Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

Odds
MarrocosMarrocos
HolandaHolanda
Al AinEmirados Árabes Unidos
IrãoEsteghlal Tehran
Kawasaki FrontaleJapão
TailândiaMuang Thong Utd
história
Grandes jogos

Everton x Man. City: A final dos números

2013/04/29 12:28
Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
A 29 de abril de 1933 o Everton e o Manchester City encontraram-se na 58ª final da Taça da Inglaterra, disputada no Estádio de Wembley, em Londres

Além de decidir o vencedor da FA Cup, esse dia marcou um dos momentos mais importantes da história do desporto-rei, pois nessa tarde, perante 92950 espetadores, pela primeira vez, duas equipas entravam em campo com camisolas numeradas. Para a memória futura ficou o momento em que as duas equipas se encontravam alinhadas perante os Duques de York, com essa estranha novidade dos números colados nas costas. O Everton apresentando-se com os números de 1 a 11 enquanto o Manchester City vestia camisolas numeradas de 12 a 22.
 
Enquanto a equipa de Liverpool tinha o número 1 entregue ao seu guarda-redes Ted Sangar e o 11 entregue ao avançado Jimmy Stein, jogando assim com uma numeração ascendente, por sua vez os mancunianos tinham o guarda-redes Len Langford a jogar com o número 22, decrescendo a numeração até ao avançado Eric Brook, que atuou com o 12.
 
A história dos números
 
Todavia, os números não eram uma novidade no futebol, pois já tinham feito uma primeira aparição a 25 de agosto de 1928, quando Arsenal e Chelsea os tinham usado nos encontros em que defrontaram respetivamente o The Wednesday - pouco depois passou a ser conhecido como Sheffield Wednesday - e o Swansea Town.
 
O escocês James Dunn marca o terceiro golo do Everton.
Uma semana depois o Everton usou as suas camisolas numeradas num jogo da liga contra o Wolverhampton Wanderers, mas na reunião seguinte da Liga de Futebol, foi rejeitada uma proposta para se usarem camisolas numeradas no principal campeonato inglês, com base no argumento de que ficaria muito caro efetuar a alteração, além de que, a numeração iria estragar e tornar os equipamentos menos apelativos. 
 
Ainda em 1933, o Arsenal voltaria a usar números num amigável contra uma equipa austríaca, lançando de novo a discussão à volta da possível utilização de jerseys numerados na liga. Contudo, na reunião anual de 1934, a proposta seria linearmente rejeitada pela segunda vez. 
 
A Duquesa de York entrega a Taça de Inglaterra ao capitão da equipa vencedora, Dixie Dean.
Em 1937, a seleção nacional inglesa usou números nas costas pela primeira vez, numa derrota por 3x1 em Hampden Park, Glasgow, contra a vizinha e rival escócia. A partir daí, os ingleses passaram a usar sempre números na seleção, com cada número a ser entregue ao jogador que desempenhava um determinado papel na tática W-M, que os ingleses usaram até meados dos anos 50. 
 
Finalmente, a 5 de junho de 1939, a Football League decretou que as equipas deviam apresentar números de 1 a 11 em todas as partidas da Liga inglesa da época seguinte. 
 
Contudo, a época 1939/40 seria interrompida ao fim de três jornadas, com o começo da II Guerra Mundial. A liga só seria retomada em 1946/47, já depois de terminado o conflito (1945), com todos os jogos a incluírem duas equipas com camisolas numeradas de 1 a 11.
 
O jogo
 
Quanto ao jogo em si, não havia um claro favorito à partida. A imprensa mantinha as suas reservas em declarar quem seria o provável vencedor, enaltecendo por um lado a técnica dos liverpuldianos e por outro lado a força e a determinação dos mancunianos.  O Everton - campeão de Inglaterra em título - encontrava-se num descansado 10º lugar, enquanto o City seguia seis posições abaixo. 
 
Como as duas equipas equipavam normalmente de azul, chegou-se a um acordo e o Everton jogou de camisola branca, meias e calções pretos, enquanto o Manchester City vestia camisola e meias grená, com calções brancos. 
 
Os jogadores do Everton completam a volta olímpica acompanhados pelas forças de segurança.
Após o apito de Eddie Wood, os blues de Liverpool começaram logo a controlar a partida. As oportunidades iam-se sucedendo, mas o primeiro golo só surgiu  por intermédio de Stein aos 41 minutos.
 
O segundo tempo não trouxe novidades e o Everton foi gerindo a partida, marcando o segundo aos 52 minutos e fechando as contas com um golo de Dunn aos 80. 
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
jogos históricos
U Sábado, 29 Abril 1933 - 15:00
Wembley Stadium
3-0
Jimmy Stein 41'
Dixie Dean 52'
James Dunn 80'
Estádio
Wembley Stadium
Wembley Stadium
Inglaterra
Wembley, London
Lotação127000
Medidas-
Inauguração1923