Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

BragaPortugal
AlemanhaTSG Hoffenheim
Desp. AvesPortugal
PortugalFC Porto
Paços FerreiraPortugal
PortugalSporting
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
2017/11/13 13:19
E1
"A Preto e Branco” é uma coluna de opinião que procurará reflectir sobre o futebol português em todas as suas vertentes, de uma forma frontal e sem tibiezas nem equívocos, traduzindo o pensamento em liberdade do seu autor sobre todas as questões que se proponha abordar.

Ao mesmo tempo que a selecção nacional AA prepara a sua participação no Mundial da Rússia, realizando dois jogos particulares também de cariz solidário com as vitimas dos incêndios, o futebol nacional mergulha uma vez mais no lodo das polémicas e das controvérsias sem fim que são a sua infeliz imagem de marca.

Chega a ser chocante como é possível um futebol que tem a sua principal selecção apurada para a décima grande competição consecutiva (Mundiais e Europeus), que tem um dos dois melhores jogadores do mundo de há dez anos a esta parte, que tem grandes jogadores e grandes treinadores espalhados pelos principais campeonatos europeus, consegue na vertente interna ser tão medíocre, tão falho de responsabilidade, tão carente de verdadeiro profissionalismo ao nível directivo, tão falso em termos de verdade desportiva.

Em Portugal, ao contrário do que acontece em quase toda a Europa, os que deviam ser principais interessados na rentabilidade, na imagem e prestígio do futebol - os seus dirigentes - são os primeiros a desprestigiá-lo, a envergonhá-lo e a fazerem-no verdadeiramente terceiro mundista.
Já tínhamos, de há muito, o deprimente espectáculo quase diário dos paineleiros televisivos afectos aos três clubes “donos disto tudo” protagonizarem tristes espectáculos de intolerância, de insensatez, de uma clubite doentia, que na esmagadora maioria dos casos ultrapassa tudo que se possa entender como racional.

Envolvidos nessas furiosas discussões, quase ao nível das lutas de gladiadores na antiga Roma, nem sequer se apercebem do triste serviço que estão a prestar aos seus clubes e ao futebol em geral com essas exibições de fanatismo insensato e, sabe-se agora, comandados por cartilhas enviadas pelos donos desses clubes.

Mas não satisfeitos com isso, com essa pancadaria verbal quase diária, os três clubes, e quem neles manda, resolveram subir o grau de agressividade das questões fazendo entrar em cena uns personagens denominados de “directores de comunicação”, mas que mais parecem os pistoleiros do velho Far West sempre dispostos a atirarem a tudo o que mexe, para através deles redobrarem os ataques aos adversários e com esse “ruído” distraírem os seus adeptos dos próprios insucessos. Andamos há meses a assistir a esse “tiroteio”.

Mas esta semana, talvez porque o campeonato está parado e os adeptos tem mais tempo para olharem as carreiras das suas equipas, para lá do imediatismo do resultado do jogo anterior e dos prognósticos para o jogo seguinte, entraram literalmente em campo aqueles que mais juízo e contenção deviam ter.

Os próprios presidentes dos clubes.

No caso os presidentes do Sporting e do Benfica que (duvidosa) honra lhes seja feita conseguiram ultrapassar paineleiros e “pistoleiros” na contundência, na insensatez, na falta de nível com que se pronunciaram sobre os clubes adversários.
Insultos, insinuações, acusações que nunca serão provadas, provocações sem sentido, perante um país desportivo perplexo com tanta baixeza, tanta malcriadice, tão mau exemplo dado por quem tem a obrigação de ser uma referência positiva perante os milhões de adeptos dos seus clubes.

Creio que as próprias autoridades do Estado, porque das desportivas pouco há a esperar, como é sabido, deviam obrigar a que responsáveis de clubes tivessem outra contenção e outro respeito mútuo quando aparecem a prestarem declarações sobre os seus clubes e respectivos adversários.

Porque ao invés de fazerem pedagogia e serem exemplos éticos perante os seus adeptos surgem como autênticos incendiários de ânimos e fomentadores de conflitualidades que vão muito para lá daquilo que devem ser apenas e só rivalidades desportivas.

Nesse aspecto foi mais uma semana negra para o nosso futebol.

E apetece perguntar até quando este estado de coisas se vai manter.

Porque quem conseguir despir-se de paixões clubísticas e quiser olhar de frente para este grave problema, que já é muito mais que desportivo porque de cidadania, perceberá que estamos muito para lá do que é sensato e admissível e à beira de uma situação descontrolada que ninguém sabe como acabará.

P.S. Também para o “meu” Vitória foi uma semana negra.

Porque perder em casa por 1-4, mesmo na Taça CTT, face ao décimo sétimo classificado da II Liga (U.D. Oliveirense) é um resultado horrível que compromete a passagem à “final four” de Braga e muito pior que isso envergonha todos os vitorianos.

Desfeito o mito insustentável de termos uma das melhores equipas dos últimos anos, e sem entrar em particulares considerações sobre como foram gastos os tais 13 milhões de investimento nesta época, é cada vez mais evidente que também no Vitória há muita coisa que tem de mudar.

E depressa! 



Comentários (1)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Ta
Concordo em quase tudo
2017-11-13 13h49m por Tarik10
Mas não posso deixar de dizer que toda a gente fala no plural como se fosse algo desde sempre quando não é verdade.
Quem começou com o ódio semanal é com a cartilha ( algo também exclusivo do Benfica ) foi numa primeira fase Rui Gomes da Silva e um pouco mais tarde Pedro Guerra aí sim já com toda a " artilharia " apontada aos rivais.
Ora se o Benfica " meteu a carne toda no assador " como é óbvio era uma questão de tempo até os rivais responderem á altura.
Quem abriu a po...ler comentário completo »
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
Amanhã pode ser o início de um processo de mudança no nosso futebol, com a reunião do denominado G-15 no Porto, mas também pode não passar de uma ...
20-11-2017 22:26E7
A propósito da agora anunciada reforma de Andrea Pirlo, um “rei” sem coroa que durante duas décadas encantou o mundo do futebol mas nunca foi coroado com uma “Bola ...
07-11-2017 14:32E4
Periodicamente, já todos o sabemos, o futebol vai introduzindo nas suas regras e regulamentos algumas novidades que visam melhorar a qualidade do espectáculo mas também ...
28-10-2017 15:51
Opinião
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
Na Minha Secreta Área
Luís Rocha Rodrigues
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
Visão de jogo
Pedro Silva
Futebol Total
Nelson Diogo Duarte