Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
2017/09/19 18:42
E3
"O meu mundo aos quadrados” é uma coluna de opinião que pretende fugir ao império comunicacional dos três grandes, sob a perspetiva de um adepto do futebol pela positiva, profissional e transparente, que por acaso é boavisteiro.

Domingo de manhã acordo ávido de curiosidade para consultar as capas dos jornais e ver os mais rasgados elogios à exibição e à proeza do meu clube, que tinha acabado de infligir a primeira derrota no campeonato ao campeão em título.
Pura ilusão minha.
Tanto os jornais desportivos, como os generalistas, como todos os restantes meios de comunicação social não exaltaram qualquer mérito à vitória do Boavista, o Benfica é que perdeu.
Contra quem? Não interessa.

Por incrível que pareça, se alguém lesse ou ouvisse as notícias nos dias seguintes, não percebia contra quem tinha jogado o Benfica.
Em todos os programas desportivos dos principais canais de televisão o diapasão manteve-se, com a honrosa exceção de Miguel Guedes.
Falou-se sobre a crise do Benfica, sobre a aposta no Varela e no Filipe Augusto, sobre a política de contratações do Benfica, mas nunca sobre o Boavista.
Infelizmente, este é o resultado da comunicação social que temos, subserviente e dependente dos interesses destes clubes e que acentua a cada dia que passa os desequilíbrios do futebol português.

À semelhança do Boavista tivemos, esta semana, o Braga que, após uma magnífica vitória na Alemanha, foi completamente esquecido no dia seguinte.
Quem não se recorda da vitória do Moreirense na Taça da Liga e das capas de jornal no dia seguinte?
Os discursos polidos dos diretores de jornais em defesa dos «interesses» do futebol português não passam de autênticas hipocrisias de pessoas que já há muito tempo esqueceram os princípios base do jornalismo.
Contrariando um pouco esta tendência venho aqui exaltar os méritos do Boavista e desta vitória em particular.

O Boavista vinha mergulhado numa profunda crise de resultados (1 vitória e 4 derrotas) e tinha acabado de substituir o seu treinador a apenas dois dias do jogo.
Saiu Miguel Leal, profundamente desgastado nas últimas semanas, e entrou Jorge Simão, afastado dos relvados desde a sua última experiência no Braga.
Miguel Leal fez um belíssimo trabalho no Boavista na época passada e os adeptos reconhecem-no de forma unânime, pelo que será bem-vindo no Bessa pelo profissionalismo e simpatia que sempre demonstrou.

Rei Morto, Rei Posto.
Jorge Simão é, desde 6ª feira, o «melhor treinador do mundo» para todos nós adeptos e contará com o nosso apoio incondicional de ora em diante.

Na sua conferência de imprensa de apresentação – aberta aos adeptos – mostrou ter refletido e aprendido com alguns erros do passado e garantiu que não iria promover alterações para o jogo do dia seguinte.

Sobre o jogo em si, a minha visão é a seguinte:

A primeira parte foi muito fraca. Gilson e Idris parecem ser incompatíveis numa equipa que pretenda ter uma construção de jogo competente. Jorge Simão entendeu isso e substituiu ao intervalo Gilson por David Simão, o que acabou por alterar completamente a forma de jogar do Boavista.
Não só esta substituição acrescentou valor em campo, como os próprios jogadores que estavam sub-rendimento na primeira parte (Idris e Rossi por exemplo) melhoraram consideravelmente na segunda parte.
Isto quer dizer que o treinador foi capaz não só de fazer uma leitura tática correta como de abanar o balneário, promovendo melhorias de desempenho dos jogadores, e isso é algo que já não tínhamos há muito tempo. Esta característica é fundamental num treinador que queira fazer do seu campo uma fortaleza, e Jorge Simão parece tê-la.

Outra coisa que me agradou foi o seu discurso no final, por ter reconhecido o trabalho do treinador antecessor e por ter sido capaz de dizer que a equipa não esteve bem na primeira parte, apesar de termos vencido.
A exigência e a capacidade de superação devem ser apreendidas e assimiladas pelos nossos treinadores e jogadores, porque essas são as principais marcas do ADN Boavista.

Felizes com o resultado, não devemos cair em ilusões.
Há ainda muito trabalho pela frente.



Comentários (3)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Is
Triste comunicação social
2017-09-20 09h23m por Isentoqb
Infelizmente já nos habituaram pelo que vão perdendo cada vez mais audiência, pois julgam que ao refugiar-se nos três do costume está a sua salvação. Aos poucos os clubes vão-se afirmando com cada vez mais adeptos que defendem o emblema da sua região como são os casos do Boavista, do Braga, do Vitória de Guimarães, do Chaves entre outros exemplos. É preciso cada vez mais respeito correndo o risco de alguns orgãos terem dificuldade de futuramente entrar nalguns locais. O grande problema do...ler comentário completo »
st
C-Hawk
2017-09-19 23h16m por stereolab
O Gilson não foi feliz, mas nos melhores momentos até me pareceu estar melhor que o Idris. Fiquei com vontade de o ver novamente, de preferência a fazer rotação com o Idris. Mas em retrospectiva parece-me claro que o treinador esteve bem em tirar o Gilson e manter o Idris em jogo, é mais experiente e melhorou muito na 2ª parte. O que me pareceu claro é que não resultaram bem os dois juntos, o que reforça a minha ideia de que pode ser contraproducente jogarmos com dois médios de características defensivas.

C-
Jornais
2017-09-19 22h56m por C-Hawk
Mais delicioso ainda foi ver alguns jornais a fugir com o rabo à agulha: "falemos de Benfica mas não de futebol, ou seja, renovações de jogadores e resultados de assembleias. "

Muitos parabéns ao Boavista e ao autor deste artigo, concordo com a análise na íntegra. Fica a curiosidade quanto ao Gilson ter estado num dia de tirar duques, se reage negativamente a grandes desafios, ou se lhe foi pedida uma função que lhe seja incompatível.
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
No Domingo o Boavista caiu com estrondo em Vila Verde contra o Vilaverde, uma equipa que milita no Campeonato de Portugal (antigo Campeonato Nacional de Séniores). Não há ...
20-10-2017 20:13E1
O povo catalão saiu à rua este Domingo para exercer o seu direito de voto num referendo que, apesar de não ter qualquer tipo de validade legal, serviu para reforçar a ...
04-10-2017 11:10E10
Hoje tenho que defender a Honra Axadrezada. Passou pelos pingos da chuva mediática – como é habitual - um ataque violento do Benfica a diversos clubes nacionais e ...
13-09-2017 17:48E9
Opinião
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
Visão de jogo
Pedro Silva
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
Visão de jogo
Pedro Silva
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais