placardpt
    História da transferência
    À volta do jogo

    A história da inesperada contratação de Peter Schmeichel

    Texto por Hugo Filipe Martins
    l0
    E0

    Se lhe dissessem, agora, que um jogador acabado de ganhar a Liga dos Campeões, pentacampeão inglês, campeão europeu pelo seu país e vencedor de vários troféus por onde passou viria para Portugal, talvez não acreditasse. Se lhe dissessem que esse jogador tinha sido duas vezes eleito o melhor guarda-redes do Mundo e uma vez o melhor da Europa, talvez isso não ajudasse. Parece impossível, não parece?

    A maioria das pessoas pensou isso quando os rumores da transferência de Peter Schmeichel para o Sporting foram ficando mais fortes. Parecia impossível. Mais ainda tendo em conta que o clube de Alvalade tinha acabado de falhar a contratação de Brian Laudrup, outro nome consagrado que a direção do Sporting assumiu estar a tentar contratar. Um dos melhores guarda-redes da história do futebol, campeão europeu num dos jogos mais épicos da história – aquele em que o Manchester United está a perder aos 90’ e dá a volta nos descontos, com Schmeichel a ir à área no golo do empate – por que razão viria para o Sporting?

    O facto é que Peter Schmeichel veio mesmo para Portugal, para Alvalade, para o Sporting. E os motivos não foram assim tão poucos. É isso que contamos aqui. A história de uma das transferências mais improváveis do futebol português. A história da chegada de um nome carismático, que apenas em duas épocas deixou marcas em Alvalade (e nos ouvidos dos colegas de equipa) e que ajudou a terminar a seca de um Sporting que não era campeão há 18 anos.

    Uma mão cheia de oportunidades

    Semanas antes de chegar a Alvalade, estava assim... @Getty / picture alliance
    Como já sabe que Peter Schmeichel assinou mesmo pelo Sporting, adiantamos já o dia da apresentação. 20 de junho de 1999. Já de madrugada. Tudo muito rápido, não lhe parece? A verdade é que antes disso passou-se muita coisa. Recuemos aos dias em que Peter Schmeichel ainda vestia a camisola do Manchester United.

    Considerado «o negócio do século» por Alex Ferguson quando chegou, por 600 mil euros (valores atuais), ao Manchester United, Peter Schmeichel passou a ser um dos melhores guarda-redes do futebol mundial e assumiu-se como uma figura do clube, que, tal como o Sporting, há muito não vencia o campeonato inglês – uma seca de 26 anos. Pouco ortodoxo, um pouco louco, como muitos acham que os guarda-redes devem ser e com reflexos brutais para uma pessoa de 1,93m, Schmeichel era já uma instituição em Old Trafford, mas o passar do tempo e dos muitos jogos – fez 398 em oito épocas – desgastou o guarda-redes dinamarquês e o adeus passou a ser cada vez mais uma certeza.

    Só o fator Ferguson fez Schmeichel adiar a sua decisão de deixar o clube de Manchester por mais uma época, mas o anúncio da despedida não tardou. A 12 de novembro de 1998, Schmeichel confirmou que a temporada 1998/99 seria a última nos Red Devils. Com o passar dos meses, foram ficando algumas pistas sobre o seu futuro, enquanto as redes do Manchester United iam sendo bem protegidas pelo nórdico, mas estas pistas trouxeram sempre mais incertezas do que certezas. Nem o próprio sabia o seu futuro: «Não me lembro muito bem do primeiro contacto com o Sporting. Eu já tinha decidido sair do Manchester há algum tempo, andava a falar com o meu agente sobre isso. Só que não tinha ideia alguma sobre para onde iria. Tinha regressado do Mundial de 1998, andava a jogar as qualificações para a Liga dos Campeões e estava a sentir-me cansado - na época anterior tínhamos perdido o campeonato para o Arsenal e fora muito esgotante mentalmente», explicou vários anos mais tarde, em entrevista ao Expresso.

    Parecia quase uma série policial. Para onde iria Peter Schmeichel, uma lenda das balizas? Pretendentes não faltariam e clubes associados ao gigante dinamarquês também não. À medida que o drama ia ganhando novos contornos, começaram a surgir alguns nomes. A quantidade de jogos que fazia em Manchester, o stress competitivo e o clima eram os fatores apontados à saída e daí bastou fazer contas. Espanha? França? Itália? E que tal Portugal?

    Em Portugal abriu-se uma Janela

    O Maiorca chegou a fazer-lhe uma proposta tentadora – não só a nível económico e desportivo, mas também pelo tal clima -, em França, Paris Saint-Germain e Rennes também tentaram. Em Itália também houve interessados. Pelo meio, eis o Sporting.

    Foi voz de comando @Getty / Getty Images
    Os responsáveis do clube leonino sabiam que da parte de Schmeichel havia interesse para, pelo menos, ouvir a proposta, mas primeiro era preciso terminar a temporada: «Tinha prometido ao Ferguson que não falaria com outro clube até final da época», contou Schmeichel nessa entrevista ao Expresso. A época terminou e foram vários a festejar. Os jogadores do Manchester United, acabados de vencer a Liga dos Campeões numa época com três títulos conquistados, Schmeichel, que se despediu com um grande título numa final em que, devido ao castigo de Roy Keane, foi capitão, e o Sporting, porque podia finalmente tentar convencer o dinamarquês.

