Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

FC PortoPortugal
PortugalPaços Ferreira
Desp. AvesPortugal
PortugalBenfica
SportingPortugal
PortugalChaves
Visão de jogo
Pedro Silva
2017/03/14 20:27
E0
Espaço de análise da actualidade desportiva, onde o comportamento, a emoção e a razão têm lugar privilegiado. Uma visão diferente sobre o jogo, para que o jogo seja diferente.

Jornada a jornada, o campeonato aproxima-se do final e cada jogo traz em si uma maior carga de responsabilidade, individual e coletiva. Os erros pagam-se mais caro. Os golos e as vitórias são festejados de forma ainda mais entusiástica. Cada momento é mais intenso e, na sequência disso, o lado emocional do jogo é exponenciado.

Nesta fase da época, os resultados significam classificações possíveis ou impossíveis. Nos jogos entre adversários diretos, a tensão aumenta. O FC Porto ainda vai à Luz, o Sporting ainda vai a Braga, o Moreirense ainda vai ao Nacional, o Estoril ainda joga com os dois últimos… Ou seja, se cada jogo a valer três pontos traz uma carga emocional, os jogos que valem, na diferença possível entre os cenários de derrota ou vitória um total de seis pontos, vão trazer muito mais. Isto vai aquecer ainda mais!

Habitualmente, quer nas antevisões quer após os jogos, ouvimos atletas e treinadores referir palavras-chave como segurança, confiança, serenidade, instabilidade, tranquilidade, entre outras, todas elas possíveis de associar a comportamentos, individuais e coletivos, presentes no treino e no jogo, diretamente ligados ao fator emocional. Os exemplos são vários, basta ver alguns jogos com atenção, escutar devidamente as declarações dos intervenientes, analisar as suas ações e reações. 

Esta constatação leva-me a perguntar: o que estão a fazer os nossos clubes a este nível? Como se preparam os seus dirigentes e técnicos para lidar com estes momentos? E as equipas, como tratam este tema? Faz parte dos microciclos uma atenção especial a esta componente? Individualmente, como é que os jogadores lidam com estas emoções?

Há um conceito que, embora teórico, tem uma grande importância prática no jogo: chama-se Inteligência Emocional. Daniel Goleman, americano, psicólogo, escritor, professor e colunista no The New York Times, desenvolveu em 1995 este conceito num livro com o mesmo nome que veio mudar a conceção de inteligência e abrir novos horizontes na abordagem das emoções e do seu impacto no nosso quotidiano. 

A Inteligência Emocional é, na sua essência, a capacidade de as pessoas dominarem estas quatro competências:

1-      Autoconhecimento - identificarem em diferentes momentos as suas emoções;

2-      Autocontrolo – capacidade de alterar em si mesmo esses estados emocionais;

3-      Empatia - compreender as emoções dos outros sem que estes o verbalizem diretamente;

4-      Gestão das relações – intervir para ajudar os outros a mudarem os seus estados emocionais;

Este conceito tem muito para transmitir ao nosso futebol e aos seus intervenientes. Algumas das conclusões do trabalho desenvolvido nos últimos 20 anos por Daniel Goleman podem ser ensinadas, treinadas e aplicadas, de forma integrada. Contudo, nenhum dirigente ou treinador precisa de ser especialista no tema para poder fazê-lo, muitos já o fazem de forma intuitiva, com base na sua formação e experiência. Acredito é que, com o apoio de especialistas que, em primeiro lugar, preparam os treinadores e respetivas equipas técnicas e, depois, apoiam na preparação das equipas e de alguns atletas em particular, conseguem melhores resultados.

Não se trata com isto de racionalizar todo o processo emocional ou de anular as emoções. Trata-se sim de as compreender. Olhando para o jogo, interpretar e compreender que estímulos e emoções estão presentes e o impacto, positivo e negativo, que têm nos treinadores, nas equipas, nos jogadores. 

A emoção é parte do jogo, sempre presente do balneário à bancada, do relvado até ao sofá. Como diz Daniel Goleman, “sentir as emoções é o que torna a nossa vida rica”. São as emoções que tornam o jogo rico e incomparável.



Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
Historicamente designada como a Prova Rainha, a Taça de Portugal teve este fim-de-semana mais uma fulgurante eliminatória, agora já com as equipas da Primeira Liga a entrarem ...
16-10-2017 15:41E1
Nos vários setores, do desporto ao trabalho, da arte à ciência, acredito nesta máxima: não ignorar sintomas quando se ganha; não pôr tudo ...
04-10-2017 15:42
Não, este artigo não é sobre aqueles que carregam nas costas o fardo de todas as semanas serem apelidados de ladrões, muito menos com uma particularização ...
12-09-2017 13:42E2
Opinião
Visão de jogo
Pedro Silva
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
Visão de jogo
Pedro Silva
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
Na Minha Secreta Área
Luís Rocha Rodrigues