placardpt
      História
      Competições

      Campeonato de Portugal 1922-38

      Texto por João Pedro Silveira
      l0
      E2

      O Campeonato de Portugal foi a primeira competição nacional do futebol português. A sua antiguidade, e o seu fim em 1938, talvez tenham votado a memória da prova a um certo abandono, com os próprios vencedores da competição a listarem as suas vitórias na competição em plano de pouco destaque, não lhe dedicando a atenção que sempre deram a outras provas. 

      Para a história fica a lista de vencedores: FC Porto e Sporting (4 vezes), Belenenses e Benfica (3 vezes) e Marítimo, text.php?id=74 e Carcavelinhos, todos eles Campeões de Portugal por uma vez. 

      A prova que surgiu para coroar o Campeão de Portugal - assim era reconhecido o vencedor da competição - disputava-se em eliminatórias, à imagem da Taça de Portugal, que começou em 1938/39, para substituir precisamente esta competição.

      Tudo começou numa derrota

      A história do Campeonato de Portugal começa com o primeiro jogo internacional realizado pela seleção nacional. Foi a 18 de Dezembro de 1921 que o selecionado português se estreou defrontou a seleção espanhola em Madrid.

      Equipa do FC Porto, primeira campeã de Portugal (1921/22)
      Nos primeiros anos dos anos 20 o futebol português era ainda profundamente atrasado e amador. A derrota em Madrid (3x1) até não fora muito pesada, tendo em conta as expectativas. 

      Sem nenhuma prova nacional e com apenas três campeonatos regionais (Lisboa, Porto e Madeira), não era fácil escolher um conjunto de jogadores. Marcou-se então um jogo entre a seleção de Lisboa e a seleção do Porto - que à partida deixava de fora o resto do país - para se escolherem os eleitos. Contudo o jogo acabou por não ter lugar, provocando a ira entre os adeptos portuenses. 

      Apesar dos protestos e do boicote pedido pela Associação de Futebol do Porto, dois jogadores da Invicta juntaram-se à comitiva. A derrota, esperada, lançou o debate sobre a necessidade de se organizar uma competição nacional de futebol.

      A primeira edição

      A imprensa desportiva fez campanha para se organizar uma competição de cariz nacional. Por diversos motivos tanto de natureza social, financeira e até política, mas sobretudo por questões desportivas, a primeira edição da prova, marcada para o fim da Primavera, seria disputada apenas pelos campeões de Lisboa e Porto, respetivamente Sporting e FC Porto.

      O primeiro embate jogou-se no Campo da Constituição no Porto. Era o dia 4 de Junho de 1922. A imprensa da época faz referência a uma multidão entusiasta no apoio à equipa da casa. Era a primeira vez que o FC Porto enfrentava um dos grandes de Lisboa numa partida de cariz oficial.

      Os leões adiantaram-se por intermédio Emílio Ramos. Tavares Basto empatou à passagem dos 25 minutos e fechou a reviravolta a quatro minutos dos 90.

      O onze campeão do Sporting (1923) com Francisco Stromp com a bola (ao centro em baixo)
      Uma semana depois, no Campo Grande, em Lisboa, os leões venceram por 2x0 o que obrigou à realização de um jogo de desempate que teve lugar uma semana mais tarde, no Campo do Bessa, novamente na Invicta.

      A atmosfera carregada, com os adeptos portistas a receberem os lisboetas de forma hostil e intimidatória, provocou brado na altura, e teria na eco na imprensa lisboeta:

      «Durante o match a assistência exerceu sempre uma enorme pressão sobre os rapazes do Sporting insultando-os (...) e chegando até (...) a atirar tiros para o ar quando os jogadores do FC Porto conseguiam vantagem...» (1)

      O FC Porto venceria o jogo após prolongamento (3x1), sagrando-se o primeiro campeão de Portugal.

      Anos de afirmação

      A segunda edição da prova já aceitou a participação dos campeões regionais de Braga (Sp. Braga), Faro (Lusitano VRSA), Madeira (Marítimo) e Coimbra (Académica).

      A final seria disputada em Faro, entre leões e estudantes. A Académica foi a grande sensação da prova, pois teve de disputar três jogos para chegar à final, enquanto os leões só entraram na prova nas meias finais tal como o FC Porto, que eliminou por 3x0 em Lisboa.

      Em 1926 o Marítimo vence o Campeonato de Portugal
      No jogo decisivo o Sporting venceu por 3x0 com golos do capitão Francisco Stromp e de Joaquim Ferreira e conquistou o seu primeiro troféu nacional.

      Um ano mais tarde, o FC Porto era o grande favorito, mas a vitória acabaria por sorrir ao text.php?id=74, com os algarvios a baterem os portistas (4x2) na grande final.

      Um Campeonato de dimensão nacional

      Em 1924/25, portistas e leões voltaram a enfrentar-se na final, com a vitória a sorrir novamente ao FC Porto (2x1). Em 1926 seria a vez do Marítimo inscrever o seu nome na lista dos campeões de Portugal, depois de bater o Belenenses (2x0) na final disputada no Ameal no Porto.

