Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereo de email. Ir receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

histria
Clubes

Tottenham

2014/03/11 11:09
Texto por Joo Pedor Silveira
l0
E0
O Tottenham Hotspur Football Club, mais conhecido entre nós somente como Tottenham e na Inglaterra por Spurs, é um dos grandes clubes de futebol inglês, com sede na zona norte de Londres, curiosamente, a pouca distância do seu eterno rival, o Arsenal FC.

Ao longo da sua gloriosa história, o Tottenham pode gabar-se de diversos feitos conquistados, como ter sido o primeiro clube de Londres e de todo o sul de Inglaterra a vencer a FA Cup, ou ser o primeiro inglês a conquistar uma competição europeia, no caso, a Taça dos Vencedores das Taças, ganha em 1963.

O Tottenham bate o Sheffield United por 3x1 na final da FA Cup em 1901.
Em White Hart Lane, joga uma das equipas mais carismáticas do país. Com as míticas camisolas brancas como lírios brilharam Terry Dyson, Danny Blanchflower, Jimmy Greaves, Osvaldo Ardilles, Ricardo Villa, Glen Hoodle, Gary Lineker, Paul Gascoigne, Jürgen Klinsmann, Gareth Bale...

Catequese, Shakespeare, um candeeiro 

A história do Tottenham Hotspur começa na segunda metade do século XIX, quando um grupo de praticantes do Hotspur Cricket Club, que também estudavam na catequese em Hallows, resolveram fundar um clube de futebol, para conseguirem praticar um desporto durante o Inverno.

A tradição aponta que o nome Hotspur (1) provenha do Duque de Northumberland, Sir Henry Percy, conhecido como Harry Hotspur, um nobre cavaleiro que viveu na rude e violenta Inglaterra do século XIV, famoso pelos seus feitos e a sua coragem, que morreu na Batalha de Shrewsbury em 1403, quando liderava uma revolta contra o rei Henrique IV.

A sua vida, a revolta que liderou e o drama do desfecho final, inspiraram a primeira parte da peça de William Shakespeare, «Henrique IV», uma das mais icónicas peças do bardo de Stratford-upon-Avon. 

A fama da impetuosidade de Hotspur, a coragem que sempre demonstrara em batalha, levaram a que o mote adotado pelos rapazes fosse Audere est facere (2), o galo de luta seria o símbolo escolhido, reforçando ainda mais a ideia de bravura.

Nessa Terça-Feira 5 de Setembro de 1882, nascia no norte de Londres, mais propriamente em Tottenham - onde Hotspur e os seus descendentes detinham propriedades - um novo clube de futebol: the Hotspur Football Club, que em 1884 mudou o seu nome para Tottenham Hotspur Football and Athletic Club para evitar alguma confusão com um já existente Hotspur FC.

A história coloca esse momento fundador na sombra de um candeeiro de rua, precisamente do outro lado da rua, onde atualmente se encontra a loja dos Spurs na High Street Tottenham.

Nas Marshes, o começo da rivalidade

A «primeira casa» dos spurs ficava localizada nas Tottenham Marshes, uma região semi florestada, semi pantanosa, na margem norte do Tamisa, com alguns descampados e zonas relvadas, onde foram improvisados alguns campos de futebol.

As Tottenham Marshes foram a «primeira casa» dos spurs e o lugar onde se disputou o primeiro dérbi com os gunners.
Durante os primeiros anos, os jogadores do clube reuniam-se nos relvados e campos públicos das Marshes, e seria precisamente lá que o Tottenham defrontou pela primeira vez o seu arquirrival Arsenal, então ainda conhecido como Royal Arsenal. Os spurs venciam por 2x1 quando o árbitro interrompeu a partida, pois já não havia luz suficiente para jogar. Os jogadores dos spurs queixaram-se em vão que os jogadores do Arsenal é que tinham chegados atrasados... Assim começava a intensa rivalidade.

