Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

Odds
MarrocosMarrocos
HolandaHolanda
Al AinEmirados Árabes Unidos
IrãoEsteghlal Tehran
Kawasaki FrontaleJapão
TailândiaMuang Thong Utd
história
Grandes jogos

Alemanha x Argentina: a vingança romana

2014/06/10 13:12
Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
Dois adágios definem na perfeição a final do mundial de 1990: «não há duas sem três» e «à terceira é de vez». Era terceira vez consecutiva que a Alemanha - pela última vez ainda separada - chegava à final do Campeonato do Mundo.

Em 1982, em Madrid, caíra perante a Itália de Rossi (3x1); na Cidade do México, quatro anos mais tarde, nova derrota (2x3) com a seleção de Maradona. Agora em Roma, Itália, a possibilidade da vingança, contra a mesma Argentina que derrotara a Alemanha quatro anos antes.

Uma final tática

Tal como o resto do mundial, a final de Roma foi bastante «chata», para se ser simpático. A Alemanha mostrou desde o primeiro minuto que queria vencer, mas a Argentina levou avante a mesma tática que pusera em campo até aí, e que com sucesso conseguira eliminar a Itália na meia-final.

O jogo arrastou-se com uma certa dureza da parte sul-americana perante a condescendência do mexicano Edgardo Codesal. Mas aos poucos a «muralha» argentina abriu fendas.

Pedro Monzón, que entrara no segundo tempo, era expulso aos 65 minutos (Gustavo Dezotti seria expulso aos 87) e as esperanças argentinas reduziam-se. Pela primeira vez na história dos mundiais, os cartões vermelhos saíam do bolso de um árbitro. À Argentina cabia a triste distinção.

A equipa alemã, fria e paciente, foi-se acercando da área adversária, como o predador da sua presa, preparado para desferir o golpe final a qualquer momento.

O desfecho chegou aos 85 minutos quando uma grande penalidade apontada por Brehme e muito contestada pelos argentinos, logo seguida da expulsão de Dezotti, traçou o resultado.

Pouco depois o mexicano Codesal apitava para o final, a Alemanha era tricampeã mundial e igualava Brasil e Itália em troféus, oportunidade perdida pela Argentina. No centro do relvado, Diego Maradona chorava compulsivamente, numa imagem que correu Mundo, contraste perfeito do que acontecera quatro anos antes na Cidade do México. 

Fotografias(10)
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
jogos históricos
U Domingo, 08 Julho 1990 - 19:00
Stadio Olimpico
Edgardo Codesal
1-0
Andreas Brehme 85' (g.p.)
Tópicos Relacionados
Estádio
Stadio Olimpico
Lotação70634
Medidas105x68
Inauguração1937