história
Clubes

Gent

Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
O Koninklijke Atletiek Associatie Gent, também conhecido entre nós, e no mundo francófono, como La Gantoise, é um clube belga, com sede na belíssima cidade de Gante [Gent em neerlandês; Gand em francês] na Flandres Oriental. 

Clube antiquíssimo, nasceu em 1864, como um clube de ginástica, com o nome de Association Athlétique La Gantoise. Nos anos seguintes o La Gantoise alargou a prática desportiva a diversas modalidades como o atletismo, o boxe, a natação, o ciclismo, polo aquático, críquete, esgrima, jogo das palmas (jeu de paume) e ténis.

Chega o futebol

O futebol chegou à cidade na última década do século XIX, mas só chegaria ao clube em 1900, já quatro anos depois do La Gantoise se ter juntado a outros nove clubes para formar a Union Belge des Sociétés de Sports Athlétiques (UBSSA).

Diversos clubes pequenos surgiram pela cidade, destacando-se entre eles o Racing Club Gantois, fruto de uma fusão, que o transformou no maior clube da cidade e no futuro rival do KAA Gent.

Em 1900, um grupo de estudantes do Colégio Melle, nos arredores da cidade, resolveu criar a secção de futebol do clube. O seu primeiro presidente foi Hector Priem e os jogos eram disputados no Carpentierplein. O preto e o branco foram as cores escolhidas, mas quando o clube se inscreveu na federação a 31 de outubro de 1900, para receber o número de inscrição número sete, já as cores tinham mudado para o atual azul e branco.

O Omnium Sporting Club foi o primeiro adversário, num jogo que teve lugar a 15 de novembro do mesmo ano, mas a que não nos chegou o resultado final.

Em janeiro houve o primeiro embate com o rival Racing, que saiu vencedor dérbi com uma impensável goleada de 10x0... Tal era a diferença de valor entre as duas equipas nesse tempo...

Índios, cobóis e bolas de futebol

Cinco anos mais tarde o grande herói do oeste americano, William Frederick Cody, universalmente conhecido como Buffalo Bill, passou pela cidade de Gante com o seu circo itinerante, o lendário Buffalo Bill Wild West Show, um espetáculo de vaudeville que apresentava índios e cowboys, animais selvagens, perseguições e jogos, que encantavam multidões por toda a Europa, com o imaginário dos fora-da-lei do faroeste. A tour entrou na Bélgica em Setembro de 1906 e depois de ter passado por cidades como Bruxelas e Antuérpia, chegou a Gante, onde permaneceu nos dias 20 e 21.

Entre as diversas acrobacias e atuações, um jogo de futebol com os jogadores a chutarem bolas gigantes enquanto montavam os seus cavalos conquistou a plateia em geral e os jogadores e adeptos do clube em particular, ao ponto de a partir desse dia se batizarem como De Buffalos, os Búfalos. Nascia a improvável ligação entre um pequeno clube flamengo e o grande herói do oeste selvagem.

Crescimento e as guerras

Durante os primeiros anos a equipa disputava a segunda divisão belga, tendo subido mais tarde para a primeira. Em 1904 trocou o campo de Carpentierplein pelo de Mussenstraat e aí permaneceria até à exposição mundial de 1913, quando os terrenos de Mussenstraat foram utilizados para a Expo, obrigando o clube a mudar-se para Albertlaan, onde além do campo, existiam campos de treinos, courts de ténis e pista de atletismo. O campo seria a casa do clube até 1915, quando durante a Primeira Guerra Mundial, o estádio ardeu por completo. 

Meses antes do começo da guerra o clube recebeu o título real, passando a ser conhecido como Association Royale Athlétique La Gantoise (ARA La Gantoise) e seria com esse nome que disputou a Primeira Liga em 1913/14.

A invasão alemã da Bélgica, em Agosto de 1914, que provocou a entrada da Grã-Bretanha na guerra ao lado de franceses e russos, deixou o país em suspenso.

Durante os quatro anos que durou o conflito, a Bélgica encontrava-se ocupada em mais de 9/10 do seu território, restando uma pequena faixa na Flandres, junto à fronteira francesa. Gande ficou debaixo da ocupação alemã até ao fim do conflito, tendo felizmente sido poupada a grande destruição.

