Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

BenficaPortugal
PortugalChaves
V. SetúbalPortugal
PortugalUD Oliveirense
TSG HoffenheimAlemanha
AlemanhaBayer Leverkusen
19:45
Duarte Monteiro
2017/03/11 15:31
E0
O "19:45" é um espaço de opinião do jornalista do zerozero Duarte Monteiro. À flor da relva e do coração, com os filtros puros do futebol.

Tiro-lhes o chapéu, a Manuel Machado e a Jorge Jesus - Ironicamente, duas personalidades que nunca esconderam as suas divergências, o que acaba por ser também uma das consequências distintivas de ambos. 

Os dois "personagens" mais impactantes do futebol português (na minha opinião) tiverem esta sexta-feira dois momentos que engrandecem, democratizam, embelezam e melhoram o «produto» em Portugal.

Comecemos por Manuel Machado. O professor cometeu um excesso opinativo na quinta-feira, quando visou Tiquinho Soares e a sua suposta ingratidão em relação ao Nacional da Madeira e à sua pessoa. Uma tirada em falso - e infeliz -, traída por um certo vaidosismo e falta de informação. 

Mas tão célere como foi na crítica, foi-o no retratamento. Ainda antes do Arouca x FC Porto pediu desculpa como deve ser, pessoalmente e olhos nos olhos. Mais tarde, fê-lo aos jornalistas e ao país. Admitiu o erro, assumiu-o abertamente e, com isso, não só colocou um pedra sobre o assunto como deu uma mostra de enorme personalidade e caráter que podiam muito bem alastrar-se a outras paragens.

Agora, Jorge Jesus. Tal como Manuel Machado, mas num tom mais popular e menos académico, tem tendência para o egocentrismo e não raras vezes estica a corda para lá do desejável. Mas se há coisa em que o atual treinador do Sporting dá lições é no à-vontade com que fala de futebol.

Numa era de amarras arcaicas e dispensáveis por parte dos departamentos de comunicação dos clubes, Jorge Jesus diz o que pensa, sem que outros lhe ditem as regras da sua interação com os jornalistas. Na sexta-feira, JJ dissertou sobre a Liga dos Campeões, o futuro dos clubes portugueses e as qualidades dos seus treinadores. Falou e falou bem, proporcionando um momento tão raro hoje em dia: discutiu-se futebol.

No final da intervenção, o assessor de comunicação dos leões pediu aos jornalistas que as perguntas fossem apenas e só sobre o jogo em Tondela. Jorge Jesus olhou para ele e disse: «Ai é? Estamos a falar sobre futebol...», antes de um elucidativo «fo**-**.» Já que os clubes não ouvem (porque não querem) os jornalistas, que ouçam pelo menos os seus treinadores. E sabem quem é que iria ganhar com isso? Os adeptos.



Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
In-sus-ten-tá-vel. “Que não tem condições para se manter ou conservar.” À falta de crédito maior junto daqueles que realmente quero ...
21-12-2017 14:39
Ando há anos a planear uma reportagem que responda a uma pergunta para a qual continuo sem uma resposta esclarecedora: afinal, porque é que somos adeptos de um clube? Talvez nunca chegue a fazer ...
30-05-2017 23:18E6
A pergunta podia ter sido feita, como foi, mas também teríamos passado bem sem ela. «O Benfica pode ser campeão europeu este ano?» Rui Vitória, coitado, ...
09-03-2017 16:28E11
Opinião
O Caldeirão
Rodrigo Correia
Futebol Total
Nelson Diogo Duarte
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
Na Minha Secreta Área
Luís Rocha Rodrigues
Futebol Total
Nelson Diogo Duarte