história
Clubes

Dinamo Zagreb

Texto por Mário Rui Mateus
l0
E0
HSK Gradanski e HASK

Para se falar na história do Dinamo Zagreb é necessário recuar ao início do século XX e falar de dois dos primeiros e mais bem sucedidos clubes croatas: HSK Gradanski e HASK.

Em 1903, na cidade de Zagreb, um grupo de nove estudantes fundou o Hrvatski Akademski Sportski Klub (HASK), uma equipa estudantil e ligada à classe alta. Em 1911, o a mesma localidade viu nascer o Prvi Hrvatski Gradanski Sportski Klub (HSK Gradanski), formação amplamente apoiada pela classe trabalhadora.

Ambos os emblemas se tornaram os mais famosos em Zagreb e foram os principais dinamizadores do futebol croata e no Reino da Jugoslávia. No entanto, o HSK Gradanski acabou por ser o clube mais bem sucedido, tendo conquistado cinco títulos de campeão jugoslavo (1923, 1926, 1928, 1937 e 1940) no período entre o pós-I Guerra Mundial e o pré-II Guerra Mundial.

II Guerra Mundial e nascimento do Dinamo Zagreb

Após a invasão e dissolução do Reino da Jugoslávia, por parte das Potências do Eixo (Alemanha, Itália e Japão), o futebol nos balcãs foi afetado. Apenas a Croácia (apoiante do Eixo) gozava de alguma paz e organizava competições nacionais: em quatro edições da liga nacional (entre 1941 e 1944), apenas duas foram concluídas e uma delas foi ganha pelo HSK Gradanski.

Terminada a II Guerra Mundial, o HSK Gradanski e os rivais HASK e Concordia Zagreb foram extintos pelo novo governo comunista. Esta decisão deveu-se ao facto de os clubes participarem numa competição patrocinada por governos e ideiais fascistas e nacionalistas. 

©Getty /
Para contornar esta situação, o governo decidiu fundar um novo clube, uma nova potência do futebol de Zagreb. Então, a 9 de junho de 1945, foi fundado o Fiskulturno Drustvo Dinamo. No entanto, esta nova equipa nunca foi capaz de quebrar as ligações aos antecessores: herdou cores (vermelho e azul), adeptos, treinador, staff, alcunha, símbolo (muito semelhante) e o Stadion Koturaska do HSK Gradanski, bem como jogadores de ambas as equipas. Em 1948, o Dinamo mudou-se para Stadion Maksimir, antiga casa do HASK, no qual se mantém até aos dias de hoje.

Big-4 do futebol jugoslavo

Com esta nova cara, o Dinamo juntou a nata do futebol croata e transformou-se numa das melhores equipas da Jugoslávia- Manteve-se sempre na I Divisão (1946-1991), tendo colecionado um total de quatro Campeonatos e seis Taças da Jugoslávia.

A par do Dinamo, também os croatas do Hajduk Split eram uma das grandes forças futebolísticas na Jugoslávia, algo que iniciou uma grande rivalidade (os seus jogos são conhecidos como ‘Dérbi Eterno’ ou ‘Dérbi Croata’). Os duelos com os sérvios do Partizan e do Estrela Vermelha, as outras potências, também eram embates importantes.

A nível internacional, marcou presença em algumas edições da Taça das Taças, da Taça dos Campeões Europeus e Taça UEFA. O seu ponto mais alto na Europa foi em 1966/67, quando bateu o Leeds United (2x0 e 0x0) e conquistou a Taça das Cidades com Feira.

Depois do sucesso interno e europeu, os anos 70 trouxeram uma seca de títulos, que conheceu o final nos anos 80, com o regresso aos títulos domésticos (uma Liga e uma Taça da Jugoslávia). Nota também para 1986, ano que marcou a fundação dos Bad Blue Boys, a principal claque do clube. Apesar das multas e castigos que o clube levou, devido ao comportamento indevido da claque (hooliganismo, violência, racismo), o seu fanatismo, amor e lealdade constituem um grande trunfo para o desempenho desportivo do Dinamo.

Pós-Jugoslávia: HASK-Gradanski e Croácia Zagreb

A Jugoslávia colapsou e a Croácia conheceu o sabor da independência. No futebol, foi fundada a Liga Croata, para qual o Dinamo muito contribui e na qual muito lucrou (19 títulos).

©Rodrigo Coimbra
Além destes acontecimentos marcantes, o início dos anos 90 ressuscitaram um tema que sempre criou algumas divisões e dúvidas: a data de fundação e nome do clube. Os adeptos e diversas figuras do clube nunca aceitaram 9 de junho de 1945 como a data oficial da fundação do Dinamo, mas sim 26 de abril de 1911, o dia em que foi criado o HSK Gradanski. Devido a todas as heranças, a linha de ligação ao Gradanski (e ao HASK) nunca foi quebrada e ainda hoje o Dinamo reconhecem 1911 como o verdadeiro ano da fundação.

Outro dos assuntos que gerava desconforto era o nome. Como tal, a 26 de junho de 1991, o Dinamo passou a chamar-se HASK-Gradanski, numa homenagem aos clubes fundadores. Contudo, a 24 de fevereiro de 1993, o clube passou a chamar-se Croácia Zagreb, algo visto como uma jogada política que enfatizava a independência da Croácia e o distanciamento do seu passado comunista.

A instabilidade nominal e da data de fundação em nada alterou o trajeto vencedor do emblema da capital croata que, entre 1992 e 2000, arrecadou: seis Ligas e quatro Taças da Croácia.

Domínio do futebol croata

No novo milénio, o principal emblema de Zagreb cimentou o estatuto de clube mais titulado do futebol croata (19 Campeonatos, 15 Taças da Croácia e 5 Supertaças), sem nunca ter descido à II Divisão. A nível internacional, passou a ser uma presença regular nas Fases de Grupos da Liga dos Campeões e da Taça UEFA/Liga Europa.

Quanto ao nome, esse continuou a mudar. Em 2000, a vontade dos adeptos imperou e o clube voltou a denominar-se Dinamo Zagreb. Em 2011 (nome que se mantém), o passado voltou a ser repescado para o presente e o nome passou a ser Gradanski Nogometni Klub Dinamo Zagreb.

©Getty / Dan Istitene
Outro pormenor que começou a saltar à vista foi a formação. O emblema croata revelou-se um viveiro e exportador de talentos para a alta roda do futebol europeu: Luka Modric (21M para o Tottenam), Eduardo da Silva (13,5M para o Arsenal), Vedran Corluka (13M para o Man.City), Sime Vrsaljko, Niko Kranjcar, Alen Halilovic (5M para o FC Barcelona), Andrej Kramaric, Mario Mandzukic (7M para o Wolfsburgo), Dejan Lovren (8M para o Lyon), Mateo Kovacic (11M para o Inter), Marko Pjaca (23M para a Juventus), Ante Coric (6M para a AS Roma), Milan Badelj ou Igor Biscan (8,25M para o Liverpool) foram algumas das pérolas.

Para estes grandes negócios do Dinamo muito contribuiu Zrdravko Mamic, antigo diretor executivo e conselheiro do clube (entre 2003 e 2016). No entanto, Mamic acabou por ser condenado a seis anos e meo de prisão por lesar o estado e alguns jogadores aquando das suas transferências.

 
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...
Tópicos Relacionados