Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

Odds
MarrocosMarrocos
HolandaHolanda
Al AinEmirados Árabes Unidos
IrãoEsteghlal Tehran
Kawasaki FrontaleJapão
TailândiaMuang Thong Utd
história
Grandes jogos

Itália x URSS: um finalista escolhido por moeda ao ar

2015/09/10 10:25
Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
A 5 de Junho de 1968, em Nápoles, na meia-final do III Campeonato da Europa, disputada entre italianos e soviéticos, o "nulo" prevalecia após os 90 minutos de jogo e os 30 minutos de tempo extra. Até então tal situação nunca tinha acontecido numa meia-final de um mundial ou europeu.

Em antigas edições do Campeonato do Mundo, já tinham sido disputados jogos de desempate para desempatar uma eliminatória que teimava em manter-se empatada, como aconteceu em 1934, entre a Itália e a Espanha. Nessa altura, dias depois da famosa "Batalha de Florença", espanhóis e italianos voltaram a enfrentar-se, desta feita com os transalpinos a levar a melhor e a seguir em frente para defrontar a Áustria.

Trinta anos depois, muita coisa tinha mudado no futebol, mas ainda não havia nem grandes penalidades ou «golos de ouro» para decidir um jogo que teimava em manter-se empatado.
 
Terminados os 120 minutos, o árbitro alemão Kurt Tschenscher conferenciou com os dois capitães de equipa: Giacinto Facchetti e Albert Shesternyov, e de acordo com os regulamentos da competição, ficou acordado não disputar um novo jogo de desempate e escolher o finalista através do lançamento de uma moeda ao ar.
 
A meia-final foi decidida por moeda ao ar lançada pelo árbitro alemão Kurt Tschenscher (na foto durante um jogo do México 70)
Perante 68,582 espetadores atónitos, os três abandonaram o centro do relvado e deslocaram-se para os balneários, onde efetuaram tão bizarra decisão desportiva, à porta fechada, longe de olhares intrusos...
 
O estádio estava suspenso na decisão e o silêncio era cortante, até que alguns minutos depois, o capitão italiano Giacinto Fachetti reentrou no relvado de braços abertos e punhos cerrados em sinal de celebração, para explosão de alegria dos tiffosi nas bancadas do majestoso relvado, a Itália estava na final!
 
Desolados com a situação, os dirigentes do futebol mundial resolveram terminar com os desempates por moeda ao ar. Em 1970 estreavam-se os desempates através do desempate por grandes penalidades. A 5 de Junho de 1968, em Nápoles, na meia-final do III Campeonato da Europa, disputada entre italianos e soviéticos, o nulo prevalecia após os 90 minutos de jogo e os 30 minutos de tempo extra.
 
O árbitro alemão Kurt Tschenscher conferenciou com os dois capitães de equipa: Giacinto Facchetti e Albert Schesternev, e de acordo com os regulamentos da competição, ficou acordado não disputar um novo jogo de desempate e escolher o finalista através do lançamento de moeda ao ar.
 
Perante 68,582 espetadores atónitos, os três abandonam o centro do relvado e deslocam-se para os balneários, onde efetuaram tão bizarra decisão desportiva, à porta fechada, longe de olhares intrusos...
 
O Estádio estava suspenso na decisão e o silêncio era cortante, até que alguns minutos depois o capitão italiano Giacinto Fachetti reentrou no relvado de braços abertos, para a explosão de alegria dos tiffosi nas bancadas do majestoso relvado, a Itália estava na final!
 
Desolados com a situação, os dirigentes do futebol mundial resolveram terminar com os desempates por moeda ao ar. Em 1970 estreavam-se os desempates através do desempate por grandes penalidades. 
A 5 de Junho de 1968, em Nápoles, na meia-final do III Campeonato da Europa, disputada entre italianos e soviéticos, o nulo prevalecia após os 90 minutos de jogo e os 30 minutos de tempo extra.
 
O árbitro alemão Kurt Tschenscher conferenciou com os dois capitães de equipa: Giacinto Facchetti e Albert Schesternev, e de acordo com os regulamentos da competição, ficou acordado não disputar um novo jogo de desempate e escolher o finalista através do lançamento de moeda ao ar.
 
Perante 68,582 espetadores atónitos, os três abandonam o centro do relvado e deslocam-se para os balneários, onde efetuaram tão bizarra decisão desportiva, à porta fechada, longe de olhares intrusos...
 
O Estádio estava suspenso na decisão e o silêncio era cortante, até que alguns minutos depois o capitão italiano Giacinto Fachetti reentrou no relvado de braços abertos, para a explosão de alegria dos tiffosi nas bancadas do majestoso relvado, a Itália estava na final!
 
Desolados com a situação, os dirigentes do futebol mundial resolveram terminar com os desempates por moeda ao ar. Em 1970 estreavam-se os desempates através do desempate por grandes penalidades. 
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Tópicos Relacionados