Comunicação, novos critérios e mais VAR

Arbitragem em Portugal: o que muda e o ponto de situação para 2023/24

Não é o tema favorito do nosso portal e o mesmo se aplica à esmagadora maioria dos adeptos de futebol, ainda assim, a arbitragem desempenha um papel de enorme importância na modalidade e continua a procurar crescer com a mesma. 2023/24 significará mais um passo em frente nessa evolução.

São várias as mudanças nos processos, critérios de disciplina e no geral modus operandi dos profissionais da área em Portugal, para a época que se avizinha.

Parte destes dados já eram conhecidos há alguns meses, outros foram comunicados esta semana no seguimento de uma reunião com os clubes do principal escalão luso, e esta quinta-feira, com as portas da Cidade do Futebol abertas aos jornalistas para o quinto dia do estágio de preparação dos árbitros de primeira categoria, a imagem ficou ainda mais clara. Vamos por partes...

1 - Comunicação

Parece cada vez mais evidente que a humanização das equipas de arbitragem é um ponto importante na agenda de quem está à frente do futebol. Para tal, a transparência nos critérios e decisões é um caminho que começa a ser trilhado. Essa transparência faz-se pela disponibilização do áudio das comunicações entre a equipa de arbitragem de um determinado jogo, à imagem do que já acontece em algumas modalidades.

José Fontelas Gomes deu mais detalhes sobre a arbitragem @zerozero
Foi há uma semana que o Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol revelou que a comunicação entre os juízes seria tornada pública, afirmando que esse já era um desejo desde a estreia do VAR nas competições nacionais, em 2017.

Para efeitos de esclarecimento, explicamos como funcionará esta comunicação na Primeira Liga, uma vez que será uma mudança de menor impacto nesta época inaugural: as conversas entre árbitro de campo e VAR não serão partilhadas em tempo real, mas sim numa divulgação do CA que surgirá apenas uma vez por mês.

Talvez desapontante para os adeptos que estão a acompanhar o Mundial Feminino e dispõem de toda essa comunicação em tempo real, tanto no estádio como na transmissão televisiva, mas José Fontelas Gomes, presidente do CA, revelou esta quinta-feira que a FPF foi a primeira federação a pedir para utilizar esse método. O pedido foi rejeitado pelo International Board que, para já, só concedeu autorização para tal às provas FIFA.

qNão queremos contribuir para o ruído, mas sim que o público perceba que erramos, tal como todos os outros seres humanos
José Fontelas Gomes
«Vemos isto sobretudo como algo pedagógico. Queremos que as pessoas compreendam as decisões e a forma como são tomadas nos jogos. Não queremos causar polémicas. Se não for esse o caminho de todos, então obviamente temos sempre a opção de fechar novamente. Para já, será divulgada de forma mensal, mas, se correr bem, pode passar a ser mais recorrente. É uma possibilidade», disse o dirigente, junto a um dos relvados da Cidade do Futebol.

2 - Critérios e procedimentos

Como aconteceu de forma natural em tantas outras temporadas, os árbitros de primeira categoria em Portugal entram em 2023/24 com novas indicações em relação a como reagir em determinadas circunstâncias.

Uma das mais abordadas, como já tinha acontecido esta semana na reunião com os clubes, trata-se de um maior combate ao comportamento censurável que tantas vezes se verifica nos bancos de suplentes. Esse comportamento - veja as duras críticas do árbitro Luís Godinho ao problema - será castigado de forma mais pesada: os avisos serão substituídos pelo cartão amarelo ao primeiro incidente.

José Fontelas Gomes explicou que esta é uma «instrução específica» por parte da UEFA e que foi dada «a todas as 54 federações nesse sentido». Explicou também que o órgão que tutela o futebol europeu procura reduzir drasticamente as imagens dos comportamentos considerados incorretos, que, para além da questão dos bancos, incluem os aglomerados de jogadores em torno do árbitro ou qualquer disputa antidesportiva.

 

Existem também novas guias em relação aos tempos de compensação adicionados no final de cada parte. São 45 segundos extra por cada paragem para substituições e um minuto pelos festejos de um golo, para além dos restantes minutos necessários em função de paragens para assistência médica ou perda de tempo.

3 - VAR

Numa altura em que o videoárbitro se prepara para iniciar a sétima temporada em atividade no principal escalão do futebol português, desde a implementação em 2017, o principal dado a realçar é que a tecnologia se prepara para chegar a ainda mais competições.

Até aqui, apenas tinha presença na Primeira Liga e na fase final da Liga 3, mas a partir de 2023/24 o VAR será utilizado também na Liga Portugal SABSEG e na Liga BPI

VAR entra em mais competições @Carlos Alberto Costa
Um mínimo de quatro câmaras/ângulos em cada partida, todas sob o controlo da estação emissora, compõem a regulamentação. Se nas novas competições abrangidas pelo videoárbitro o número andará entre essas quatro ou um máximo de seis, a Liga Portugal Betclic, principal escalão, terá até nos seus jogos de menor mediatismo pelo menos 11 câmaras. Nos jogos mais importantes, por assim dizer, o número pode superar as 18.

A inclusão do segundo escalão e do campeonato nacional feminino implica uma multiplicação dos recursos e dos intervenientes necessários. Enquanto antes uma semana típica no futebol português significava nove jogos com auxílio do VAR, esse número passará a ser 24 partidas por jornada.

23 árbitros principais, 40 assistentes e 11 videoárbitros. É este o alinhamento da primeira categoria para 2023/24, sendo que todos estes elementos marcaram presença no estágio que se desenrolou na Cidade do Futebol e terminou esta quinta-feira.

Comentários (4)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
Arbitragem
2023-08-03 20h12m por moumu
Parece-me bom, VAR na 2ª liga e mais rigor com as reclamações dos treinadores.
PO
Tudo que seja. . .
2023-08-03 20h04m por PORTOTUGA2
Para colorir os jogos em vez de preto e branco. .
Tudo que seja audível em vez de silêncios enganadores. . .
Tudo que seja castigado em vez de penalizado. . .
Tudo que seja, uma TV imparcial a realizar os jogos em vez de btv. . .

Aplaudir!
pedrinho_dgl
2023-08-03 19h36m por lopis10
Os áudios não serão só num jogo.
Serão é mostrados os áudios dos lances com intervenção do VAR de todos os jogos, mas só no final do mês é que mostram esses áudios.
Mudanças
2023-08-03 19h15m por pedrinho_dgl
1- Comunicação:
Concordo, apesar de achar que um jogo por mês é escasso, não deixa de ser um começo. Também gostava de saber qual será o critério para a escolha do jogo.

2-Critério e procedimento:
Talvez o mais importante, acho muito bem que se aperte com os bancos, até acho que o número de pessoas num banco devia ser mais limitado. Também acho que um treinador que seja expulso mais que uma vez seja penalizado com mais que um jogo, a reincidência tem que ser ...ler comentário completo »

OUTRAS NOTÍCIAS

Basquetebol
Portugal defronta Ucrânia
Portugal joga, este domingo, mais uma importante partida na fase de qualificação para o EuroBasket 2025. Três dias depois de uma grande exibição, mas ...

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

mario1953 25-02-2024, 08:49
PedroBorgas 25-02-2024, 08:34
orgulhovermelho 25-02-2024, 06:54
moumu 25-02-2024, 06:38
moumu 25-02-2024, 06:28
moumu 25-02-2024, 06:27
moumu 25-02-2024, 05:26
moumu 25-02-2024, 05:24
moumu 25-02-2024, 05:22
moumu 25-02-2024, 05:16
moumu 25-02-2024, 05:16
moumu 25-02-2024, 05:15
moumu 25-02-2024, 05:15