A Odds Scanner analisa odds das eleições presidenciais no Brasil

01/07/2022

A Odds Scanner, conhecida plataforma de comparação de odds desportivas, lançou recentemente uma funcionalidade aplicada às eleições presidenciais brasileiras, que decorrerão no próximo mês de outubro.

Agregando os dados provenientes das principais casas de apostas no Brasil, a ferramenta Live Tracker – Odds das Eleições Presidenciais 2022 leva em conta os elementos nos quais esses dados se baseiam: não apenas sondagens recentes, mas também outros fatores, como o histórico dos candidatos ou notícias recentes que possam influenciar o pensamento do eleitorado.

A plataforma, de forma relativamente semelhante ao que tem sido o “output” das principais sondagens, dá Lula da Silva e Jair Bolsonaro como favoritos destacados às duas primeiras posições, largamente à frente dos restantes.

Entre os demais candidatos considerados estão nomes com candidaturas formalmente apresentadas e também potenciais candidatos que venham a ser considerados nas notícias ou nas sondagens, mesmo sem candidatura formalizada. Entre esses nomes contam-se Ciro Gomes, Luiz Henrique Mandetta, Simone Tebet, Marina Silva, Fernando Haddad, Luciano Huck e até Sergio Mora e João Dória, que já renunciaram publicamente às respetivas candidaturas.

A plataforma atualiza os seus dados a cada 12 horas e promete ser uma excelente fonte de informação para os apostadores brasileiros que tencionem ganhar prémios em dinheiro com os resultados da eleição presidencial do seu país.

Apostas em eleições

As apostas nos resultados de eleições ocupam um nicho interessante em diversos países. Tal como na previsão de resultados desportivos, pede-se aos apostadores que interpretem as circunstâncias que envolvem a decisão e que considerem prognósticos fidedignos sobre qual será o resultado final.

Apostas em eleições não são ainda permitidas pela legislação portuguesa, pelo que as casas de apostas legais nacionais não oferecem este tipo de banca e mercados. Porém, não está fora de hipótese que, num futuro a médio e longo prazo, possa vir a ser possível apostar nos resultados eleitorais mais diversos.

Exemplo de Portugal: Legislativas 2022

No caso das últimas eleições legislativas portuguesas, caso tivesse sido possível apostar legalmente, os apostadores com o prognóstico correto teriam ganho prémios bastante interessantes.

Recorde-se que, a cerca de uma semana do domingo eleitoral, previa-se um empate técnico entre PS e PSD, sem que as sondagens ou a generalidade dos comentadores previssem a possibilidade de maioria absoluta. Foram poucas e isoladas as vozes que detetaram dois fatores decisivos:

  • O eleitorado de esquerda não compreendeu o “chumbo” do orçamento 2022 por parte do PCP e do BE, num cenário de incerteza causado pela pandemia;
  • Boa parte do eleitorado, da esquerda ao centro, receou a possibilidade (deixada em aberto pela liderança do PSD) de um governo de coligação entre o PSD e o Chega.

Odds calculadas em função das sondagens e dos comentários dominantes pagariam prémios altos a quem apostasse numa maioria absoluta do PS. Bastaria que os apostadores estivessem atentos a estes dois fatores.

Mercados eleitorais internacionais

Atualmente existem diversas ofertas de apostas em eleições nas casas de apostas internacionais. Vejamos alguns exemplos:

Próximo primeiro-ministro britânico:

  • Keir Starmer
  • Jeremy Hunt
  • Penny Mordaunt
  • Liz Truss

Vencedor das eleições “mid-term” para a Câmara dos Representantes norte-americana:

  • Republicanos
  • Democratas
  • Sem Maioria

As duas Coreias unem-se num só estado soberano, reconhecido pelas Nações Unidas, até ao final de 2023:

  • Sim
  • Não