placardpt
      A Coluna é do Silva
      Paulo Silva
      2021/06/06
      E2
      A Coluna é do Silva é o espaço de opinião sobre e à volta do FCP, dinamizado por Paulo Silva, um dos podcasters responsáveis por “A Culpa é do Cavani”, o podcast de referência do universo portista. Publica-se à terça-feira, semana sim, semana não.

      É oficial, o novo treinador do FCP é o antigo. Sérgio Conceição (SC) renovou por mais 3 anos, até ao final do mandato de Pinto da Costa (PdC). Sabeis que não sou o maior fã de SC, nem tampouco serei o seu maior crítico, e ao longo destes 4 anos andámos às turras múltiplas vezes. Repetiremos certamente a dose nos próximos 3. Sempre que achar que SC merece ser desancado, pois cá estarei para o desancar; e sempre que acreditar que merece ser elogiado, estarei de pé a aplaudi-lo. Nem banido só porque respira, nem incensado só porque beija o emblema. É este o equilíbrio a que me comprometo. De resto, estou basto feliz com o desenlace.

      Quem faz o favor de seguir A Culpa é do Cavani estará à espera da piada que contradiga esta satisfação. Ou já à beira da apoplexia, as veias do pescoço muito salientes, vermelhos como uns tomates, a acusarem-me de ser um vira casacas. Esperariam que estivesse do outro lado da barricada, mas é só porque não entendem que não há barricadas. Somos FCP, todos e Sérgio também – não, senhores da comunicação, não é MAIS do que um de nós, tenham juízo – e esse é o facto fundamental.
       
      Dentro de cada adepto – e eu não sou exceção – há um viciado em FM a querer sair. Adoramos a adrenalina da mudança, a expetativa do novo, adotamos uns e abominamos outros, frequentemente com base no método de raiz científica “nãogramodasfuçasdogajoqueresquetefaça?”. Pois bem, os próximos 3 anos no FCP não terão cinema ou circo – citei o treinador – que é como quem diz, querem espetáculo vão ao Sá da Bandeira, citei outra vez. Da mesma forma, os jovens da formação jogarão o tempo que a intensidade que conseguirem meter, à pressa, em anos de formação para jogar à bola, lhes permitir; o rendimento imediato será a regra; a competitividade, o choque, o duelo ganho e – sejamos justos – cada vez mais futebol (na minha opinião) serão o nosso dia-a-dia. Não é o fim do Mundo em cuecas, também não é o Éden ou o Paraíso das Setenta Virgens. Mais do que tudo, é a única perspetiva que nos pode deixar descansados. Reparem:
       
      PdC procura, desde Lopetegui, encontrar o mister que lhe trate das coisas. O homem que assuma a gestão do quotidiano do futebol, que responda aos ataques, que determine as necessidades e, se possível, sugira as alternativas; ao mesmo tempo que arquiteta todo o edifício do futebol e, já que está com as mãos na massa, o clube do Porto também. Tentou primeiro com quem não conhecia a casa, mas dava alguma garantia de desenvolver talento e captar outro tanto. Sempre com a entrevista “o Ferrari na garagem” debaixo do braço, para qualquer eventualidade. Depois arriscou no perfil tranquilo de quem já por cá tinha estado, aliado a uma carteira de contactos facilitada pelo padrinho. Também aí a coisa descarrilou e valeu-se do modelo F5923 “quem é o Depoitre?”, para atirar a água para longe do seu capote. De novo. Sérgio foi a terceira tentativa, de início um tanto receoso – gato escaldado… - depois convictamente e, por fim, agora, entregando-se nos braços do treinador com o sentimento de missão cumprida e um trabalho bem feito. E é! Porquê?
       
