sem possibilidades de dar a volta ao jogo.
 
Na segunda partida, contra Inglaterra, van Basten deu razão a todos que o consideravam a figura maior da seleção holandesa. Um hattrick, que lançou definitivamente o avançado holandês para o papel de grande figura da prova.
 
Seria nas meias-finais que após um golo decisivo a dois minutos do fim, eliminando a anfitriã Alemanha Ocidental, que van Basten ganhou um lugar na história da prova.
 
Mas o melhor estava guardado para a final, onde na segunda parte, já depois de Gullit ter colocado a Holanda na frente, Marco van Basten marcou o golo da sua vida, um monumento vivo ao futebol e decidiu a partida.
 
Quem viu aquele golo nunca esquece e estará para sempre agradecido a Marco van Basten, pelo prazer de ver um golo, que o próprio jura que não o voltava a marcar, nem que tivesse mais dez oportunidades...
 
 
Um Hattrick sobre a Inglaterra na primeira vitória holandesa na competição, o golo decisivo nas meias-finais e um golaço de outro mundo na final que carimbou o primeiro grande troféu do futebol holandês. Eis o livro de apresentações de Marco van Baste no Euro 88, o herói «mais que provável» da Laranja Mecânica. 
Com Rinus Michels a apostar em John Bosman, começou o torneio no banco, na derrota com a União soviética por 0x1. Entrando no segundo tempo, já depois do golo de Rats, para o lugar de Vanenburg, mas sem possibilidades de dar a volta ao jogo.
Na segunda partida, contra Inglaterra, van Basten deu razão a todos que o consideravam a figura maior da seleção holandesa. Um hattrick, que lançou definitivamente o avançado holandês para o papel de grande figura da prova.
Mas seria nas meias-finais que após um golo decisivo a dois minutos do fim, eliminado a anfitriã Alemanha Ocidental, que van Basten ganhou um lugar na história da prova.


Fotografias(2)

Marco van Basten faz um hattrick contra Inglaterra
Capítulos
Comentários (12)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
PN
100
2014-04-18 13h39m por Pnaja
Se jogasse hoje era mais 1 a valer 100M
EN
Um MARCO na história do futebol
2013-11-11 05h18m por entraineur
Tive o privilégio, como muitos, de ver este jogador em acção. Como 9 existem poucas palavras para o descrever. Eu escolheria duas: simplesmente fantástico. Esta inserido num lote muito restrito de jogadores, que para mim claro, conseguiram aliar, ou conciliar, técnica, força e velocidade em doses perfeitas.
MX
Grande
2013-11-08 12h53m por Mxavi
Talvez o avançado que vi jogar a (9) com uma qualidade técnica excelente
senhor
2013-11-04 22h48m por carlcunha
quem verificar os numeros deste senhor, vai constatar que terá sido talvez o melhor 9, avançado centro, ponta de lança, chamem-lhe o que quiserem, de sempre.
Amigo tiiago
2013-11-03 00h24m por Thirteenth
O autor do cruzamento para aquele golo fantástico foi o Arnold Muhren, grande extremo-esquerdo na época, já tinha 35 anos na altura e já tinha estado presente nas convocatórias dos Mundiais de 1974 e 1978 que a Holanda perdeu nas finais, ao lado de outras grandes estrelas holandesas como Johan Crujif, Rep, Nanninga, Resenbrick, os gémeos Van der Kherkoff, etc. . . Ele foi o chamado «elo de ligação» entre duas grandes gerações de futebolistas holandeses. Eu já tinha 12 anos e tambem vi...ler comentário completo »
RE
Legend7Poborsky SLB
2013-10-31 10h58m por reservoir
Apenas bom jogador? Era um jogador incrível, deixou marca na selecção e no Ajax e Milan. Foi só o primeiro jogador a fazer um poker na Champions, com um golo de pontapé de bicicleta que ainda hoje figura no top de golos de sempre da Champions. Foi só melhor marcador do Milan de finais de anos 80, principios de 90, 5 temporadas seguidas. Aquele Milan que limpou a Europa 2 vezes seguidas e só não foi total dominador em Itália por causa do Maradona. Mas tens razão, jogador banalíssimo.
TI
Poborsky slb
2012-10-31 16h35m por tiiago
sim é verdade, provavelmente o poborsky foi bem melhor. . .
TI
Golão de Van Basten
2012-10-31 15h34m por tiiago
Na altura tinha 6 anos mas nunca me canso de ver esse golo espectacular. . . foi um cruzamento de Gullit ou Rikaard de para aí uns 30m e Van Basten sem deixar cair a bola e sem angulo remate de forma perfeito para o lado oposto do gr. . . só visto! grande jogador e o melhor avançado centro de todos os tempos
ST
O video?
2012-10-31 13h05m por Strook
o video do golo sff
van basten
2012-10-31 11h36m por Legend7PoborskySLB
foi apenas um bom jogador mas nunca passou disso
XA
Wolfswinkel
2012-10-31 10h54m por xaor
Ainda se lembram de compararem o Wolfswinkel com o Van Basten. . . . que seria o proximo van basten. . . .

só rir! :D
PI
van basten
2012-10-31 10h53m por Pirisca
jogador sobrevalorizado, foi apenas um grande jogador, mas mta gente coloca-o num patamar q ele na realidade nunca atinguiu.
Tópicos Relacionados