Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

ValenciaEspanha
EspanhaMálaga
Schalke 04Alemanha
AlemanhaBayern München
BolognaItália
ItáliaInternazionale
história
Clubes

Belenenses

2011/09/23 17:17
Texto por João Pedro Silveira
l0
E17
O «antes do golo de Martins» e o «depois do golo de Martins»

Há um «antes de Cristo» e um «depois de Cristo» na História do Belenenses. Esse momento, chegou no dia 24 de Abril de 1955. Era um dia de sol, o ambiente era de festa, os adeptos belenenses enchiam as bancadas das Salésias em forte apoio ao Belém. O jogo corria de feição. Os azuis venciam o tetracampeão Sporting por 2x1. Os leões jogavam apenas pelo orgulho, já que não tinham possibilidades matemáticas de serem campeões, ao contrário do Benfica que podia ser campeão se os azuis escorregassem.
 
Começavam a estoirar foguetes no ar, quando a quatro minutos do fim, o leão Martins restabelece o empate a dois. Pouco depois termina a partida e acaba o sonho dos de Belém. O avançado leonino chora e pede desculpas a Carlos Silva pelo golo que acabara de marcar. Os azuis choram copiosamente, Matateu inconsolável, lembrava o remate que ele jurava que tinha ultrapassado a linha de golo e que seria o 3-1.
 
O Belenenses perdia a possibilidade de conquistar o seu segundo Campeonato Nacional. Os azuis encerravam um ciclo da sua história, nunca mais estariam tão perto do céu. Começava um longo e penoso declínio de um clube que era um dos grandes e passou a ser o quarto grande, para um dia mergulhar nas profundezas do segundo escalão...
 
Artur José Pereira
 
Depois do Sport Lisboa ter-se mudado para Benfica, que Belém não tinha nenhum clube. Um dos bairros nobres da cidade que tinha dado tantos grandes jogadores à cidade de Lisboa e ao país, não tinha um digno representante.
 
Artur José Pereira, o primeiro grande jogador do futebol lusitano, consideraro o melhor jogador português até aos anos 30, fora um dos pioneiros que acompanhara o Sport Lisboa para Carnide, e que mais tarde jogara no Sporting. Sonhava em criar um clube em Belém, para o bairro e para as suas gentes. Jogava então de leão ao peito, mas em Belém tantos o ouviam lamentar-se: “Somos todos de Belém, porque havemos de jogar pelos ’outros’?"
 
Decidido a fundar um novo clube, mas ainda ligado ao Sporting, resolve falar com Jorge Vieira, para este sondar o capitão leonino Francisco Stromp, e saber se este ficava muito zangado com a saída dele para fundar um novo clube.
 
A resposta do capitão dos leões foi peremptória: "Olha Jorge, diz a esse gajo que vá à merda e que funde o tal clube de Belém."
 
Raízes belenenses
 
O Clube de Futebol «os Belenenses» nascia a 23 de Setembro de 1919, num banco de jardim em frente ao Palácio de Belém, junto da estatua de Afonso de Albuquerque.
 
Belém tinha sido o berço do Sport Lisboa, e como seria de esperar, os belenenses eram na sua esmagadora maioria adeptos do Benfica. Mas com o surgimento do novo clube, e seguindo a estrela de Artur José Pereira, rapidamente o Belenenses tornou-se no clube mais amado da zona.
 
Os primeiros anos foram de sucessos discretos, mas em 1925/26 surgia o primeiro Campeonato de Lisboa. No ano seguinte conquistava-se o primeiro campeonato de Portugal. Os títulos surgiam em catadupa... Campeão lisboeta em 1929 e 1930, vencedor do Campeonato de Portugal novamente em 1929, os azuis rivalizavam com Sporting, Benfica e FC Porto pela supremacia do futebol nacional.
 
Ao contrário dos seus rivais, os de Belém mantiveram sempre um contacto apertado com as gentes do seu bairro, ao ponto de se tornar um hábito no clube soltar pombos-correios no final de cada partida disputada fora, com o intuito de  avisar os adeptos que não tinham acompanhado a equipa.
 
As Salésias e Pepe
 
Em 1928 os azuis trocavam o velhinho e desactualizado Campo do Pau do Fio pelo Campo das Salésias, que seria a casa do período áureo do futebol dos da Cruz de Cristo.
 
Três anos mais tarde a tragédia abateu-se sobre o clube, quando José Manuel Soares, conhecido no mundo do futebol como Pepe, a grande estrela do clube e do futebol português de então, prematuramente perdeu a vida.

Com apenas 23 anos, falecia a mais cintilante estrela do clube, titular indiscutível da selecção e que estivera na célebre presença nacional nos Jogos Olímpicos de 1928, um jogador que já arrastava multidões atrás de si, só para vê-lo jogar.
 
Foi construído nas Salésias um busto, mais tarde trasladado para o Restelo, onde o FC Porto deixa sempre uma coroa de flores em honra da sua memória sempre que visita o Belenenses, em agradecimento os lisboetas entram em campo com uma bandeira portista sempre que visitam o reduto do dragão.
 
Depois do adeus de Pepe, os títulos regressaram em 1932 (Campeonato de Lisboa) e 1933 (Campeonato de Portugal) e o Belenenses manteve-se sempre no topo do futebol nacional discutindo os troféus.
 
As Torres de Belém
 
Depois da Taça de Portugal conquistada com brilho em 1942, aos azuis só faltava conquistar o Campeonato da 1ª Divisão. A glória chegaria por fim em 1946. 
 
Era uma equipa que ficou na história do Belenenses e do futebol nacional: Capela na baliza, guardado pelas Torres de Belém, Feliciano e Vasco, cada uma mais imponente que a outra; o miolo era composto por Amaro, Mário Gomes e Serafim; na frente um quinteto de luxo: José Pedro, Armando, Rafael, Quaresma e Andrade.
 
Era o tempo dos «quinze minutos à Belenenses», em que os adeptos apitavam, tocavam cornetas e levavam a equipa em ombros a dar a volta ao resultado.
E como era hábito, também aconteceu na última jornada de 1946, com Quaresma a empatar o jogo com o SL Elvas aos 75 minutos e a vitória a chegar apenas cinco minutos depois, através de Rafael. 
 
A festa foi azul e no relvado das Salésias houve sorrisos, abraços, lágrimas, depois de muito suor e sangue ter sido derramado nessa época. Não havia dúvidas, o Belém era campeão nacional!
 
Matateu 
 
Durante o resto da década e na seguinte o Belém seguiu o seu caminho, discutindo com os outros três grandes a supremacia do futebol nacional, mas não conseguindo disfarçar um certo declínio. Mas em 1947, como prova do enorme prestígio do clube, o Belenenses é convidado para a inauguração do Estádio de Chamartin (actual Santiago Bernabéu) em Madrid.
 
Em 1952 começava a jogar de Cruz de Cristo ao peito um jovem oriundo de Moçambique: Sebastião Lucas da Fonseca, Matateu. Num período em que o Sporting dominava o futebol nacional com os seus violinos, Matateu tornou-se um caso sério, sendo referência do clube, mas também da própria selecção. Entre os «violinos»`e a meteórica ascensão de Eusébio, Matateu era indubitavelmente o melhor jogador português do seu tempo.
 
Após o fracasso no Campeonato de 1955, o tal que Martins roubou nos últimos minutos, o Benfica cedeu ao Belenenses o direito de participação na Taça de Latina, contudo os azuis acabaram na última posição, após derrotas com Real Madrid e AC Milan.
 
No ano seguinte, novo passo marcante para os azuis. O adeus às Salésias e a mudança para o novo Estádio do Restelo, à época, considerado o mais bonito de Portugal.
 
Os novos do Restelo
 
Por coincidência, ou não, a mudança para o Restelo marca o fim do período de glória azul. Duas Taças de Portugal conquistadas em 1960 e 1989, são fraco pecúlio para um clube que tinha habituado os seus adeptos a grandes sucessos e que durante todos esses anos, apenas por duas vezes tinha ficado abaixo dos cinco primeiros lugares da classificação. Depois, até 1982 e à primeira descida de divisão, apenas por duas vezes: 1972 (2º) e 1976 (3º) o Belenenses conseguiria um lugar acima do quinto lugar.
 
A verdade é que o prestígio não se perde de um dia para o outro, e como prova disso, em  1972 o Belém é o convidado de honra para as bodas de prata do Chamartin e desta vez com um reforço de peso: o benfiquista e estrela do futebol português, Eusébio da Silva Ferreira, «emprestado» para a festa.
 
Seria apenas nos anos 80, após alguns anos menos conseguidos que o Belém desceu à II Divisão pela primeira vez. Duraria apenas duas épocas o inferno e o clube parecia ter renascido quando se qualifica para a final da Taça em 1986, chega ao 3º lugar em 1988 e volta a conquistar a Taça em 1989, batendo o Benfica no Jamor por 2x1.
 
Mas após seis anos sempre na primeira metade da tabela, uma época para esquecer e um 19º lugar custam uma nova despromoção em 1991, iniciando um novo período de menos furor dos de Belém, onde só o 5º lugar em 2007 e a presença no Jamor (derrota com o Sporting por 0x1) merecem destaque.

Depois de 3 anos a disputar o 2º escalão português, o Belenenses consegue na temporada 12/13 nova subida ao principal campeonato português, onde garante a permanência com relativa facilidade, garantindo uma histórica qualificação para a fase de Grupos da Liga Europa, depois de eliminar os austríacos do Altach e os suecos do IFK Göteborg
 
Comandados por Sá Pinto os azuis voltaram a um palco que bem conhecem, onde em tempos fizeram furor ora vencendo, ora vendendo cara a derrota contra adversários temíveis como o Bayer Leverkusen, o Monaco, o Barcelona ou o Bayern
 
O Clube de Futebol «os Belenenses»» nascia a 23 de Setembro de 1923, num banco de Jardim em frente ao Palácio de Belém, junto da estatua de Afonso de Albuquerque.
Belém tinha sido o berço do Sport Lisboa, e como tal, os belenenses eram na sua esmagadora maioria, adeptos do Benfica. Mas com o surgimento do novo clube, e seguindo a estrela de Artur José Pereira, rapidamente o Belenenses, tornou-se no clube mais amado da zona.
Os primeiros anos foram de sucessos discretos, mas em 1925/26 surgia o primeiro Campeonato de Lisboa. No ano seguinte conquistava o primeiro campeonato de Portugal
Os títulos surgiam em catadupa. Campeão lisboeta em 1929 e 1930, vencedor do Campeonato de Portugal novamente em 1929, os azuis rivalizavam com Sporting, Benfica e Porto pela supremacia do futebol nacional.
Ao contrário dos seus rivais, os de Belém mantiveram sempre um contacto apertado com as gentes do seu bairro, ao ponto de se tornar um hábito no clube, soltar pombos-correios no final de cada partida disputada fora para avisar os adeptos belenenses que não tinham acompanhado a equipa.
As Salésias e Pepe
Em 1928, os azuis trocavam o velhinho e desactualizado Campo do Pau do Fio pelas Salésias, que seria a casa do período áureo do futebol dos da Cruz de Cristo.
Três anos mais tarde a tragédia abateu-se sobre o clube, quando faleceu Pepe, a grande estrela do clube e do futebol português nos primeiros anos dos anos 30.
Com 23 anos, falecia a mais cintilante estrela do clube, titular indiscutível da selecção, que arrastava já multidões atrás de si, só para vê-lo jogar.
Foi construído nas Salésias um busto, mais tarde trasladado para o Restelo, e onde o FC Porto deixa sempre uma coroa de flores em honra da sua memória quando defronta o Belenenses em Belém.
Os títulos regressaram em 1932 (Campeonato de Lisboa) e 1933 (Campeonato de Portugal) e o Belenenses manteve-se sempre no topo do futebol nacional discutindo os troféus.
As Torres de Belém
Depois da Taça de Portugal conquistada em 1942, aos azuis só faltava conquistar o Campeonato da 1ª Divisão. A glória chegaria por fim em 1946. 
Era uma
Comentários (17)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
an
CFosB
2016-09-23 11h33m por antoniocarvalho
Parabéns a você.
Mi
97 anos
2016-09-23 11h01m por Miudo
São tão novinhos! parabéns aos nosso rivais
JO
orgulho
2015-09-23 14h30m por JOSEMIGUEL64
orgulho , que orgulho ! . . . felizmente escolhi o único clube que poderia ter escolhido !
JO
OBRIGADO !
2015-02-20 16h07m por JOSEMIGUEL64
ZZ obrigado por este pedaço da História do Futebol Português. . . tantas vezes escritas a Ouro sobre Azul . Bem Hajam. Sócio 3198
Jo
matateu
2014-08-25 20h58m por JoseTiagoVale
Gostava de saber porque não existe uma pagina de biografia histórica como existe para muitos jogadores mas não existe para o Matateu, talvez o melhor jogador de sempre do Belenenses. Se houve mandem o link porque não encontro.
SC
Eusébio no Belenenses
2013-09-24 01h26m por SCF_Lx
@Dave04: Certo, mas o Benfica "emprestou" o Eusébio ao Belenenses só para esse jogo. O próprio texto indica que ele era benfiquista.

Foi uma jogada de marketing não muito diferente das que se vêm hoje em dia, para chamar gente às bancadas.
Da
???
2013-07-04 11h24m por Dave04
"em 1962 o Belém é o convidado de honra para as bodas de prata do Chamartin e desta vez com um reforço de peso: o benfiquista e estrela do futebol português, Eusébio da Silva Ferreira. "

O Eusébio jogou no Belenenses?
Em 1962?!
1962 foi o ano em que o Eusébio conquistou a 2ª Taça dos Campeões Europeus com o Benfica.
JL
Orgulho !
2013-04-04 14h13m por JLBP
simplesmente um clube diferente e para mim um Grande! sou do Belém e ler estes artigos deixam-me orgulhoso e cda vez mais um Belenenses. Estamos de volta !
AJ
Números de verdadeira grandeza
2012-09-23 22h09m por AJP1919
A grandeza não se vê por 4 ou 5 anos bons oumaus.

O imenso palmarés do Belenenses fala por si:

PALMARÉS


nFutebol
1 Campeonato Nacional
3 Campeonatos de Portugal
3 Taças de Portugal
1 Campeonato Nacional de Reservas
6 Campeonatos de Lisboa
11 Taças de Honra da Associação de Futebol de Lisboa (25/26, 28/29, 29/30, 31/32, 43/44, 45/46, 59/60, 60/61, 75/76, 89/90 e 93/94)
1 Campeonato Naci...ler comentário completo »
ro
1919
2012-09-23 17h52m por roberto777
exacto o ano de nascimento é 1919 por isso os 93 anos de vida
ZZ
Nota
2012-09-23 17h40m por ZEROZERO
... tal como consta na Ficha de Equipa. Mais uma vez, muito obrigado pela chamada de atenção.
jp
fundação
2012-09-23 17h40m por jpap1991_15
Atenção ZZ: Fundado em 1919 e não em 1923. Obrigado
na
Belenenses
2012-09-23 17h27m por nandinho77
Parabéns Belenenses!

Um grande clube português , espero que esta época voltem ao principal escalão , vocês fazem falta.

Boa sorte e mais uma vez parabéns! ;)
ZZ
Nota
2012-09-23 17h19m por ZEROZERO
Absolutamente, muito obrigado. O título foi corrigido com base nos alertas abaixo publicados.
ro
recticaçao do ano do CFB
2012-09-23 17h19m por roberto777
Caro zero zero queira retficar no titulo o ano do aniversario do CFB Nao sao 92 anos mas sim 93

atentamente


nRoberto ferreira
ix
CRER É PODER
2012-09-23 17h18m por ix13
Não é simples, mas desde 1956 que vejo o Belenenses e continuo a acreditar que a reviravolta acontecerá. Não desistamos.
_A
93º
2012-09-23 16h43m por _Anger_
e nao 92º aniversário
ID
Belenenses
2012-09-23 16h39m por IDanielGarrido
Que volte à primeira liga juntamente com o Boavista para ter-mos nuns anos a seguir, 6 possiveis candidatos ao titulo, 7 com o maritimo!
br
BELEM
2012-03-25 12h50m por brunosofiatiagorita
o meu belem era um dos grandes!!!
Tópicos Relacionados