betclicpt
      O Melhor dos Jogos
      Carlos Daniel
      2020/11/12
      E3
      Este espaço, do jornalista Carlos Daniel, pretende ser de abordagem e reflexão sobre o futebol no que o jogo tem de melhor. Semanalmente, uma equipa será objeto de análise, com notas concretas que acrescentam atualidade.
      Sinto-me apoiado por um dos maiores. Depois de tantas crónicas a perorar em nome do talento, que pode estar nos mais jovens, baixos e franzinos, tanto como nos mais velhos, altos e encorpados (que fazem a preferência de uma maioria, não ignoro), surge Valdano, que escreve como pouca gente mas que antes jogou, treinou e dirigiu ao nível de menos gente ainda, a valorizar meninos ladinos feitos de arte - Ansu, Pedri, Rodrygo, Vinicius, Kubo e Yunus - que “desequilibram jogos adultos”, porque “a única coisa realmente adulta é decidir bem, executar com precisão e não ter dúvidas”, para concluir que a sistematização e as regras “fazem dos gregários muito bons gregários, o que é genial, mas fazem dos artistas também muito bons gregários, o que é uma calamidade”. Escreveu em “A Bola”, mas escreveu tão bem que merece ser lido de novo. 
      Sinto-me apoiado por um dos maiores. Depois de tantas crónicas a perorar em nome do talento, que pode estar nos mais jovens, baixos e franzinos, tanto como nos mais velhos, altos e encorpados (que fazem a preferência de uma maioria, não ignoro), surge Valdano, que escreve como pouca gente mas que antes jogou, treinou e dirigiu ao nível de menos gente ainda, a valorizar meninos ladinos feitos de arte - Ansu, Pedri, Rodrygo, Vinicius, Kubo e Yunus - que “desequilibram jogos adultos”, porque “a única coisa realmente adulta é decidir bem, executar com precisão e não ter dúvidas”, para concluir que a sistematização e as regras “fazem dos gregários muito bons gregários, o que é genial, mas fazem dos artistas também muito bons gregários, o que é uma calamidade”. Escreveu em “A Bola”, mas escreveu tão bem que merece ser lido de novo. 
      Sinto-me apoiado por um dos maiores. Depois de tantas crónicas a perorar em nome do talento, que pode estar nos mais jovens, baixos e franzinos, tanto como nos mais velhos, altos e encorpados (que fazem a preferência de uma maioria, não ignoro), surge Valdano, que escreve como pouca gente mas que antes jogou, treinou e dirigiu ao nível de menos gente ainda, a valorizar meninos ladinos feitos de arte - Ansu, Pedri, Rodrygo, Vinicius, Kubo e Yunus - que “desequilibram jogos adultos”, porque “a única coisa realmente adulta é decidir bem, executar com precisão e não ter dúvidas”, para concluir que a sistematização e as regras “fazem dos gregários muito bons gregários, o que é genial, mas fazem dos artistas também muito bons gregários, o que é uma calamidade”. Escreveu em “A Bola”, mas escreveu tão bem que merece ser lido de novo. 
       
      Ainda por cima estamos no país em que Felipe Anderson “só pode” jogar mais vezes no Porto quando defender melhor ou em que Everton Cebolinha anda a fazer treinos a lateral no Benfica (talvez valesse mais a pena que alguns laterais, como os sofríveis Gilberto e Nuno Tavares, treinassem como extremos, embora não acredito que lhes valesse de muito). Não faz sentido que numa equipa grande, particularmente numa dessas, se pense sempre mais no que o jogador pode contribuir sem bola do que pelo que garante com ela. Eu quero é ver Anderson ou Cebolinha a arriscarem em posse, a multiplicarem diabruras que encantam e não a assumirem comportamentos formatados ao alcance de qualquer burocrata. Por isso é bom ver à solta o talento de Pedro Gonçalves no Sporting, Pote de ouro a quem já ninguém reclama “mais experiência”, quando por uma vez os leões foram mais espertos a perceber o que brilhava no fim do arco-íris. E comprovar de novo que o elemento decisivo pode estar num corpo de 1,73m e 68 kg, muito na linha de Bruno Fernandes, o insubstituível que já não é. E também há ouro de brilho verdadeiro em Angel Gomes, o Midas que muda o jogo do Boavista, ou em Ryan Gauld, acima de todos os outros num Farense que já merecia ser feliz. Vale uma aposta que se tivessem mais de 1,80m já eram capas de jornais como alvos de Inverno de um qualquer grande emblema, português ou estrangeiro? 

