Segue o facebook do zerozero.pt. Notícias, Vídeos e Fotografias na sua rede social.

Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

PolóniaPolónia
PortugalPortugal
ItáliaItália
PortugalPortugal
HolandaHolanda
FrançaFrança
história
Estádios

Luz: a Catedral

2012/10/24 18:28
Texto por João Pedro Silveira
l0
E1
Um sonho antigo

Desde os primeiros dias da sua história, o Benfica tinha jogado maioritariamente em campos alugados ou emprestados. Dos tempos do Sport Lisboa em Belém, até aos anos em Sete Rios ou nas Amoreiras, o Benfica andou sempre de casa às costas, jogando inclusivamente num campo construído em terrenos arrendados no Campo Grande (1941/54), tendo não mais que o grande rival Sporting como senhorio. 
 
O sonho era antigo, mas ganhou corpo na segunda metade da década de 40, quando em 1946, a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e o SL Benfica chegaram a acordo para a construção de um novo estádio, na zona de Benfica, em terrenos pertença da CML.
 
Mas o grande impulso viria com a presidência de Joaquim Bogalho. O presidente foi incansável na tentativa de convencer os sócios a ajudarem o clube na construção do estádio. O Benfica, clube popular por excelência, não tinha condições económicas para construir um novo estádio, e Bogalho pensou que  a sua enorme e devotada massa associativa era o maior capital do clube. Não se enganou! Com ajuda de sócios e adeptos, o sonho iria tornar-se realidade....
 
Fizeram-se quermesses, venderam-se rifas, os sócios ofereceram dinheiro e sacos de cimento, e mais diversos bens para se venderem e serem leiloados.
 
Inauguração do Estádio de Carnide
 
A 14 de julho de 1953, o Presidente preside numa cerimónia simbólica, ao arranque da construção do novo Estádio de Carnide. Assim começava uma obra para todos os benfiquistas. 
 
1954, o ano do 50º aniversário do Sport Lisboa, avançou sob o signo do cimento. A obra crescia a «olhos vistos», para gáudio da romaria diária de benfiquistas, que iam ver o seu novo «santuário» crescer ali para os lados de Carnide.
 
A 1 de dezembro de 1954, dia da Restauração, o Sport Lisboa Benfica inaugurou o Estádio de Carnide - como então era conhecido - num jogo contra o FC Porto, que os nortenhos venceram por 1x3.
 
O Inferno da Luz
 
O estádio encontrava-se nos limites das freguesias de Benfica e Carnide, na paróquia da Luz, com sede na vizinha Igreja de Nossa Senhora da Luz. Apesar do nome oficial ser Estádio do Sport Lisboa e Benfica, com o passar do tempo, os benfiquistas, e não só, passaram a chamar o estádio de Luz.
 
Durante décadas a Luz foi o palco das grandes conquistas do Benfica. Foi com o apoio do seu público que o Benfica caminhou para as suas conquistas europeias e viu Eusébio criar um domínio sem par no futebol luso. Durante anos a Luz enchia-se para apoiar os rapazes com as camisolas vermelhas, e o apoio era de tal forma incondicional que passou a ser conhecido como o «Inferno da Luz».
 
Sporting, FC Porto, Real Madrid e tantos outros se vergaram à força da águia, perante uma massa adepta eufórica, que passou também a chamar ao seu estádio de Catedral.
 
Em 1960 o Estádio foi aumentado, com o começo da construção do terceiro anel e a passagem da lotação para 70 mil lugares. No fim da década, em 1969, o clube acabou por comprar os terrenos da CML onde o estádio se encontrava construído. 
 
O Terceiro Anel
 
O fecho do Terceiro Anel, um sonho de gerações de benfiquistas, concretizou-se em 1985, permitindo que a lotação subisse para uns imensos 120 mil lugares. 
 
Foi com a lotação a rebentar pelas costuras que o Benfica eliminaria o Marselha numa histórica, e polémica, meia-final. E nesse mesmo ano, a final do campeonato do mundo de juniores, entre Portugal e Brasil, a lotação chegou aos 127 mil espetadores, um recorde em Portugal e em jogos de escalões mais jovens.
 
O fim
 
Durante a década de noventa foram colocadas as cadeiras que fizeram baixar a lotação para 73 mil lugares. Já durante a presidência de João Vale e Azevedo, surgiu um projeto de reconstrução e modernização do Estádio da Luz, para poder acolher o Euro 2004.
 
Mas com a vitória de Manuel Vilarinho, o projeto foi abandonado e optou-se por construir um novo estádio no mesmo terreno, o que obrigou a demolição da velha «Catedral».
 
A 22 de março de 2003 o Estádio da Luz recebeu a sua última partida, um encontro do campeonato nacional, contra o Santa Clara, que o Benfica venceu por 1x0.
 
Até à inauguração do novo estádio, o Benfica jogaria e treinaria em casa emprestada, disputando os seus jogos no Estádio Nacional e treinando em Massamá.
 
Um mito
 
Durante décadas, o estádio recebeu alguns dos mais importantes encontros da seleção, assim como alguns dos jogos mais mediáticos alguma vez realizados em Portugal, como as duas finais europeias: a UEFA em 1983 e a Taça das Taças em 1992. 
 
A Luz presenciou grandes vitórias do Benfica, como os cinco golos ao campeoníssimo Real de Madrid, a qualificação de Portugal para o Euro 84, com o golo de Jordão, ou a famosa mão de vata contra o Marselha.
 
Os adversários também tiveram vitórias históricas, como os quatro golos do sportinguista Lourenço, os 0x5 com o FC Porto, ou a noite de sonho de George Best e do Manchester United (1x5).
 
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...
Tópicos Relacionados
Estádio
Estádio da Luz
Lotação120000
Medidas105x74
Inauguração1954