Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

Desp. AvesPortugal
PortugalBenfica
SportingPortugal
PortugalChaves
EvertonInglaterra
InglaterraArsenal
história
Grandes jogos

Grécia x Portugal: o Déjà Vu

2012/12/03 18:13
Texto por João Pedro Silveira
l0
E3
Déjà vu, expressão francesa que significa «já visto». É uma expressão que foi usada pela primeira vez pelo psicólogo francês Émile Boirac (1851–1917), no seu livro «L'Avenir des sciences psychiques» [O futuro das ciências psíquicas], e que define a ilusão de já ter vivido um acontecimento ou situação que está de facto a viver pela primeira vez na vida.

Esse estranho sentimento de Déjà vu, foi o que viveu Portugal a 4 de julho de 2004. A cidade era outra, o estádio não era o mesmo, os onzes eram diferentes, o árbitro era novo, o resultado não foi bem igual, mas contudo todos os portugueses perguntavam-se: «como é que isto foi acontecer outra vez?».
 
Murro no estômago, take 1
 
Recuando no tempo até 12 de Junho de 2004, portugueses e gregos tinham dado o pontapé de saída do Euro 2004 no Estádio do Dragão na cidade do Porto. Os anfitriões tinham feito as honras da casa e ofereceram dois golos de vantagem aos visitantes, só reduzindo já perto do final por intermédio da jovem estrela da equipa, Cristiano Ronaldo.
 
Portugal em choque, com a continuidade na prova em causa, obrigou o treinador Luís Filipe Scolari a efetuar uma verdadeira revolução no onze, apostando predominantemente nos jogadores que tinham ajudado o FC Porto a vencer a Liga dos Campeões, poucas semanas antes.
 
A vitória sobre a Rússia (2x0), seguida por uma vitória sobre a Espanha (1x0) colocou Portugal na segunda fase, juntamente com os gregos que empataram com os espanhóis (1x1) e perderam com os russos, mas beneficiaram da derrota espanhola no último jogo, passando para os quartos-de-final.
 
Murro no estômago, take 2
 
©Getty / Andreas Rentz
Depois de deixarem ingleses e holandeses pelo caminho, os portugueses voltaram a encontrar os gregos pela frente no dia da grande final, preparados para superarem o trauma da derrota no primeiro jogo, tentando repetir a façanha holandesa em 1988, que depois da derrota na estreia com a União Soviética no jogo inaugural, tinham conseguido a vingança batendo os soviéticos na final por 0x2.
 
No jogo da grande final, Portugal inteiro parou, e a o favoritismo pendia claramente para o lado lusitano. Os gregos, diziam muitos, não seriam capazes de vencer os portugueses em sua casa por duas vezes consecutivas.
 
Mas Angelos Charisteas tinha outras ideias, e aos 57´, na sequência de um canto, antecipou-se a Costinha e Ricardo para cabecear para a baliza dos portugueses.
 
Os da casa ainda tentaram, com muito mais coração do que cabeça reagir, mas Portugal nunca pareceu ser capaz de recuperar o soco estômago, vivendo no medo de errar e e perder a grande final em casa, passar ao lado da história.
 
Quando Markus Merk apitou para o final, os gregos festejavam desenfreadamente no relvado, enquanto as lágrimas lusitanas corriam mundo. De norte a sul, a «Ocidental Praia Lusitana» vivia momentos de frustração, perguntando-se como tal tristeza podia acontecer? Novo jogo com os gregos e a velha e repetida sensação de tristeza. 
Capítulos
Comentários (4)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
sl
euro2004
2015-11-09 19h45m por slb_pride
perdemos uma oportunidade monumental de ser campeões da europa perante uns tipos que só sabiam defender. aliás perder duas vezes no mesmo torneio contra uns pés de chumbo como eram os gregos foi, para mim, humilhante
ro
Sem comentarios
2015-02-27 20h10m por robertosportinguista
Também quem mandou contratar esta toupeira Scolari como treinador, deu no que deu.
dm
EURO 2004
2013-07-04 22h34m por dmdm59
Estes foram os momentos mais felizes e tristes ao mesmo tempo no futebol! Foi devido ao EURO 2004 que me apaixonei pelo futebol, ainda tenho mágoa desse dia, mas viverá sempre no meu coração enquanto grande adepto da selecção portuguesa, espero que um dia possamos conseguir conquistar algo depois disto! Obrigado Portugal! Belos tempos!
SL
Maior tristeza. . .
2013-07-04 21h54m por SLB_HAM
Sem dúvida que esta foi a maior tristeza a nível de desporto do nosso país, ainda hoje custa crer que isto realmente aconteceu depois da grande caminhada empolgante ruma à final. 4 de Julho de 2004 para sempre na nossa história por razões negativas, mas não nos podemos esquecer do grande espetáculo que proporcionamos a todo o mundo em todos os aspectos que envolvem esta fantástica competição.
jogos históricos
U Domingo, 04 Julho 2004 - 19:45
Estádio do Sport Lisboa e Benfica (Luz)
Markus Merk
0-1
Angelos Charisteas 57'
Tópicos Relacionados
Estádio
Estádio do Sport Lisboa e Benfica (Luz)
Lotação64642
Medidas105x68m
Inauguração2003