Playmaker - O futebol em números!

Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
2017/12/31 17:15
E5
"A Preto e Branco” é uma coluna de opinião que procurará reflectir sobre o futebol português em todas as suas vertentes, de uma forma frontal e sem tibiezas nem equívocos, traduzindo o pensamento em liberdade do seu autor sobre todas as questões que se proponha abordar.

O campeonato mundial de futebol a disputar na Rússia será, sem sombra de dúvida, o grande acontecimento desportivo do ano a nível planetário e aquele que maior atenção suscitará de todos os amantes do desporto.

Um mundial de futebol é, por natureza, uma competição cujo fascínio e interesse só pode ser comparável com os Jogos Olímpicos, face à junção num mesmo espaço e numa mesma prova de desportistas de elite impossíveis de encontrar em tão grande número em qualquer outra competição.

Tenho bem presentes na memória todos os mundiais a que assisti (infelizmente apenas via televisão) e não tenho qualquer dúvida que muito do meu gosto pelo futebol vem dessas inolvidáveis competições.

Em 1966, primeiro da minha história enquanto adepto, relembro naturalmente o grande e surpreendente percurso da selecção portuguesa treinada por Otto Glória, liderada em campo por Mário Coluna e que revelou ao mundo um dos maiores futebolistas de todos os tempos chamado Eusébio da Silva Ferreira.

De 1970 recordarei para sempre a fabulosa selecção brasileira treinada por Mário Zagalo e que juntava em campo talentos extraordinários como Pelé, Tostão, Jairzinho, Gerson, Carlos Alberto e Rivelino,entre outros, e que se sagrou com toda a naturalidade campeã mundial, dando a “Rei Pelé” o seu até hoje inatingível terceiro titulo de campeão do mundo.

Em 1974 foi a minha primeira decepção (a de 1966 foi mitigada pela tenra idade e não perceber ainda muito bem que Portugal podia ter sido campeão do mundo), quando a “laranja mecânica” holandesa perdeu a final perante a Alemanha, assim se impedindo que a melhor selecção tivesse ganho o campeonato, consagrando o futebol total que praticava sob a liderança do grande Johan Cruyff.

De 1978 recordo essencialmente que a Holanda, já sem Cruyff, que se recusou a participar, voltou a ser a melhor equipa e voltou a perder a final em casa do adversário, num mundial muito marcado pelas suspeitas em volta de uma “miraculosa” goleada da Argentina sobre o Peru, que lhe permitiu o apuramento para as meias finais.

Em 1982 outra enorme desilusão, quando a selecção do Brasil foi eliminada nos quartos de final perante uma Itália “sádica” e um Paolo Rossi “cínico”, ficando pelo caminho a melhor selecção que me lembro de ver jogar (vá lá, a par da Holanda de 1974), onde pontificavam talentos de excepção como Zico, Sócrates e Falcão.

Quando recordo 1986 recordo Maradona.

E recordo as suas excepcionais jogadas ,os seus grandes golos e, essencialmente, aquele momento supremo da História do futebol em que faz à Inglaterra o mais extraordinário golo jamais visto em mundiais, depois de passar por meia equipa inglesa.

Um Mundial em que uma boa selecção foi campeã graças ao talento extraordinário de um jogador que fez a diferença.

De Itália/1990, um dos mundiais piores jogados de que me lembro, fica a memória de uma Alemanha campeã sem mérito especial e de uma Argentina outra vez levada até à final ao “colo” da genialidade de Maradona e vítima de arbitragens duvidosas nos dois derradeiros jogos.

Em 1994, o Brasil alcançou o tão longamente ansiado tetra, com uma selecção que privilegiava a eficácia em detrimento do espectáculo e que teve na dupla Romário/Bebeto os artífices maiores do sucesso.

Em 1998, jogando em casa ,e com uma selecção cheia de talentos emergentes, a França obteve um titulo que longamente procurava, tendo em Zidane a sua estrela maior, mas bem secundado por outros grandes jogadores como Deschamos, Dasailly, Barthez, Djorkaeef ou Henry.

No primeiro mundial repartido entre dois países - Coreia do Sul e Japão -, recordo a patética prestação da selecção portuguesa ,culminada com a agressão de João Vieira Pinto a um árbitro depois de resultados tão dispares como derrotas com Estados Unidos e Coreia, por um lado, e uma goleada à Polónia, por outro, e o triunfo final de um Brasil treinado por Scolari e em que brilhavam Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho, com o primeiro deles a fazer os dois golos da final e a alcançar um titulo que tanto mereceu.

Em 2006, Portugal fez um grande mundial, com Ronaldo, Figo e Deco como figuras maiores, conseguindo chegar às meias finais depois de vencer o seu grupo (México, Angola e Irão), eliminando no “mata mata” equipas poderosas como a Holanda e a Inglaterra.