White Hart Lane e Lillywhites

Diversos clubes jogavam nas Marshes, o que provocou confrontos ocasionais entre grupos de jogadores que queriam jogar nos melhores campos. Por outro lado, o número crescente de adeptos nos jogos, tornou as Marshes em locais exíguos para a realização de partidas de futebol.

Em 1898, o clube mudou-se para Northumberland Park, onde começou a cobrar bilhetes às multidões que cada vez mais acompanhavam os jogos dos spurs. Um ano depois, o número crescente de adeptos provocou nova mudança para cento e cinquenta metros abaixo na rua, onde o Tottenham encontrou uma nova casa em White Hart Lane, a casa.

É também nessa época que o clube adopta as famosas camisolas brancas e calções azul-marinhos, numa homenagem ao campioníssimo Preston North End. É desde essa época, que os spurs passam também a ser conhecidos como lilywhites (3), tal e qual eram conhecidos os jogadores do Preston.

A primeira conquista

Em 1900 os spurs conquistaram a Southern League, que como o nome indica, era disputada por clubes do sul de Inglaterra. O monopólio do futebol inglês estava a norte e o clube londrino não podia participar nas provas organizadas pela the Football League, a entidade responsável pela organização da Liga Inglesa. 

1921: A segunda conquista da Taça de Inglaterra.
Para surpresa de muitos, o Tottenham chega à final da FA Cup - destinada a todos os clubes ingleses, profissionais ou não profissionais - e empata a duas bolas com o Sheffield no Crystal Palace em Londres, obrigando a um segundo jogo em Bolton, no Burnden Park, onde os «brancos» deram a volta ao resultado depois de estarem a perder por 0x1 ao intervalo, levando a Taça para casa (3x1), tornando-se no primeiro, e até hoje, único clube não inscrito na Liga a vencer a competição desta a formação da the Football League.

Em 1908/08, depois do segundo lugar conquistado na Second Division, o Tottenham venceu a eleição de promoção à First Division, estreando-se no ano seguinte no primeiro escalão do futebol inglês.

Até ao começo da «Grande Guerra» o clube arrastou-se pelo fundo da tabela. Quando o campeonato é interrompido em 1915, o Tottenham encontrava-se em último lugar na tabela.

A rivalidade com o Arsenal 

A vizinhança com os gunners com quem dividem a ladeira que desce de Hampstead em direção ao Tamisa, já pressupunha uma certa rivalidade, mas a rivalidade tornou-se inimizade eterna em 1919, quando o Arsenal foi beneficiado por uma decisão de secretária que prejudicou o Tottenham. Os spurs nunca mais esqueceram...
 
O campeonato estava interrompido desde 1914, por culpa da Grande Guerra. Com a paz, voltaram as competições. Foi então que a direção da Liga quis alargar o campeonato da primeira divisão de 20 para 22 equipas, e a solução natural seria promover mais dois clubes da segunda divisão, sem ser necessário descer nenhuma equipa do principal escalão.
 
Os dois últimos classificados da última edição do campeonato tinham sido: o Chelsea e o Tottenham. Contudo, o Liverpool e o Manchester United tinham combinado um resultado para prejudicar o Chelsea, e a Liga, para resolver o imbróglio jurídico resolve pôr de lado as classificações para se encontrarem as duas equipas para preencher as vagas disponíveis. 
 
Danny Blanchflower, herói maior do clube na sua era dourada.
Em vez de subirem o terceiro e o quarto, resolveram manter o Chelsea e sortear a outra equipa que iria participar. O presidente do Liverpool (McKenna) era o presidente da Liga e muito próximo do manager do Arsenal (Norris), que acabara o último campeonato da segunda em quinto lugar.
Por ideia do primeiro, com o apoio do segundo, organizou-se uma votação fraudulenta, com a campanha a ser inquinada para apoiar o Arsenal em detrimento do Tottenham, baseando a argumentação na ideia de que os gunners eram um membro mais antigo da liga que os spurs.

