Sempre (In)festa
Filipe Dias
2019/02/19 14:41
E1
"Sempre (In)festa" é uma coluna de opinião de um director de um clube amador que vos tenta trazer algo pouco explorado na globosfera que é a precariedade em que estes clubes vivem, entre outros assuntos, mantendo sempre a imparcialidade e respeito por todos os demais.

Portugal é um país pequeno, mas cheio de talento, um talento demasiado grande para o tamanho do país. A gíria do povo sempre disse «não importa o tamanho da árvore, mas sim a qualidade do fruto» e Portugal é um belo exemplo disso mesmo, no que toca ao desporto.

Virando as agulhas do tema para o futebol, o nosso país conseguiu fabricar inúmeros títulos internacionais, entre clubes e seleções. Desde o maior deles todos, o Campeonato Europeu de 2016 pela equipa sénior de Portugal, passando pelas camadas mais jovens com vários títulos mundiais e europeus e, em termos de clubes, as Taças dos Campeões de Benfica e FC Porto, não esquecendo a Taça das Taças do Sporting e as restantes competições europeias e intercontinentais do FC Porto.

Entrando num dos temas que ultimamente tem sido bastante discutido cá no burgo, para mim, atualmente, a Liga Portuguesa é provavelmente uma das mais competitivas na Europa no que toca à luta pelo título. FC Porto e Benfica estão separados apenas por um ponto. Depois, surge o SC Braga com menos 5 pontos que os dragões e, um pouco mais atrás, está o Sporting com menos 9 que o líder. Faltam 36 pontos para disputar até ao final do campeonato, doze jornadas onde dificilmente o titulo fugirá a FC Porto ou Benfica mas pelo qual Braga e até Sporting podem ter algumas aspirações.

Mas a competitividade em si, e de que muito se fala, vai ao encontro a que «só os três grandes é que ganham o campeonato, ano após ano». Pois, mas se analisarmos bem a questão, em todo o lado, salvo raras exceções, é assim, senão vejamos (últimos 10 anos):

- Portugal: Benfica e FC Porto, cinco vezes cada;

- Espanha: Barcelona (7), Real Madrid (2) e Atlético Madrid (1);

- Itália: Juventus (7), Inter (2) e Milan (1);

- Inglaterra: Man.United (3), Man.City (3), Chelsea (3) e Leicester (1);

- Alemanha; Bayern M. (7). B. Dortmund (2) e Wolfsburg (1);

- França: Paris SG (5), Bordéus (1), Montpellier (1), Mónaco (1), Lille (1) e Marselha (1).

Há em Portugal dois dominadores comuns, dois clubes que repartiram os 10 últimos campeonatos entre si, mas em Espanha, Itália e Alemanha há uma dominante: Barcelona, Juventus e Bayern Munique, respetivamente. Em Inglaterra, a coisa divide-se por três, em períodos diferentes, primeiro Man. United, depois Chelsea e mais recentemente o Man. City, e em França, que é o caso mais intrigante e interessante, há o mais recente domínio do Paris SG mas até lá os títulos dividiam-se por várias equipas. Desde o início do milénio, os franceses viram oito equipas diferentes sagrarem-se campeões nacionais (Nantes, Lyon, Bordéus, Marselha, Lille, Montpellier, Paris SG e Mónaco), tendo em duas fases distintas dois dominadores comuns, primeiro o Lyon (7 títulos consecutivos) e mais recentemente o já referido Paris SG (5, nos últimos 6 anos). 

A competitividade em Portugal pode ser vista como boa na luta pelo título, pois as equipas que lutam, por norma, têm mais-valias em termos de jogadores, mas não é tão boa nas restantes equipas que lutam por lugares europeus e pela manutenção, e isso reflete-se na capacidade de equipas como o Marítimo, Vitória SC ou Rio Ave, entre outros, ao competirem nas eliminatórias da Liga Europa.

Qual o caminho que a Liga deve seguir para ajudar estas equipas a serem mais competitivas na Europa? As receitas televisivas deveriam ser mais equilibradas entre todos como é, por exemplo, em Inglaterra? As equipas portuguesas qualificadas para as competições europeias deveriam ter um apoio extra da Liga para poderem discutir lugares na fase de grupos da Liga Europa? São questões que devem ser colocadas para mudar esta imagem menos boa no futebol português.



Comentários (1)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
VA
Solucao
2019-02-19 21h07m por vaicomtudo
Para mim o que o futebol portuguese tem de fazer e permitir mais emprestimos entre equipas do mesmo divisao. Ha muito talento nos equipas b(todos) que por regulamentos nao pode meter eles em equipas na primeira. Eu ainda lembro da equipa b do porto que era campeao da segunda e era o sexto melhor equipa em Portugal. Melhor fazer isso do que equipas como arouca encher os planteis cheio de jogadores que ninguem sabe o valor deles quando vao fazer pre eliminatorias.
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
Terminaram este domingo os quartos-de-final da fase final do Campeonato de Portugal, onde foram eliminadas as equipas do Vizela, Fafe, Sp.Espinho e Lusitânia de Lourosa pelas equipas do ...
03-06-2019 10:00E18
Milheirós é uma pequena freguesia do concelho da Maia e tem um caso sui generis de ter dois clubes de futebol, numa localidade com apenas cerca de 5000 habitantes. Esta freguesia ...
23-04-2019 11:10
No passado dia 6 de Janeiro, um jogo de iniciados entre uma equipa lisboeta e outra alentejana culminou com agressões entre pais na bancada. Não se sabe, ou pelo menos não ...
29-01-2019 14:45E3
Opinião
Toque de letra
Tomás da Cunha
Pelas minhas gavetas do futebol
Tiago S. Nogueira
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho