Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

LilleFrança
FrançaMonaco
West HamInglaterra
InglaterraTottenham
RomaItália
ItáliaUdinese
história
Grandes jogos

Napoli x Stuttgart: a vitória de Maradona

2011/05/11 12:44
Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
No caminho para a final os alemães do Stuttgart eliminaram os húngaros do Tatabánya, o Dinamo Zagreb, Groningen, Real Sociedad e D. Dresden, tendo perdido apenas um jogo em todo o trajecto, logo na primeira eliminatória na Hungria; por sua vez os italianos deixaram pelo caminho PAOK, Lokomotiv Leipzig, Bordeaux, Juventus e Bayern München.

Com mais de 81, 000 espectadores, o Estádio San Paolo rebentava pelas costuras. Era a primeira vez que tanto napolitanos como alemães chegavam a uma final europeia. As expectativas eram elevadas de ambos os lados.
O Napoli contava com os internacionais italianos Ciro Ferrara, De Napoli, Carnevale, os brasileiros Alemão e Careca, já para não falar de Diego Maradona; os alemães por sua vez tinham Immel e Buchwald, internacionais pela Alemanha Federal, o jugoslavo Katanec, o ponta de lança Fritz Walter e tinha no jovem Jurgen Klinsmann a sua grande estrela.
 
Seria contudo Maurizio Gaudino, um filho de emigrantes da região de Nápoles que no regresso a “casa” marcou o primeiro golo da final. Os alemães controlaram o jogo até ao intervalo e só na segunda parte é que a pressão napolitana subiu de tom.
Após algumas oportunidades esbanjadas pelos avançados do Napoli, Maradona na tranformação de uma grande penalidade empatou a partida aos 68´. No pressing final, Careca apontou o 2-1 aos 87 minutos levando os napolitanos em vantagem para a segunda mão.
 
Duas semanas depois no Neckarstadion em Estugarda, o Stuttgart jogava todas as suas cartadas, mas o Napoli não se atemorizou.
Aos 18´ o internacional brasileiro Alemão inaugurava o marcador, mas apenas nove minutos depois Klinsmann empatava a partida e lançava a incógnita quanto ao vencedor da final. 
A seis minutos do intervalo Maradona marca um canto, a defesa teutónica alivia e El Pibe centra com a cabeça para dentro da área, onde Ciro Ferrara aparece isolado a encostar para as redes de Immel.
 
Na segunda parte os italianos fizeram um jogo de contenção tentando manter os alemães longe da sua área, e é um pouco contra a corrente do jogo que Diego Armando Maradona num contra golpe mortal, retira os defesas alemães da frente e isola Careca para um golo de execução magistral. 1-3, o Napoli estava a 28 minutos do seu primeiro troféu europeu.
 
Oito minutos depois, um autogolo de Di Napoli ainda deu algumas esperanças à equipa da casa, mas o resultado só voltaria a sofrer alteração no último minuto, quando um mau atraso de Di Napoli para o guarda-redes é interceptado por Schmäler que, de cabeça, empata o jogo a três golos.
 
Era tarde demais, o Stuttgart teria ainda que marcar dois golos para vencer a competição. Quando o árbitro Sánchez Arminio apitou para o fim da partida os italianos festejaram como se de um campeonato mundial se tratasse.
 
Coube a Diego Armando Maradona a honra de levantar o troféu, o único troféu europeu da sua carreira e do seu "amado" Napoli
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
jogos históricos
U Quarta, 17 Maio 1989 - 19:30
Mercedes-Benz Arena
Sánchez Arminio
3-3
Jürgen Klinsmann 27'
Olaf Schmäler 89'
Alemão 18'
Ciro Ferrara 39'
Careca 62'
Fernando de Napoli 70' (p.b.)
Estádio
Mercedes-Benz Arena
Lotação60449
Medidas105x68
Inauguração1933