A verdade é que o argumento esquecia deliberadamente o Wolverhampton Wonderers, um dos interessados, que acabara o campeonato da II Divisão à frente dos londrinos e que era um dos membros fundadores da liga... O Arsenal subiu e nunca mais desceu de divisão, o Tottenham despromovido, nunca mais esqueceu a trapaça, os nomes de McKenna e Norris nunca mais foram esquecidos em White Hart Lane.
 
Primeiro título
Um ano depois o Tottenham regressou ao convívio dos grandes e na época seguinte festejou a conquista da sua segunda Taça de Inglaterra. Segundos classificados em 1922, os spurs voltaram a entrar num declínio que culminou em nova despromoção em 1928. 

A 3 de Setembro de 1939, em sequência da invasão alemã da Polónia, a Inglaterra declarava guerra ao III Reich. O futebol ficaria em suspenso até ao fim da Segunda Guerra Mundial no verão de 1945. O Tottenham só voltaria ao top flight (4) em 1950, para conseguir sagrar-se pela primeira vez campeã de Inglaterra, precisamente um ano depois de ter conquistado a Second Division.

«The Glory years» (5)

Um ano depois, o título seria ganho pelo Manchester United, por goal average, frustrando o histórico bicampeonato da equipa de Arthur Rowe, o treinador que foi o grande impulsionador do push and run, o futebol atlético e dominador que a equipa dos spurs apresentava no pós-guerra. 

1963: O Tottenham Hotspur goleia o Atlético Madrid por 5x1 e vence a Taça dos Vencedores das Taças.
A um novo declínio, sucederia a época de glória dos spurs, que passou à história como «The Glory Years» que começa em 1958, com a chegada de Bill Nicholson ao comando dos rapazes de White Hart Lane. 

Com o treinador natural de Scarborough, o Tottenham conquistaria um Campeonato, três Taças, Quatro Supertaças, Uma Taça das Taças e uma Taça UEFA, além de outras posições de destaque.

Nicholson resolveu criar uma equipa em volta de Danny Blanchflower - que chegara em 1954. Este fazia par com Mackay, à frente da defesa composta normalmente por Norman, Henry e Baker, já a baliza era entregue a Brown. Na frente, um «quinteto» que deixava a Grã-Bretanha em sentido: Dyson, Allen, Smith, White e Jones. Seria este o «onze» que conquistaria a histórica dobradinha de 1961 e que na época seguinte chegaria às meias-finais da Taça dos Campeões, sendo eliminado pelo Benfica no meio de alguma polémica. 

O insucesso na Europa tinha os dias contados. Já com Jimmy Greaves e Terry Medwin, o Tottenham goleou o Atlético Madrid com um estrondoso 5x1, conquistando a Taça dos Vencedores das Taças, a primeira vitória de um clube inglês nas competições da UEFA. Com Greaves - que fora aquirido ao Chelsea - o Tottenham tornou-se uma das equipas mais temidas da Inglaterra e da Europa. O avançado apontou 220 golos em 321 jogos com a camisola branca, tornando-se uma referência da história do clube.

A nova era

Bill Nicholson abandonava White Hart Lane em 1975, dois anos depois chegava Keith Burkinshaw, e com ele um novo paradigma do futebol dos «brancos». O novo treinador começou por rejuvenescer a equipa. Em 1978, duas semanas depois de ter acabado o mundial na Argentina, que a equipa da casa vencera, Burkinshaw partiu para o «país das pampas», onde contratou Osvaldo Ardiles, o craque da seleção albiceleste, a preço de saldo. 

E enquanto assinava o contrato com o médio, este perguntou se não conhecia de algum clube interessado em Ricardo Villa, que fora campeão do Mundo juntamente com ele. Burkinshaw ligou para Londres e a troco de 700 mil libras, uma pechincha para a época, trouxe os dois argentinos para White Hart Lane. 