      Porque trazer quem quer que fosse para treinar o FCP neste momento – fosse Klopp ou Guardiola, Simeone ou Tuchel – exigiria uma estrutura forte, competente, bem coordenada e pronta para a batalha. E isto muito para além da equipa técnica, do Olival e da relva. Da comunicação ao scouting, da direção ao departamento administrativo, da organização de jogo à área comercial, a SAD teria que estar a top, cheia de energia, boas ideias e planos de futuro, alguns muito disruptivos. Só assim seria possível integrar alguém novo, com um verdadeiro sentido de construção do próximo FCP, mas pronto para a exigência de ganhar agora. Para além de que seria a única forma de defender o mancebo da inevitável comparação com o seu antecessor. Mais do que os resultados, ou até a forma de os obter, seria quase impossível que o senhor Quem Quer Que Fosse estivesse à altura do Portismo de SC.
       
      PdC continua a ser um grande presidente e, na minha opinião, tem perfeita consciência disto e de como, neste momento, a estrutura do FCP não está pronta, nem montada, para ajudar e sim para ser ajudada. Uma série de soldados rasos prontos a seguir a ordem, sem rasgo ou iniciativa, mas muito importantes em número e barulho. PdC sabe igualmente que já não está em tempo, há demasiado tempo, de provocar e implementar a mudança radical que se impõe. A quantidade de capilares que seria necessário cortar, exigiria uma energia desmedida para impedir uma hemorragia fatal. PdC, sabiamente, conhece o seu limite. Daí que, como eu, tivesse para si claro que SC não é apenas a melhor opção, é a única. Puxando pelo sentimento que o treinador nutre pelo clube e pelo próprio presidente, mais do que lhe dar o braço, PdC põe a mão no ombro de SC e apoia-se nele para o resto do caminho a percorrer. Bem escolhido, presidente.
       
      Em suma, Sérgio Conceição não será o futuro do FCP. Como futuro não é PdC, por maioria de razão e pelas aborrecidas questões da biologia. No entanto, juntos são o garante de que, até ele chegar – o tal de Futuro - não o estamos a hipotecar. Porque permaneceremos muito competitivos, ganhadores, uma chatice para o centralismo bafiento, um calo no dedo grande do pé dos poderes instituídos e maiores do que todos os outros, na Europa e no Mundo. É por isso que SC é o meu treinador. Também quer dizer que nos vamos chatear amiúde, ai vamos, vamos.


      Comentários (2)
      Gostaria de comentar? Basta registar-se!
      motivo:
      SS
      . . .
      2021-06-08 17h57m por ss_fer
      Muita parra, pouca uva, como se costuma dizer. Está bom para a política.
      Bom artigo de opinião.
      2021-06-06 19h41m por DingyPT
      Concordo e revejo-me naquilo que é a essência do artigo.

      Também tenho sido um ávido crítico de SC, mas sempre com a consciência que não só não foi fácil fazer o que fez até hoje e continuará a não ser fácil daqui para a frente.

      SC cometeu erros, e alguns quase gritantes, no entanto também deu boas surpresas e chegou-nos a fazer sonhar com enormes feitos!

      O que é o futebol senão isso mesmo? andarmos constantemente com aquela sensação de ser possív...ler comentário completo »
      OPINIÕES DO MESMO AUTOR
      1- A meio desta época, numa jornada de A Culpa é do Cavani dedicada ao balanço da primeira volta do campeonato, um dos meus destaques foi Ruben Amorim. ...
      14-05-2021 21:31E1
      1- Um jornalista ser agredido é inaceitável. Aliás, alguém ser agredido é inaceitável, essa é que é essa. Um jornalista, jogadores de ...
      27-04-2021 13:26E16
      O FCP foi de vela da Champions. Esta é a triste realidade, sem adornos, eufemismos ou paninhos quentes. Antes estávamos lá, agora já não estamos e pouco importa ...
      14-04-2021 17:34
      Opinião
      O Melhor dos Jogos
      Carlos Daniel
      O sítio dos Gverreiros
      António Costa
      A preto e branco
      Luís Cirilo Carvalho
      Vénia ao 3º Anel
      Filipe Inglês
      Entre Linhas e Botões
      Rodrigo Coimbra
      A Coluna é do Silva
      Paulo Silva