      Para a história ficara a goleada com que os verde-rubros tinham brindado o campeão FC Porto no Funchal (7x0) na meia-final.

      Na época seguinte o competição sofreu uma alteração radical, permitindo a participação de mais do que duas equipas de Lisboa e Porto, assim como duas equipas de Beja, Setúbal, Braga, Aveiro e Coimbra.

      Foi preciso esperar por 1930 para ver o Benfica vencer a competição, batendo o Barreirense numa final muito polémica.
      Ao todo participaram 27 equipas de 13 distritos. Curiosamente, o Benfica participava pela primeira vez na prova, chegando à meia-final, onde seria eliminado pelo Belenenses, que conquistou o troféu pela primeira vez, batendo os sadinos por 3x0 no jogo decisivo. 

      Bicampeão e a estreia do Benfica

      O domínio das equipas lisboetas cimentava-se, com o Carcavelinhos a bater o Sporting na final de 1928. Na época seguinte seria a vez do Belenenses a reconquistar o troféu, vencendo o União Lisboa por 2x1, tornando-se assim no segundo clube a vencer a prova por duas vezes.

      1930 marca a estreia vitoriosa dos encarnados na prova, numa vitória por 3x1 sobre o Barreirense. Um ano mais tarde as águias tornaram-se o primeiro clube a festejar o bicampeonato, ao baterem o FC Porto por 3x0 na grande final, a primeira disputada entre os dois clubes.

      Em 1931/32, os azuis de Belém e os portistas decidiam entre si qual seria o primeiro clube a vencer a prova por três vezes. Os nortenhos levaram a melhor após jogo de desempate, mas o Belenenses não desistiu e na época seguinte bateu o Sporting (3x0) e igualou os portistas no número de troféus.

      Últimos anos

      O Sporting voltaria à lista de vencedores em 1934 depois de derrotar o Barreirense num jogo épico (4x3). Em 1935 disputou-se a primeira final entre os velhos rivais lisboetas e o Benfica ganhou o jogo, igualando o FC Porto e o Belenenses em títulos.

      Até o Guarda Nacional Republicano festeja o golo de Reboredo na vitória portista sobre o Sporting em 1937.
      Os leões tomaram o gosto pelas finais e bateram o Belenenses na edição seguinte, igualando os três rivais no número de troféus conquistados, mas o FC Porto reagiu e em 1937 bateu o Sporting e conquistou a prova pela quarta vez.

      Em 1938 disputou-se o Campeonato de Portugal pela última vez e o Sporting conquistou o seu quarto troféu, superiorizando-se ao rival Benfica (3x1).

      A nova competição

      Quatro anos antes criara-se a Liga Experimental, uma prova disputada em moldes bem diferentes do Campeonato de Portugal. O vencedor da Liga era atribuído no fim da época, depois de todas as equipas se terem defrontado em casa e fora. A equipa que contabilizasse mais pontos vencia a prova.

      Em 1938 resolveu reestruturar-se o futebol português, criou-se o Campeonato Nacional da Primeira Divisão, que a partir de então começou a coroar o Campeão Nacional. Por sua vez o Campeonato de Portugal foi substítuido pela Taça de Portugal, que seria jogado em eliminatórias, abertas a um maior número de equipas.

      Curiosamente, o troféu seria o mesmo e ainda hoje, se se observar com atenção o troféu da Taça de Portugal, é fácil encontrar as placas com os vencedores do Campeonato de Portugal entre 1922 e 1938, ao lado dos vencedores da Taça de Portugal desde 1939 até aos nossos dias.

      -----------------------------------------
      (1) Cf. Os Sports, 29 de Junho 1922, pp.1.

      Comentários (3)
      Gostaria de comentar? Basta registar-se!
      motivo:
      MinhaChama
      2020-06-12 03h39m por Blue_Bitter
      O campeonato que ficou conhecido como extorquido ao Barreirense:

      «Reportamo -nos hoje à que no Barreiro foi a tão tristemente célebre temporada de 1929/30, quando ao Barreirensezinho foi simplesmente “rapado” o título de campeão nacional de futebol. Quase não dá para acreditar como a “coisa” se passou. . . (O que – como é óbvio – não se encontra devidamente reportado nos livros próprios, por ser - como tão amiúde se passa na política - “bastante incorrecto” escrever a verdade)...ler comentário completo »
      Supostamente
      2016-10-09 22h21m por yousandro
      Então o Belenenses não têm só 1 titulo, tem 4! E Marítimo e Olhanense também já foram campeões, mas como é que isto não se sabe???
      Para além de Benfica, Sporting e Porto também têm mais titulos do que realmente acham, que estranho isto não ser considerado oficial como foi em Inglaterra, Espanha e noutros países. . .
      Pergunta
      2016-06-20 12h01m por MinhaChama
      Citando o texto: "Foi preciso esperar por 1930 para ver o Benfica vencer a competição, batendo o Barreirense numa final muito polémica".

      Caro João Pedro Silveira, não se importa de revelar quais os contornos da tal polémica?