Gazza e Lineker, a dupla que fez sonhar os adeptos do Tottenham.
Com os argentinos, mas principalmente com Ardiles, Burkinshaw criou uma equipa - onde brilhavam também Glenn Hoodle e Steve Archibald - que se tornaria uma referência do futebol inglês dos anos 80.

Entre 1981 e 1984, os londrinos conquistaram duas Taças de Inglaterra e uma Taça UEFA, e três anos depois chegaram a nova final da FA Cup, já sem Burkinshaw e com um meio campo de luxo formado por Hoddle, Ardiles, Hodge, Allen e Waddle, acabaram vencidos pelo Coventry City por 2x3 em Wembley, numa das grandes surpresas da história da competição. 

Alan Sugar e Veenables

Com a antiga glória do clube Terry Veenables no leme da equipa, o Tottenham tentou ressurgir, contratando alguns dos mais celebrados e promissores jogadores do país. Em 1988 chegou Paul Gascoigne, um ano depois era a vez de Gary Lineker, bem reforçados, os spurs voltaram a encantar com bom futebol e bons resultados. Faltavam os títulos e começava a escassear o dinheiro...

A crise financeira e a ameaça de bancarrota levou ao afastamento do chairman Irving Scholar, substituído pelo magnata Alan Sugar, amigo de Veenables. Sob o signo de Sugar os problemas internos surgiram. Estalou o verniz entre Veenables e Sugar, e o chairman indicou a porta da saída ao treinador, com tribunal e acusações na praça pública pelo meio e suspeitas graves sobre comissões recebidas pelo treinador em transferências efetuadas no clube...

Gazza, depois de uma lesão gravíssima, saiu para a Lazio, a troco de muitas libras. E Sugar tentou tapar o vazio com novas contratações sonantes como Jürgen Klinsmann, o romeno Dumitrescu e mais tarde o ucraniano Sergej Rebrov, que então foi a terceira mais cara contratação de sempre no futebol britânico.

O novo Milénio e novos sonhos

Com o novo Milénio Sugar abriu mão do poder e vendeu grande parte da sua quota à ENIC. O clube passou a ser cotado em bolsa e o projeto inicial da nova administração era estabilizar financeiramente o clube.

Gareth Bale não conquistou nenhum título com a mítica camisola branca, mas deixou White Hart Lane com os cofres cheios...
No leme os treinadores foram se sucedendo: Hoodle, Santini, Jol, Ramos, Redknapp... todos falharam para conseguir rentabilizar em conquistas os nomes sonantes que eram colocados à sua disposição. 

Em 2010 chegou a primeira presença na Champions League, onde os spurs chegaram depois de eliminar os suíços dos Young Boys na pré-eliminatória. Seguiu-se a vitória num grupo com Inter Milão, Werder Bremen e Twente. Nos oitavos, uma vitória em San Siro por 0x1 bastou para eliminar o AC Milan. O sonho chegaria ao fim com uma derrota por 4x0 contra o Real Madrid de José Mourinho, acabando semanas depois, com a derrota por 0x1 em White Hart Lane. Apesar da eliminação, nomes como Luka Modric e Gareth Bale ficaram nas «bocas do Mundo» e tornaram-se alvos privilegiados do Real Madrid, ambos, com a distância de um ano, chegaram ao Santiago Bernabéu, o último dos quais depois de uma transferência milionária, que ultrapassou os cem milhões de euros...

Harry Redknapp saiu em 2012, vergado pelos resultados, ou pela ausência dos mesmos. Sucedeu-lhe o português André Villas-Boas, que apesar do começo promissor, acabou por sofrer mesmo destino, substituído por Tim Sherwood, em sequência de um conjunto de derrotas pesada. 

--------------------------------------------------------
(1) - Fogoso, impulsivo, impetuoso.
(2) - Ousar é fazer.
(3) - Lírios brancos.
(4) - Primeiro escalão.
(5) - Anos de Glória.

Comentrios (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Estdio
White Hart Lane
Lotao36284
Medidas100 x 67 m
Inaugurao1899