Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

história
Competições

Taça da Liga: uma prova com história

2012/04/12 14:44
Texto por João Pedro Silveira
l0
E3
A Taça da Liga, apesar da sua curta duração, já tem uma história para ser contada. Entre surpresas, polémicas e jogos com resultados históricos, esta competição vai ganhando o seu destaque entre os fãs do futebol nacional.

Um projecto antigo

A ideia de uma taça organizada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP)  é uma história antiga. Com a fundação da LPFP em 1978, e a exemplo do que acontecia noutros países, os clubes portugueses tentaram criar uma nova competição disputada em moldes similares à Taça de Portugal, destinada apenas a clubes profissionais.

Mas apenas nos anos noventa e depois da LPFP substituir a Federação na organização dos campeonatos profissionais de futebol é que a ideia voltou a ser discutida com regularidade.
 
Foi preciso esperar até ao novo século para que uma proposta do Sporting e do Boavista com vista à criação de uma Taça da Liga fosse aprovada (por unanimidade) pelos clubes. Foi numa reunião na cidade do Porto, no dia 28 de Novembro de 2006, que a competição «nasceu».

A Taça nas mãos de Eduardo 

No início da época seguinte começou a primeira edição. Os três grandes só entraram em competição em Setembro, mas nem isso evitou o FC Porto de ser logo eliminado pelo Fátima. O Benfica caiu nos quartos-de-final aos pés do Vitória de Setúbal que acabaria por vencer a competição após bater o Sporting através do desempate por grandes penalidades na final disputada no Estádio do Algarve, que consagrou Eduardo como o grande herói sadino.
 
Na segunda edição os três grandes com maior ou menor dificuldade chegaram às meias-finais juntamente com o Vitória de Guimarães. No primeiro clássico da competição, os leões venceram o FC Porto por 4-1, garantindo um lugar na final do Estádio do Algarve contra o rival de sempre, que havia eliminado os vimaranenses na outra partida.

Uma arbitragem polémica

Na final, uma imensa polémica estalou após uma decisão em que Lucílio Baptista erroneamente marcou uma grande penalidade contra o Sporting quando os leões ganhavam por 1-0 ao Benfica. Pedro Silva foi expulso, e os benfiquistas empataram nesse lance, para depois vencerem a taça no desempate através de grandes penalidades. Os leões perdiam assim a sua segunda final, novamente na linha dos 11 metros, com muita polémica e contestação à mistura, ficando para a história o momento em que, o defesa leonino Pedro Silva atirou a medalha para longe em sinal de protesto.
 
Na terceira edição da prova os três grandes voltaram a chegar às meias-finais. O Sporting voltou a ser derrotado pelo Benfica, desta vez em Alvalade (1-4), mas novamente a arbitragem não ficou isenta de polémicas, com os leões a contestarem duramente a expulsão de João Pereira, entre outros lances. O FC Porto, por seu lado, eliminou a Académica e chegou à final pela primeira vez.

Jorge Jesus: o papa-taças

No Estádio do Algarve, os benfiquistas comandados por Jorge Jesus bateram os dragões por 3-0, conquistando o seu segundo troféu, com uma exibição segura e demonstrando uma enorme superioridade sobre os rivais.

©Catarina Morais
A quarta edição ficou marcada pela prematura eliminação dos azuis-e-brancos de André Villas-Boas, que nesse ano convém lembrar que venceram a Liga, a Taça de Portugal, Liga Europa e Supertaça.

Nas meias finais os encarnados eliminaram os leões (2x1)com um golo de Javi Garcia nos últimos instantes da partida, enquanto na outra meia-final, o Paços de Ferreira eliminou o Nacional na Choupana, depois de já ter vencido um grupo com Vitória de Guimarães e Sporting de Braga.

A final, disputada na cidade dos estudantes pela primeira vez, viu o Benfica conquistar o tri, com uma suada vitória (2x1) sobre os castores. 

Um ano depois, a história repetiu-se. O Benfica voltou a conquistar o troféu, novamente em Coimbra, batendo o Gil Vicente na final. Pelo caminho, nas «meias», tinham ficado FC Porto e SC Braga, com o Benfica mais um vez a levar melhor sobre os dragões, enquanto no dérbi minhoto, os galos eliminaram os bracarenses, depois de já terem afastado o Sporting na fase de grupos, com uma vitória por 0x1 em Alvalade

Em tons de vermelho

Depois de quatro anos de vitórias benfiquistas, o Sporting de Braga de José Peseiro apeou a águia nas meias finais, chegando à final em Coimbra, onde venceu o FC Porto, garantindo o primeiro troféu nacional em mais de 40 anos. 

Na época seguinte o Benfica recuperou o troféu, depois de bater os portistas na meia final e vencer o Rio Ave na final em Leiria, garantindo o título que seria renovado em 2014/15, desta feita em Coimbra, frente ao Marítimo, que eliminara o FC Porto na meia final. 

Comentários (4)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Fe
Playoff/Condici onantes
2015-12-27 19h39m por Felicitas01
A Taça da Liga é subvalorizada pois é relativamente recente.
A ideia do playoff entre o vencedor de cada taça é bastante interessante, sendo que a subscrevo, mas não será aplicada (por enquanto) devido ao pouco valor que algumas pessoas e clubes dão à Taça da Liga.
A Taça da Liga deveria ter algumas condicionantes, como um número mínimo de jogadores portugueses a começarem como titulares, assim como de jogadores jovens (ex. até 23 anos), sendo uma mais-valia tanto para a co...ler comentário completo »
Ed
ZeroZero_Guy
2015-06-24 19h42m por Edge_FC
Discordo totalmente,

A Taça de Portugal é uma competição muito mais tradicional e prestigiante do que a Taça da Liga. A Supertaça tem de ser uma competição onde estejam presentes os venceres mais "glorificados" nas competições internas da época transacta correspondente.

A Taça da Liga não se assemelha sequer em importância à Taça de Portugal.
Ze
RafaelKroos
2015-01-14 16h04m por ZeroZero_Guy
Subscrevo.

Considero tb q a Taça da Liga deveria dar acesso a um play-off entre o vencedor da Taça de Portugal e o vencedor da Taça da Liga, para determinar quem iria defrontar o campeão nacional na Supertaça. Creio q seria algo inédito, e que distinguiria quer a Taça da Liga, quer a Supertaça de todas as outras provas em países europeus.

Em todo o caso, aponto tb para outro ponto negativo, que é o formato da prova, que beneficia apenas os grandes. Na 1ªed...ler comentário completo »
Ra
Taças
2015-01-11 13h21m por RafaelKroos
Não seria anormal se as pessoas se virassem mais para a Taça da Liga. . . 1º ponto: Tem transmissão na tvi e tvi24. 2º ponto: Só os profissionais jogam, o que dá outro brilho à competição. 3º e último ponto: Já em França e em Inglaterra os clubes dão mais importância à Taça da Liga até porque o vencedor caso não esteja ainda qualificado para a Europa, apura-se para a Liga Europa, o que não acontece com a nossa Taça da Liga, e isso é o único ponto negativo!!