Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

FC PortoPortugal
PortugalMarítimo
BenficaPortugal
PortugalPortimonense
SportingPortugal
PortugalU. Madeira
Descrição
Huambo é uma província de Angola. Tem de área 34.270 km2 e sua população aproximada é de 2 milhões de habitantes de etnia predominantemente umbundo. A sua capital é a cidade de Huambo. Huambo foi a província com mais população de Angola até antes da Guerra Colonial, lugar que passou posteriormente a ser ocupado pela província de Luanda. Tem um clima tropical de altitude, frio, saudável e com sol na primavera. Os seus onze municípios são: Huambo Bailundo Ekunha Caála Catchiungo (ex-Bela Vista) Londuimbali Longonjo Mungo Tchicala Tcho Loanga (ex-Vila Nova) Tchindjendje Ukuma (ex-Cuma) É limitada pelas províncias de Kuanza Sul, Bié, Huíla e Benguela. As principais produções de agro-pecuária são: citrinos, batata, batata-doce, arroz, feijão, trigo, hortícolas de toda a sorte, gado bovino, cavalar, caprino, suíno e ovino. No sub-solo existe para explorar o manganês, o diamante, o volfrâmio, o ferro, o ouro, a prata, o cobre, o minério radioactivo, entre outros. A maior altitude do país situa-se no Morro Moco desta província, com mais de dois mil metros de altitude, e desta zona irradiam numerosos rios e riachos em direcção ao litoral e países vizinhos. Por ela passa o extenso caminho de ferro de Benguela (CFB), vindo do litoral (Lobito) e indo até à fronteira com a República Democrática do Congo. Antes da independência nacional, esta era a via preferida para o escoamento dos minérios e mercadorias vindas do Congo e Zâmbia. Nas suas extensas florestas abundam predominantemente árvores de médio porte, que alimentam a indústria da madeira e derivados, grande plantação de árvores xerófilas, com relevo para o eucalipto, ao longo dos caminhos de ferro em mais de mil quilómetros de extensão, muitos perímetros florestais de cedro e pinheiro, muitas flores de rara beleza, plantas comestíveis, medicamentosas e de adorno e frutos silvestres muito apreciados pelas populações locais. Em suma, a flora é exuberante e a fauna bastante diversificada com relevo para animais de grande porte, como o elefante, o hipopótamo, o rinoceronte cinzento, a girafa, os felinos como o leão, a onça e os gatos selvagens, e um sem número de antílopes de grande, médio e pequeno portes, lebres e cangurus anões. Sáurios e répteis extremamente perigosos pela sua voracidade e veneno, como o jacaré, a cobra mamba e surucucú, habitam os lagos e os rios da região. Um sem número de pequenos animais da família dos insectos e aves exóticas polulam pelos céus da província, como os tchimbanduas, o célebre canário amarelo de olho vermelho da anhara (savana), as borboletas exóticas, os matrindindes, e, do conhecimento histórico que temos, também as aparições em catadupas de nuvens de gafanhotos saltões que tudo devoram à sua passagem. A província do Huambo já foi, e agora, em tempo de paz, pretende voltar a ser, a principal produtora e exportadora de batata e milho do país.

Fonte: wikipedia

http://www.huambodigital.net/

Mais...
O Huambo é uma cidade e município em Angola, sede da Província do Huambo. Durante a construção da linha da Companhia do Caminho de Ferro de Benguela, concebido para drenar os minérios da rica região do Catanga para a costa do Atlântico, estando o acampamento do Empreiteiro Pauling estabelecido cerca do km 370, começou a ser aí recebida correspondência, vinda de Inglaterra, endereçada para "Pauling Town - Angola". É necessário referir que este acampamento era na altura o único aglomerado populacional digno desse nome, que então existia na região do Huambo. O General Norton de Matos, ao chegar a Luanda para ocupar o mais Alto Cargo da então Colónia de Angola, teve conhecimento dessa ocorrência e, para marcar bem o domínio português na Província do Huambo, deu ordem aos Correios para devolverem, com a indicação de "destino desconhecido", toda a correspondência com a direcção "Pauling Town". Norton de Matos procurou, nos pobres mapas de então, qualquer coisa que lhe sugerisse um nome; só encontrou a referência a um pequeno Forte do Huambo (Cabral Moncada, criado por Portaria nº 431,de 20/09/1903), onde se tinham praticado feitos heróicos; este Forte situava-se próximo do km 365, do lado esquerdo da linha, a cerca de 2 quilómetros desta. Essa representação foi o bastante para lhe indicar a magnífica posição geográfica, política económica e militar do futuro Centro Ferroviário, a que deu o nome de Cidade do Huambo, por Diploma Legislativo de 8 de Agosto de 1912, que se viria a criar ao km 426. Logo a seguir à criação da cidade do Huambo, a Portaria Provincial 1086 de 21/08/1912, proibiu a construção de casas de adobe, pau-a-pique ou outros materiais semelhantes na cidade de Huambo. O CFB deu à estação da Caála o nome de Robert Willims, para prestar uma merecida homenagem ao Homem que concebeu e realizou todo o empreendimento que tornou possível a drenagem dos minérios do rico Catanga para o oceano Atlântico, o que só aconteceu depois de 1929, em data que não é possível precisar. O mesmo sucedeu com a estação de Calenguer, que passou a chamar-se Guerra Junqueiro por, do lado direito da linha férrea, existir um morro que parecia a estátua jacente desse poeta português.
Fonte: wikipedia
Fotografias(3)
Huambo (ANG)
Huambo (ANG)

Localização