Depois, nas meias finais, apareceu a “besta negra” França, e um penálti transformado por Zidane foi o suficiente para nos matar o sonho.

O campeão seria a Itália, derrotando a França com aquela cabeçada de Zidane a Materazzi a ficar como momento insólito do jogo derradeiro que consagraria a “squadra azzurra” e alguns jogadores de imenso talento como Del Piero, Totti e Pirlo entre outros.

No primeiro mundial africano, disputado em 2010, na África do Sul, sorte bem diversa para os dois países ibéricos.

Portugal ficaria pelos oitavos de final, eliminado pela Espanha, enquanto esta selecção se sagraria campeã mundial, consagrando o “tiki taka” do Barcelona importado para a selecção por Vicente Del Bosque e levando à glória jogadores excepcionais como Xavi e Iniesta.

Derrotada pela terceira vez numa final seria a Holanda, que definitivamente não tem sorte em finais.

O Mundial do Brasil, em 2014, não correu nada bem a Portugal, eliminado na fase de grupos. A derrota por 0x4, diante da Alemanha, e o empate perante os E.U.A colocaram Portugal à mercê de um triunfo largo perante o Gana, no derradeiro encontro da fase de grupos. O triunfo por 2x1 recambiou a selecção para casa prematuramente.

Seria um Mundial vencido pela Alemanha, outra vez sobre a Argentina, como em 1990, em que o resultado mais destacado seria a inacreditável e impensável goleada alemã ao...Brasil, por 7-1, no jogo de meias finais mais desnivelado na história de todos os mundiais.

E chegamos à Rússia.

Ao previsivelmente último mundial dos dois maiores génios da última década do futebol- Ronaldo e Messi - e sobre o qual não faltará oportunidade de a ele nos referirmos neste espaço ao longo dos próximos meses.

Para já fica apenas um desejo.

Que consagre como campeão do mundo um desses dois génios.

Preferencialmente, como é óbvio, Cristiano Ronaldo. Se não for possível então que ganhe a Argentina de Leo Messi.

O futebol merece uma consagração dessas!



Comentários (4)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
RS
Luís
2017-12-31 23h41m por Rsoares67
Está já a preparar outro texto a acusar o Fernando Santos de corrupção ativa (compensação financeira para chamar e usar certos jogadores) para lançar na altura da Mundial? Depois desse texto parolo que devia envergonhar quem o escreveu e quem lhe pagou para o fazer, surpreende-me (não não surpreende. . . ) que ainda tenha mantido este part-time porreiro aqui no ZZ.
1919 Azul
2017-12-31 20h13m por ZZTUGA
Estive a testar e essa final é possível dependendo das classificações dos grupos e os cruzamentos na fase a eliminar. Portugal teria de ficar em segundo no seu grupo e a Argentina em primeiro, o que até é bastante provável acontecer

1A Rússia
2B Portugal

1B Espanha
2A Uruguai

1C França
2D Croácia

1D Argentina
2C Dinamarca
Convocados para o Mundial Rússia 2018
2017-12-31 18h40m por GloriosoEncarnado
Não li o artigo, vou partilhar vos os 23 que deverão ir, no meio de algumas duvidas e indecisões que nos podem fazer mudar de ideias até ao dia da convocatória de Fernando Santos.

Guarda-redes: Patríco, Anthony, José Sá/B. Varela
Defesas: Cédric, N. Semedo, Pepe, J. Fonte, B. Alves, R. Dias, Guerreiro e Coentrão.
Médios: William, Danilo, Adrien, Moutinho, J. Mário, A. Gomes, B. Silva e Gelson.
Avançados: Ronaldo, A. Silva, Quaresma e Gonça...ler comentário completo »
Portugal-Argent ina
2017-12-31 17h47m por 1919-AZUL
Não sei se um Portugal-Argentina defrontarem-se na final, é possível por causa dos emparelhamentos dos grupos, mas se é, eu assinava já essa final para o Mundial 2018.

Piada grátis: ora imaginem lá o Eliseu a secar o Messi e o Éder a fazer um hattrick? Enquanto sonhar for tão grátis como estas piadas sem graça. . . ;)

Boa noite de ano novo para todos! :)
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
Do futebol português, em boa verdade, cada vez apetece menos falar! Por um lado, porque vivemos com a sensação de que ele cada vez se joga menos nos relvados e mais noutros ...
13-04-2018 17:09
Com o Mundial a aproximar-se a passos largos, adensa-se a expectativa sobre quem serão os 23 jogadores que integrarão a convocatória de Fernando Santos e assim marcarão ...
04-04-2018 16:17E3
Somos, todos o sabemos, um país de extremos em que as viagens entre o oito e o oitenta se fazem quase à velocidade da luz, bastando para tal que aquilo que temos em ...
28-03-2018 17:42
Opinião
Futebol Total
Nelson Diogo Duarte
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
Futebol Total
Nelson Diogo Duarte
O Caldeirão
Rodrigo Correia