Playmaker - O futebol em números!

Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

história
Jogadores

Guillermo Stábille: el filtrador

2013/10/23 13:30
Texto por Pedro Marques Silveira
l0
E0
Stabile, que na língua italiana se escreve sem acento, é um apelido que evoluiu de um nome próprio, muito em voga na Europa meridional durante a Idade Média. Com o passar dos séculos, tornou-se um nome de família comum no sul de Itália e seguiu com os emigrantes napolitanos e sicilianos, para as Américas, nomeadamente a Argentina. Os Stabiles adaptaram-se e o nome ganhou um acento agudo em terras sul americanas.
 
Do latim Stabilis, significa aquele que é estável, firme, constante, leal. Qualidades indespensáveis a um herói, seja ele na Itália medieval, ou num campo de futebol na primeira metade do século XX.

Profissionalismo e seleção

Guillermo Stábile, porteño de nascimento, filho de um emigrante italiano e de uma criolla, veio ao mundo a 17 de janeiro de 1905, em Parque Patricios, na zona sul da capital argentina. Desde tenra idade que se apaixonou pelo jogo dos ingleses, que começou a jogar primeiro com os amigos e depois na escola. Aos dez anos ingressou no Sportivo Metán, onde pode aperfeiçoar os seus dotes de avançado goleador.
 
Em 1920 - com somente quinze anos - começou a jogar no Huracán, a grande coletividade do barrio que vira Guillermo nascer.
 
Os 119 golos que apontou ao serviço do «el globo» valeram-lhe a convocatória para a albiceleste que ia disputar o primeiro mundial de futebol no vizinho Uruguai em Julho de 1930, onde não sairia do banco na estreia contra os franceses. 
 
O Mundial
 
A lenda de Guillermo Stábile começou a 19 de julho de 1930. Nessa manhã, o avançado argentino Roberto Cherro começou a sentir-se mal. Com o aproximar da hora do jogo, Cherro não controlava o seu ataque de ansiedade, obrigando a dupla de treinadores Francisco Olazar - Juan José Tramutola, a procurar uma solução para o seu lugar.
 
Olhando à volta no balneário, e após uma ligeira hesitação, a escolha recaiu no avançado de 25 anos que jogava no Huracán. Stábile era então chamado a vestir a camisola albiceleste pela primeira vez na sua carreira. A Argentina vencera a França por 1x0 na estreia, e se vencesse o México, dava um passo decisivo para chegar às meias-finais.
 
Stábile não defraudou as esperanças e apontou um hattrick. Com os três golos de El Filtrador, a Argentina venceu por 6x3 e carimbou a passagem para às meias-finais. Seguiu-se o jogo com os chilenos, com mais dois golos de Guillermo. Os treinadores já não podiam ter dúvidas, Stábile era fundamental para a equipa argentina. Nas meias-finais, os Estados Unidos foram dizimados por 6x1 e Stábile ajudou à festa com mais dois golos.
 
Na grande final, em Montevideu, contra os anfitriões, Guillermo ainda apontou o segundo golo argentino e colocou os visitantes na frente, mas a Celeste Olímpica seria mais forte e daria a volta ao resultado, garantindo que o primeiro troféu Jules Rimet ficava em casa. O Uruguai confirmava o estatuto de maior potência do futebol sul americano e mundial.
Argentina Juan José TramutolaO Uruguai confirmava o estatuto de primeira grande potência do futebol sul americano e mundial.  avançado argentino, autor de 8 golos, sagrou-se o melhor marcador do torneio e  foi a figura maior do mundial. Com os seus golos o sonho argentino da conquista do mundial foi crescendo de jogo para jogo, sendo apenas travados na final. 
 
A carreira da equipa de 1930 e os golos de Stábile ficaram para sempre na memória dos argentinos, que só em 1978 com os golos de Mário Kempes e o tão esperado título mundial, conseguiram colmatar o sentimento de perda que tinham experimentado em 1930.

O fantasma de 1930 podia por fim descansar e a Argentina estava pronta para emergir como potência de primeira grandeza, abrindo-se o caminho para ascensão de Diego Armando Maradona...
 
Terminado o mundial, Stábile aceitou um convite do Genoa e mudou-se para Itália. Deixava para trás a sua Argentina e nunca mais vestiria a camisola da seleção, não obstante ter apontado golos em todos os quatro jogos em que defendeu as cores argentinas, apontando oito golos em quatro jogos - uma média de dois tentos por encontro, um verdadeiro recorde que dificilmente será igualado - que lhe valeram a conquista do título de melhor marcador no primeiro mundial.
 
O périplo
 
Depois de conquistar a fama com os números impressionantes que atingiu no primeiro mundial, continuou a sua senha goleadora na terra dos seus antepassados, tornando-se rapidamente num dos ídolos dos adeptos do Genoa. 
 
Depois de cinco anos em Génova, mudou-se para Nápoles, onde não foi tão bem sucedido, ficando apenas uma época ao serviço dos «azuis». Em 1936 aceitou um convite do Red Star e mudou-se para Paris. No clube fundado por Jules Rimet, jogou três anos e começou também a treinar. Acabou por ter de abandonar a equipa e a «Cidade Luz» em 1939, quando o espetro da guerra o fez atravessar o mar e regressar a casa.
 
Em casa foi recebido como um herói e tornou-se selecionador nacional, mantendo-se no cargo até 1959. Durante vinte anos, conduziu o seu país à conquista de seis Copas Américas, além de conquistar três campeonatos argentinos com o Racing, num período em que combinou o cargo de selecionador com o de treinador do Racing Club.
After capturing the world's attention with his impressive feats in the First World Cup, he was signed by Genoa. He instantly became a fan favourite at Genoa, chalking up a hat-trick on his debut against rivals Bologna. He stayed with the Genoan club for five years, playing 41 games and scoring 16 goals.
Napoli[edit]
During the 1935–36 season, he moved to Napoli with Antonio Vojak transferring the other way to Genoa. This was during the era where with Attila Sallustro another South American legend played for Napoli. The club finished 8th in the league with Stábile scoring three goals in twenty games.
Red Star Paris[edit]
As a last act of his playing career, Stábile moved to Red Star Paris in Paris, the club founded by Jules Rimet, the initiator the first World Cup in 1930. He stayed with the club until 1939 with the last honour of his playing career being helping the club achieve promotion, from Ligue 2 back into Ligue 1. He also served as player-manager for the club.
After capturing the world's attention with his impressive feats in the First World Cup, he was signed by Genoa. He instantly became a fan favourite at Genoa, chalking up a hat-trick on his debut against rivals Bologna. He stayed with the Genoan club for five years, playing 41 games and scoring 16 goals.
Napoli[edit]
During the 1935–36 season, he moved to Napoli with Antonio Vojak transferring the other way to Genoa. This was during the era where with Attila Sallustro another South American legend played for Napoli. The club finished 8th in the league with Stábile scoring three goals in twenty games.
Red Star Paris[edit]
As a last act of his playing career, Stábile moved to Red Star Paris in Paris, the club founded by Jules Rimet, the initiator the first World Cup in 1930. He stayed with the club until 1939 with the last honour of his playing career being helping the club achieve promotion, from Ligue 2 back into Ligue 1. He also served as player-manager for the club.
Fotografias(1)
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...