      Vejo o treinador do Tondela reclamar mais “intensidade” para que o rendimento melhore, como vejo Rogério Ceni chegar ao Flamengo e prometer mais “físico” para pressionar muito e atacar sempre. Interrogo-me se acreditam mesmo que é pelo pulmão que vão melhorar a qualidade de jogo. É que se a maior parte das equipas técnicas estuda pelos mesmos livros e acrescenta idêntica tecnologia complementar – gosto de pensar que é apenas “complementar” – que sentido faz crer que é na condição atlética que se vai fazer a diferença? O segredo está na massa, dizia um antigo anúncio de pizzas. Também aqui está, na massa cinzenta, de quem pensa o jogo e o treina, e na de quem o executa. Por isso, quando lhe perguntaram pela “adaptação física” de James Rodríguez à Premier League, Carlo Ancelotti respondeu que se fosse essa a preocupação teria contratado Usain Bolt. Acrescento que teria perdido aquele que é, de longe, o melhor jogador da equipa.



      Comentários (3)
      Gostaria de comentar? Basta registar-se!
      motivo:
      TI
      Carlos Daniel
      2020-11-14 01h50m por tink
      Mais uma vez concordo com a pretensão e com o tema, mas mais uma vez acho que ficou curto.
      Sobre Conceição, já escrevi por aqui em comentários a notícias sobre o mercado do FC Porto, só há uma pessoa a pecar: quem traz esses artistas! Quando contratou Conceição, o FC Porto contratou uma ideia e um estilo, que não vai mudar. E mesmo na presença da geração de formação mais talentosa da dos últimos anos, não quis mudar de rumo, que levará à saída de todos eles a curto prazo para bri...ler comentário completo »
      TS
      Escrever para elogiar também vale?
      2020-11-13 12h18m por TSN16
      Carlos, muitos parabéns pelo seu espaço de opinião! O talento e o conhecimento estão bem presentes nos seus artigos. E concordando ou não com tudo aquilo que escreve, quem quiser aprender sobre "futebol a sério" vem aqui. A ideia do futebol de ataque, do futebol positivo, de dar protagonismo e ênfase aos génios é, também, a minha ideia. Pese embora entenda que até existam fórmulas contrárias que nos possam conduzir ao sucesso.

      Onde, quanto a mim, não podem mesmo resta...ler comentário completo »
      NM
      2+2 = 4
      2020-11-12 20h27m por nmprongs
      Claro que nem água e objectivo como sempre. Quando dizem que o JJ é o mestre da táctica ou que SC é que sabe, pergunto-me o que é que eles realmente sabem?! O futebol como qualquer desporto evolui mas há coisas que vão ser imortais para sempre.

      Parem de inventar como o Carlos Daniel disse e bem, eu quero é ver o Filipe Anderson (melhor reforço do verão em Portugal) e Cebolinha a espalhar magia, não os quero a defender ou com noções mais que minimas disso. Parem de inventar e...ler comentário completo »
      OPINIÕES DO MESMO AUTOR
      E o tanto que joga Podence? Claro que é mais fácil reparar em Pedro Neto, como antes em Diogo Jota - mesmo se este nunca foi devidamente valorizado antes de Liverpool – porque ...
      15-01-2021 15:10
      A decisão da Supertaça apenas confirmou o que se sabia: o FC Porto não encanta mas tem princípios consolidados e de eficácia comprovada, enquanto no Benfica o ...
      24-12-2020 19:25E2
      As 5 substituições apareceram como uma excepção: em tempo de pandemia, com calendários acelerados, era preciso proteger a integridade dos atletas. Foi a ...
      11-12-2020 13:16E5
      Opinião
      Vénia ao 3º Anel
      Filipe Inglês
      O sítio dos Gverreiros
      António Costa
      O Melhor dos Jogos
      Carlos Daniel
      A preto e branco
      Luís Cirilo Carvalho
      O sítio dos Gverreiros
      António Costa