O futebol só voltou à cidade depois do fim do conflito. O La Gantoise, que haveria de ser despromovido para a segunda divisão, mudou-se para Gentbrugge, onde nasceu o Jules Ottenstadion, que seria a casa dos búfalos até ao século XXI.
 
Só voltaria ao primeiro escalão em 1936, mas a situação voltaria a piorar, com o começo da Segunda Guerra Mundial em 1939. Tal como em 1914, o plano da ofensiva alemã em direção à França passava por cima da Bélgica, que desta feita caiu em poucos dias, ficando nas mãos dos nazis até à libertação pelos aliados no dia 6 de setembro de 1944, a data em que a divisão motorizada do VII exército inglês, os famosos «ratos do deserto», liderada pelo General Bernard Montegomery entrou na cidade. Tal como em 1918, a cidade felizmente tinha sido poupada a grande destruição e bombardeamento. 
 
Subidas e descidas
 
Seria só nos anos 50 que o La Gantoise se tornou uma presença habitual no primeiro escalão, apresentando aquelas que seriam as melhores equipas durante décadas. Em 1954 terminou pela primeira vez no pódio, empatado com o Malinois e com menos um ponto que o campeão Anderlecht. Em 1955 terminou a época em segundo lugar, apenas a três pontos do campeão.
 
O primeiro título só chegou em 1964, mas não seria o Campeonato e sim a taça, que lhe deu direito a participar na Taça das Taças, onde seria eliminado logo na primeira ronda pelo West Ham United. Três anos mais tarde o La Gantoise seria despromovido, e ao fim de três décadas abandonava o convívio dos grandes.
 
Regressando de pronto à Primeira Divisão, o clube acabaria por mudar a sua denominação de francês para neerlandês, passando a ser oficialmente conhecido como Koninklijke Atletiek Associatie Gent (KAA Gent).
 
A mudança do nome iniciou uma nova era no clube, com nova despromoção ao segundo escalão, de onde seriam novamente despromovidos para o terceiro em 1974, de onde saíram na época seguinte.
 
O regresso ao topo só seria em 1980, com a equipa a conseguir manter-se na primeira metade da tabela e conseguindo apurar-se para as competições europeias em quatro ocasiões, numa delas através da Taça, conquistada novamente em 1984.
 
Recomeço e glória
 
Despromovido em 1988, o clube regressou logo à Primeira Divisão, para iniciar o mais longo período de presenças ininterruptas no primeiro escalão.
 
Marc Mortier foi o homem que renovou a equipa, conseguindo novos patrocínios e recuperando as finanças do clube. Para o banco chegou René Vandereycken que com jogadores como Frank Dauwen, Eric Viscaal e Erwin Vandenbergh, conduziu a equipa ao terceiro lugar, garantindo nova "aventura" europeia na Taça UEFA de 1991, onde depois de eliminar o Lausanne, Eintraicht Frankfurt e Dynamo de Moscovo, o Gent acabou eliminado nos quartos-de-final da competição pelo todo-poderoso Ajax de Amesterdão.
 
Até ao final da década o Gent passou por dificuldades desportivas, terminando sempre pouco acima da «linha-de-água», mas na viragem do milénio voltou ao topo, conseguindo nova qualificação para a UEFA.
 
Com resultados cada vez mais positivos, os búfalos venceram a taça pela terceira vez em 2009 e inauguraram o novo estádio em 2013, a Ghelamco Arena. O ponto mais alto da carreira chegou a 21 de maio de 2015, quando o Gent arrebatou o título de campeão nacional belga, vencendo a Jupiler League pela primeira vez na sua história.
 
Meses depois, na Liga dos Campeões, os búfalos superaram todas as expectativas e qualificaram-se em segundo lugar num grupo com Zenit, Valencia e Olympique Lyon, garantindo uma histórica estreia nos oitavos de final da competição.
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...
Tópicos Relacionados
Equipa
Estádio
Ghelamco Arena
Lotação20000
Medidas-
Inauguração2013