O sítio dos Gverreiros
António Costa
2019/12/03
E1
"O sítio dos Gverreiros” é uma coluna de opinião de assuntos relativos ao SC Braga, na perspetiva de um olhar de adepto braguista, com o sentido crítico necessário, em busca de uma verdade externa ao sistema.

A quinta jornada da fase de grupos da Liga Europa trouxe a Braga o Wolves, treinado pelo português Nuno Espírito Santo (NES) e onde atuam vários jogadores portugueses, tais como os internacionais A Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho e Diogo Jota, além dos jovens internacionais lusos Rúben Vinagre e Pedro Neto, que deste modo regressou a uma casa que bem conhece e que foi determinante no seu crescimento como atleta.

O jogo começou de modo equilibrado e bem cedo o SC Braga chegou à vantagem, através de um golo de André Horta. Parecia bem encaminhado o jogo, mas a reação inglesa foi eficaz, conseguindo obter três golos antes do intervalo, sendo os dois últimos separados apenas por um minuto. O conforto inicial deu lugar à resignação entre os adeptos da superioridade do adversário, com um resultado que parecia decidido ao intervalo. A segunda parte começou com uma grande intervenção de Eduardo, que evitou que a desvantagem fosse ampliada, mantendo a equipa dentro do jogo. Entretanto, o central Wallace lesionou-se e teve que sair, entrando para o seu lugar Wilson Eduardo, o que forçou o recuo de Palhinha para central, numa substituição de risco, pois o resultado que se registava, aliado às más notícias provenientes da Turquia, onde o Slovan ia vencendo, adiava a decisão do apuramento para a última jornada, no difícil terreno dos checos. Mas a crença dos Gverreiros do Minho não conheceu limites e a redução da desvantagem para um golo surgiu por intermédio de Paulinho, após uma assistência primorosa de Galeno, o que aumentou exponencialmente a fé braguista na obtenção de um resultado positivo, que acabaria por chegar pela cabeça de Fransérgio, depois de um cruzamento milimétrico de Sequeira.

As bancadas voltavam a explodir de alegria, numa noite fria e chuvosa. O empate que se registava permitia o apuramento das duas equipas, pelo que os riscos corridos até final foram menores e, assim, ambas chegaram ao desejado apuramento para a fase a eliminar. A jornada em falta apenas irá decidir quem passa em primeiro lugar, com a vantagem atual a pertencer aos comandados de Sá Pinto, que lideram o grupo. Entretanto na Turquia o Besiktas, que tinha sido cabeça de série no sorteio, deu a volta ao resultado e obteve os primeiros três pontos. Estava feita justiça com o apuramento das melhores equipas em prova.

O empate 3-3 teve contornos épicos, devido à recuperação efetuada pelos arsenalistas e permitiu que o apuramento fosse concretizado através do recorde de jogos europeus sem perder, que doravante pertence ao Sporting Clube de Braga, com doze encontros consecutivos sem conhecer o amargo sabor da derrota. Parabéns, SC Braga e Ricardo Sá Pinto, pelo notável percurso realizado a nível internacional. Sem sistema e sem condicionamentos estranhos parece mais fácil ganhar lá fora do que cá dentro.

O sorteio da Taça de Portugal ditou a visita do SC Braga ao terreno do Benfica. A sorte que eu tinha pedido não apareceu e o resultado não podia ter sido pior. Resta a consolação de saber que se passar este difícil obstáculo as portas do Jamor começam a abrir-se de modo claro. Haja fé.

Na liga portuguesa, o SC Braga recebeu o Rio Ave e venceu por 2-0. Numa noite fria, a Pedreira viu um golo em cada parte decidir o resultado final. Os tentos foram obtidos por Paulinho e Ricardo Horta, curiosamente os melhores marcadores da época. A tabela classificativa começa a ter alguma normalidade, mas ainda existe um longo caminho a percorrer.

A equipa B do SC Braga, sob o comando de Rúben Amorim, venceu por 4-0 no terreno do Câmara de Lobos (Madeira) e prossegue em zona de apuramento para a fase decisiva. Tem sido muito meritório o trabalho do treinador desde que chegou a Braga para comandar uma equipa que parecia sem rumo.

O futebol feminino continua a sua fase de triunfos, tenho batido desta vez a equipa A-Dos-Francos por esclarecedores 9-0, mesmo que Miguel Santos tenha rodado o onze inicial.

Ao nível da formação destaca-se a goleada de 4-1 obtida pela equipa de sub-15 no reduto do rival V. Guimarães, pois os empates dos sub-19 no berço da nação e dos sub-17 em casa, frente ao Chaves, acabam por saber a pouco.

O futebol de praia viu Portugal sagrar-se Campeão do Mundo, no Paraguai. Na seleção estavam cinco Gverreiros do Minho, que foram influentes na conquista final. Os nomes dos Campeões que jogam pelo SC Braga são: Bruno Torres, André Lourenço, Bê Martins, Leo Martins e Jordan Santos. Parabéns a todos.



Comentários (1)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
Parabéns Braga!
2019-12-06 12h29m por bludouro
Pelos excelentes resultados que os arsenalistas têm vindo a consumar nos relvados e sob as dunas, sem dúvida alguma que o clube da Cidade dos Arcebispos é, de momento, o "quarto grande" de Portugal! Muito tem este feito nas camadas de formação, no futebol feminino e sobretudo na projecção do nome do país além-fronteiras. Apenas resta transpor esse alto rendimento na liga. . .
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
A deslocação do SC Braga à Vila das Aves traduziu-se numa derrota tão inesperada como lamentável, ante um adversário que até então tinha ...
09-12-2019 11:17E2
A semana que antecedeu a eliminatória da Taça de Portugal teve a cidade de Braga envolvida em polémica entre a edilidade e o clube mais representativo, SC Braga. A ...
25-11-2019 17:00
A gala “Beach Soccer Stars 2019”, que decorreu no Dubai, consagrou Jordan Santos como o melhor jogador do mundo de futebol de praia, batendo a concorrência do ...
18-11-2019 15:17
Opinião
O Melhor dos Jogos
Carlos Daniel
O sítio dos Gverreiros
António Costa
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
O Melhor dos Jogos
Carlos Daniel
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência
Hugo Martins