    Carlos Janela, na altura diretor desportivo do Sporting, já tinha enfrentado algumas críticas depois de falhar a contratação de Brian Laudrup, pretendido por 15 equipas, que tinha praticamente tudo assinado com os leões e acabou por regressar ao Ajax: «A oferta do clube português era muito boa, mas ele optou por recusá-la», contou o empresário, na altura. Por isso, as informações sobre uma possível contratação de Schmeichel por parte dos leões foram tratadas com mais cuidado. O mesmo não se passou quando o guarda-redes aterrou, finalmente, em Lisboa.

    Era sábado, 19 de junho de 1999, quando Schmeichel chegou à capital portuguesa ainda sem certezas do futuro e apenas para ver Lisboa e o Estoril, onde, caso assinasse efetivamente pelo Sporting, queria viver. Foi isso que pediu ao motorista. Da parte da manhã viu casas e apartamentos no Estoril, da parte da tarde foi à SAD do Sporting, em Lisboa, onde já estavam responsáveis leoninos com apenas uma missão: deixar sair Schmeichel apenas quando o contrato com o Sporting estivesse assinado.

    Sagrou-se campeão logo na primeira época @Getty Images / Getty Images
    Foram horas intensas, entre português e inglês, com dificuldades de entendimento. O dia tinha passado e até aí nada feito. Nas palavras de Schmeichel: «Passou o tempo: meia-noite, uma da manhã, e eu muito cansado e só queira ir para o hotel descansar». Só que no Sporting ninguém ficaria descansado com o descanso do guarda-redes, por isso, mal surgiu a oportunidade, Carlos Janela abriu uma porta. A porta da sala de imprensa. Uma da manhã e Schmeichel era apresentado aos jornalistas.

    «O Peter é, a partir deste momento, jogador do Sporting e o Sporting vai ser campeão, porque para onde o Peter vai é campeão». Foi desta forma que Carlos Janela decidiu introduzir o mediático guardião dinamarquês à imprensa e aos adeptos sportinguistas impacientes pela oficialização da notícia. Agora sim, Schmeichel e os leões podiam descansar.

    Contra todas as probabilidades – o Sporting tinha terminado a época anterior em terceiro lugar – Schmeichel assinou um contrato de dois anos com os leões, mais um de opção, e passou a receber 450 mil contos por ano.

    Ambicioso e um pouco louco, como sempre, o internacional dinamarquês apresentou outro dos motivos que o levou a assinar pelo Sporting. Sabia-se que a menor intensidade competitiva e o sol do Sul da Europa tinham sido determinantes, mas, com 36 anos, Schmeichel ainda tinha ambições. «Quando cheguei ao Manchester United, o clube não ganhava o campeonato há 26 anos e fomos campeões logo no primeiro ano. Agora no Sporting essa é a minha motivação».

    Ainda não tinha entrado em campo com a camisola verde e branca e Peter Schmeichel já tinha conquistado os adeptos e a imprensa. Em Inglaterra, os ecos da mudança surpreendente para Alvalade fizeram-se sentir e o The Guardian lançou mesmo uma espécie de aviso para os futuros colegas de Schmeichel: «Numa transferência que é uma certeza de boas notícias para o Sporting, mas de más notícias para os ouvidos dos seus defesas, Peter Schmeichel assinou pelo clube português».

    Um ícone no futebol português @Getty / Lutz Bongarts
    Logo após a saída de Preud Homme do Benfica, um dos melhores guarda-redes do futebol mundial mudou-se mesmo para Portugal e, como havia feito por onde tinha passado, cumpriu a promessa feita no dia da apresentação. Foi campeão no primeiro ano de Sporting, acabou com o jejum de 18 anos e, dois anos mais tarde, abandonou Alvalade, considerado pela maioria como um dos melhores guarda-redes da história do clube. Anos mais tarde, em entrevista ao The Official Manchester United Podcast, admitiu que talvez se tivesse precipitado ao sair do clube inglês quando ainda se sentia capaz de jogar ao mais alto nível. Não o fez em Inglaterra, fez em Portugal, onde dois anos bastaram para se tornar num dos melhores guarda-redes da história do campeonato e, sem qualquer dúvida, numa das transferências mais inesperadas de que há memória. De loucos, mesmo ao estilo de Peter Schmeichel.  

    D

    Fotografias(27)

    Peter Schmeichel (DEN)
    Peter Schmeichel (DEN)

    Comentários

    Gostaria de comentar? Basta registar-se!
    motivo:
    DU
    Lembro-me bem. . .
    2020-05-02 12h14m por Dumars
    Lembro-me bem que quando saiu a notícia julguei que era daquelas para "vender jornais", nunca pensei que viesse. Foi das contratações mais surpreendentes do Sporting.

    Para além da sua qualidade de nível mundial, o que me lembro melhor do Schmeichel eram os berros que dava aos defesas, especialmente as discussões com o Rui Jorge.

    Também me lembro que era o primeiro a construir o jogo do Sporting e não era com os pés, lançava a bola com as mãos para o meio camp...ler comentário completo »
    Schmeichel
    2020-05-01 19h40m por Daniele
    Simplesmente o melhor.
    Enorme
    2020-05-01 18h13m por pedroregorego
    Grande contratação do scp um dos melhores guardas redes de sempre esteve em portugal na liga portuguesa foi algo excelente.
    Tópicos Relacionados