Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

Desp. AvesPortugal
PortugalBenfica
SportingPortugal
PortugalChaves
TottenhamInglaterra
InglaterraLiverpool
história
Jogadores

Lev Yashin: a Aranha Negra

2011/12/29 15:19
Texto por João Pedro Silveira
l0
E1
O Aranha Negra é considerado o melhor guarda-redes da história, mesmo pelos seus pares, como Gordon Banks ou Sepp Maier.

Depois dele, outros poderão ter igualado a sua técnica ou em certos casos até mesmo superado, mas a verdade é que nenhum guarda-redes defendeu como Yashin.
 
Foi o primeiro a considerar a área de grande penalidade como sua, reivindicando o espaço aos defesas que até aí controlavam a área.
 
Usando os seus dotes atléticos e brilhantes capacidades físicas, tornou-se no primeiro guarda-redes famoso por sair sem temor aos pés dos adversários, ganhando a fama (quase mítica) de ser imbatível entre os postes, capaz de ler a mente do avançado no momento do remate...
 
Dois amores
 
Lev Ivanovich Yashin nasceu em Moscovo, na então União Soviética, a 22 de outubro de 1929. Filho de uma família de trabalhadores, o jovem cresceu entre as duas Guerras Mundiais, num período muito conturbado da história russa. Com apenas doze anos, pouco depois da invasão da União Soviética pelos exércitos do III Reich, viu-se forçado a trabalhar numa fábrica para ajudar o esforço de guerra do seu país.
 
Obrigado a mudar-se para uma fábrica moscovita acabou por nos poucos tempos livres jogar futebol na equipa da fábrica, despertando assim a cobiça de um olheiro do Dynamo Moskva, que prontamente lhe endereçou o convite para ingressar nas camadas jovens do clube.
 
Depois do «sim» dos pais, o jovem Lev começou a defender não só as redes da equipa de futebol, como da equipa de hóquei no gelo do clube moscovita.
 
Em 1950 tinha a sua estreia na equipa principal. No primeiro jogo com a camisola do Dynamo um frango e uma derrota deixaram o jovem dois anos sem voltar a calçar as luvas no clube...
 
Enquanto nos relvados a carreira de Yashin demorava a singrar, na pista gelada, defendendo com mestria, o jovem Lev venceu a Taça em 1952 e o Campeonato Nacional em 1953. 
 
A seleção e as primeiras conquistas
 
Seria precisamente nessa época que Yashin voltava a ser titular na equipa de futebol, optando então por abdicar do hóquei para se concentrar plenamente no desporto-rei. No ano seguinte chegou a primeira convocatória para a seleção nacional, com a qual venceria o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Melbourne em 1956.
 
Eusébio (esq.) e Lev Yashin (dir.) momentos antes do jogo que opôs Portugal e U.R.S.S. no Mundial de Inglaterra em 1966.
Dois anos depois, na Suécia, participou no primeiro Mundial da carreira, ajudando a sua seleção a chegar aos quartos-de-final e sendo eleito para o onze da prova após as suas brilhantes exibições, em particular na derrota contra o Brasil, na qual Yashin evitou uma goleada histórica, defendendo tudo que havia a defender, excepto os dois remates certeiros de Vavá.
 
Em 1960, em Paris, conquistou um novo sucesso com a seleção nacional soviética: a primeira edição do Campeonato da Europa. 
 
No Mundial seguinte, no Chile, Yashin passou por um dos momentos mais complicados da sua carreira, quando uma exibição menos conseguida contra a Colômbia, em que inclusivamente sofreu o primeiro canto direto da história dos Mundiais, lhe custou um chorrilho de críticas, tendo o jornal francês L´Equipe considerado que a carreira do Aranha Negra tinha chegado ao fim...
 
Bola D'ouro e o final de carreira...
 
Mas não tinha chegado e o lendário guarda-redes soviético voltou em força, conseguindo em 1963 vencer o Ballon D´Or, tornando-se no primeiro - e até hoje único - guarda-redes a conseguir tal desiderato. 
 
qNo mundial seguinte, no Chile, Yashin passou por um dos momentos mais complicados da carreira, (...) tendo o jornal francês L´Equipe considerado que a carreira do Aranha Negra tinha chegado ao fim...
No Europeu de 1964 voltou a jogar uma final, perdendo desta vez para a Espanha, em Madrid. Dois anos mais tarde voltou a brilhar, desta feita no Mundial de Inglaterra, no qual as suas defesas magistrais conduziram a U.R.S.S. até à melhor classificação da sua história, chegando às meias-finais, acabando por perder com a R.F.A.. No jogo de atribuição do terceiro e quarto lugares, nova derrota, desta vez às mãos de Portugal, do seu amigo Eusébio.
 
No Mundial mexicano de 1970 ainda acompanhou os colegas na condição de terceiro guarda-redes e como membro da equipa técnica, voltando a atingir os quartos-de-final.
 
Um ano mais tarde fez a última partida com a camisola do Dynamo Moskva, o seu clube de sempre. No jogo do adeus, 100 mil pessoas encheram o Estádio Lenine em Moscovo para se despedirem da Aranha Negra que brilhou mais uma vez na companhia de Eusébio, Beckenbauer e Pelé. 
 
qComo consolação e em honra do seu enorme contributo para o futebol a FIFA atribui em cada edição do Campeonato do Mundo o Prémio Lev Yashin para o melhor guarda-redes da competição
Durante a sua longa e profícua carreira, Lev Yashin, defendeu, alegadamente, 150 grandes penalidades e conseguiu manter a sua baliza inviolável em 270 ocasiões.
 
Confrontado com a razão do seu sucesso, respondeu que tudo se devia a fumar um cigarro e a beber um copo de uma bebida forte antes de cada jogo, algo que o deixava mais calmo.
 
As «razões» do seu sucesso foram também o motivo do seu declínio e da sua morte. Vitima de um AVC e com um coração fraco, viveu os últimos anos de vida com sérias limitações. Para sua tristeza viu-se obrigado a viver a sua reta final numa cadeira de rodas, depois de lhe ser amputada uma perna em sequência de problemas circulatórios. Desiludido e cansado, o seu coração cedeu numa mesa operatória quando os médicos tentavam remover-lhe um cancro no estômago.
 
Como consolação e em honra do seu enorme contributo para o futebol a FIFA atribui em cada edição do Campeonato do Mundo o Prémio Lev Yashin para o melhor guarda-redes da competição. Em 1998 foi considerado pela FIFA o melhor guarda-redes do século XX e anos depois ganhou o galardão de melhor jogador russo de todos os tempos durante os prémios do Jubileu da UEFA.
Fotografias(2)
Lev Yashin
Capítulos
Comentários (2)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Jo
Aranha Negra
2014-10-12 20h42m por JoseTiagoVale
Quem ainda tem os avós vivos perguntem-lhes quem é o melhor guarda redes de todos os tempos, e eles dizem logo Lev Yashin ou também Aranha Negra. ;) Dizem que defendeu mais de 100 penalties em toda a carreira
go
Yashin
2012-02-28 15h07m por goncalo1993
Não conhecia este jogador, pelo que li parece que foi um grande guarda-redes que fez uma grande historia, teve uma historia um pouco conturbada de vez em quando mas deu sempre a volta por cima.

Gostei muito do artigo, parabéns João Pedro Silveira
Tópicos Relacionados
TEXTO DISPONÍVEL EM...
História
História