betclicpt
      Livres Sem Barreira
      Márcio Madeira
      2020/09/15
      E5
      Fui jogador do desporto que nos apaixona. Joguei na distrital e na I Liga. Vivi o melhor e o pior. E em todos os momentos senti sempre que expressava melhor as minhas ideias com as mãos do que com os pés. Aqui vou escrever sobre tudo o que importa saber do jogo de forma livre e sem barreiras
      Era não era?
      O Sporting tinha uma Acuña encravada e não era de agora.
      Foi o acordo possível.
      Também sou da opinião que pudesse valer um pouco mais.
      Mas não muito mais.
      E isto porquê.
      Porque a pandemia meteu a maior parte dos jogadores em saldos.
      O “absurdo” que valiam antes.
      Nada tem a ver com o que valem agora.
      Exceptuando a zona de Almería e  Wolverhampton que não aderiram à campanha de promoções.
      Mas admito que o facto do jogador ser internacional pelo seu país.
      Pudesse render mais “um ou outro milhão".
      Ao contrário do que tenho ouvido dizer.
      Esta desvalorização que se tem vendido nada tem a ver com o facto do argentino treinar à parte.
      Aliás o Sporting geriu o processo da melhor maneira.
      Ou pelo menos da maneira possível.
      Meteu o jogador a treinar à parte enquanto negociava.
      Não correndo riscos com lesões e eventuais processos disciplinares.
      O Sporting não meteu Acuña a correr na estrada.
      Foi Acuña que meteu Acuña a correr na estrada.
      Para publicar nas suas redes sociais propositadamente.
      Ninguém o mandou treinar daquela maneira a não ser ele mesmo.
      Com o intuito de pressionar e despertar a empatia que nunca teve com os adeptos.
      Eu já “vivi” em balneários.
      Sei ou imagino o que traz ao grupo um jogador com este temperamento e a sua vontade de sair.
      Porque a verdade é essa.
      Acuña tinha zero interesse em ficar no Sporting.
      Já se tinha noticiado por outras vezes que queria sair.
      Que não treinava à espera de negociações.
      Portanto não é de agora.
      O lateral esquerdo argentino completa 29 anos em outubro.
      Fez três épocas onde rendeu ao clube três taças.
      Foi utilizado sempre que esteve disponível.
      E sai pelos mesmos valores que entrou.
      Mais coisa menos coisa.
      Portanto o clube tirou o máximo rendimento dele.
      E não conseguindo ganhar dinheiro.
      Também não o perdeu.
      Foi um “aluguer de serviços” bom para todos.
      Gosto dos sportinguistas que hoje dizem que foi mal vendido porque era um jogador que dava tudo.
      O problema foi que muitas vezes dava demais.
      Era assim quando ficava no limite da expulsão por várias vezes.
      Estes últimos anos então até os próprios adversários já se aproveitavam disso para o provocar.
      E quando dava tudo onde não devia.
      Foi assim também no Aeroporto na Madeira.
      Naquela discussão que tão más consequências trouxe ao clube.
      Portanto lembrem-se disso antes de dizer que ele dava tudo.
      Podia e devia ter dado um bocadinho menos em algumas alturas. 
      A sua personalidade e ímpeto também iam ser postos à prova este ano.
      Aliás já o ano passado foram.
      Porque o Sporting tem por esta altura um dos melhores laterais esquerdos portugueses.
      Esse sim valerá bem mais que 10 milhões.
      Como iria o argentino lidar com essa concorrência?
      Ser obrigado como foi o ano passado a jogar noutra posição que não a dele.
      Se bem que nunca se percebeu bem qual a sua posição.
      Alternou entre um defesa que não sabendo fechar dentro atacava muito bem.
      E um extremo que não “tendo golo” defendia com agressividade a sua zona.
      A sua arma mais forte na minha opinião eram os cruzamentos.
      Em 2014 já o era quando o argentino jogava no Ferro Carril Oeste.
      Pois.
      O tempo como sempre dirá quem fez melhor negócio.
      De qualquer forma.
      Ficará sempre na memória o papel abnegado e esforçado que tinha em todos os lances.
      A agressividade que discutia cada bola.
      E a gratidão por ter verdadeiramente suado a camisola.


      Comentários (5)
      Gostaria de comentar? Basta registar-se!
      motivo:
      TI
      Sérgio reis
      2020-09-15 16h29m por tink
      O Benfica fez negócios com o Wolves este verão? Será que se referiu apenas ao Benfica? É verdade que o Benfica contratou o Darwin e que este é a maior compra do futebol português? Será que a venda por 40M do Fábio Silva não estará a ser referida, pois ainda não mostrou valer isso tudo, em plena pandemia?
      Onde é que viu que o autor não é do Benfica?
      FR
      lol
      2020-09-15 15h01m por frame
      Bom texto, bom argumento, porém o titulo é uma infelicidade
      SE
      Sempre assim!
      2020-09-15 14h26m por sergio_reis
      Até num artigo de opinião que nada tem que ver com o Benfica têm que puxar o Benfica para a conversa. Depois admiram-se que só se fale do Benfica. É uma tendência que começa com os próprios adversários. . .
      Bom ponto
      2020-09-15 14h00m por Salgas06
      Gostei da visão racional e objectiva do dossiê Acuña com a qual concordo.
      ZE
      Eheheh
      2020-09-15 13h56m por Ze_Marnoto
      "Exceptuando a zona de Almería e Wolverhampton que não aderiram à campanha de promoções. "

      EXCELENTE!!
      OPINIÕES DO MESMO AUTOR
      Estava na altura de escrever sobre o Cavani não estava? Eu ainda evitei durante alguns anos que foi o tempo que isto tem durado. Mas antes de tudo parece-me importante dizer o seguinte....
      27-08-2020 22:03E18
      Final da Liga Europa. Pouco a dizer sobre o jogo. Apesar de ter sido rico taticamente. Uma primeira parte alucinante onde o Catenaccio não funcionou. E eu acreditei sempre que o ...
      22-08-2020 15:37E2
      Adrien quer muito voltar para o Sporting. E para isso até não se importa de vir ganhar menos. Ao que parece até sondou o Presidente e o Treinador para lhes dar conta da ...
      10-08-2020 15:46E12
      Opinião
      Vénia ao 3º Anel
      Filipe Inglês
      A Coluna é do Silva
      Paulo Silva
      Livres Sem Barreira
      Márcio Madeira
      O sítio dos Gverreiros
      António Costa
      Pontapés na atmosfera
      Pedro Fragoso
      Camisola 10
      Cláudio Soares