Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

BenficaPortugal
InglaterraManchester United
JuventusItália
PortugalSporting
MarseilleFrança
PortugalV. Guimarães
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
2017/03/20 09:58
"A Preto e Branco” é uma coluna de opinião que procurará reflectir sobre o futebol português em todas as suas vertentes, de uma forma frontal e sem tibiezas nem equívocos, traduzindo o pensamento em liberdade do seu autor sobre todas as questões que se proponha abordar.

Portugal é, como se sabe, um país onde o que de mais moderno se faz lá pelo estrangeiro demora a cá chegar e ainda mais a implementar quando se trata de inovações com aplicação local, chamemos-lhe assim.

Por isso, o futebol português, precisamente por ser português, não foge a essa regra e, tal como a Coca-Cola, primeiro estranha e só depois entranha aquilo que é novo.

Foi o caso das equipas B. Que há uns anos atrás apareceram em meia dúzia de clubes mas sem um enquadramento competitivo que as tornasse interessantes e, por isso, foram efémeras e rapidamente extintas em todo o lado exceto, salvo erro, no Marítimo, que manteve sempre a sua equipa B em funcionamento e com resultados compensadores.

Meia dúzia de anos atrás, provavelmente inspirada no exemplo de décadas da existência de equipas B noutros países, nomeadamente Espanha, a Liga resolveu abrir aos clubes a possibilidade de terem equipas B, sendo que aquelas que pertencessem a clubes da Primeira Liga começariam o seu percurso no escalão imediatamente abaixo e no âmbito das competições profissionais.

Foi assim que Vitória, Sporting, Braga, FC Porto e Benfica criaram as suas equipas B, que vieram juntar-se ao resistente Marítimo B, e que, em 2012/2013, essas seis equipas disputaram pela primeira vez a Segunda Liga.

Hoje, resistem nela apenas cinco porque os madeirenses desceram ao terceiro escalão (o Vitória B também já desceu, precisamente na época inaugural, mas voltou a subir no ano seguinte) e mais nenhum clube da Primeira Liga apostou em equipas B embora, curiosamente, existam na Segunda Liga clubes que têm equipas B a disputarem competições não profissionais como é o caso do Varzim e do Aves, entre outros.

Creio que as equipas B são hoje uma realidade consolidada e qualquer um dos cinco clubes de primeiro escalão que tem equipa B já dela tirou evidentes proveitos desportivos com a maturação de jovens talentos que depois viriam a ganhar as respetivas “esporas de cavaleiro” ao serviço das equipas A dos seus clubes.
Exemplos? Paulo Oliveira no Vitória, Renato Sanches no Benfica, Gelson Martins no Sporting, André Silva no FC Porto, são exemplos de jogadores que cumpriram os seus percursos de formação, passaram pelas equipas B dos seus clubes e, depois de se afirmarem nas equipas principais, até chegaram a internacionais A.
Alguns deles até já nem estão nos clubes que os lançaram.

Penso, isso sim, que cinco anos depois do início dessa nova fase do nosso futebol, talvez fosse tempo de reformular algumas das condições em que as equipas B competem, tirando ensinamentos não só destes cinco anos como também adequando a sua realidade à de um futebol que também ele evoluiu.
Dou três exemplos. Penso que as equipas B deviam poder ter em cada ficha de jogo três atletas com mais de 23 anos (atualmente só podem ter um) porque isso não só lhe daria solidez competitiva como também permitiria que as equipas A tirassem outro partido das suas equipas B, nomeadamente para rodarem jogadores menos utilizados.
Devia ser imposto um limite de estrangeiros nas equipas B, muito mais restritivo, de molde a que essas equipas fossem cada vez mais um espaço de afirmação dos jovens talentos portugueses e não, como aqui e ali acontece, um espaço que os empresários de futebol utilizam para exporem os seus “produtos”, alguns dos quais vindos sabe-se lá de onde.
Finalmente, admito que mais polémica esta ideia, as equipas B deviam poder participar na Taça de Portugal e na Taça da Liga. Há objeções, é verdade, mas também teria vantagens e recordo sempre que, em 1979/1980, o Castilla (assim se chamava então a equipa B do Real Madrid) fez um percurso tão brilhante na Taça do Rei que chegou à respetiva final na qual encontrou pela frente o…Real Madrid. A final foi no Santiago Bernabéu (onde havia de ser?) e a equipa principal venceu 6x1.

As equipas B são uma aposta ganha.

Agora, o desafio é dar-lhes condições para poderem ir mais longe, reforçando a sua competitividade e permitindo que os jogadores que as integram possam ter desafios ainda mais competitivos.

Estou certo que valerá a pena.

 

P.S.: A equipa B do Vitória tem inegável sucesso desportivo. Por lá passaram jogadores como Paulo Oliveira, Ricardo Pereira, Tiago Rodrigues, João Pedro, Bernard e Hernâni, já transferidos (embora estes dois últimos tenham regressado como emprestados), e titulares da atual equipa A como Josué, Miguel Silva ou Konan.
A equipa B do Vitória é, de longe, a que tem melhores médias de assistência de todas as equipas B, teve épocas em que foi a que teve mais assistentes na Segunda Liga e esta época, mesmo com vicissitudes de que falarei, está nas vinte primeiras equipas das competições profissionais em número de espectadores.

Acontece que o Vitória só tem um estádio para duas equipas.

Por isso, a Liga (e a Sport TV) deviam ter essa realidade em atenção quando calendarizam jogos da equipa A e terem mais respeito pelo clube.
O Vitória jogou ontem à noite (domingo) com o Rio Ave e, por isso, a equipa B, que recebe o Cova da Piedade, vai ter de jogar hoje, segunda-feira, às 15h00, uma hora completamente imprópria para uma competição profissional.
Já não é a primeira vez que tal acontece e isso prejudica, como está bom de ver, as suas médias de assistências.
Custaria alguma coisa a equipa A ter jogado no sábado à tarde para que a B pudesse jogar no domingo? Creio que todos estaremos de acordo que não!



Comentários (14)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
BS
Muito bem
2017-03-20 19h41m por BSimoes
Sim sr. este homem é um verdadeiro adepto do futebol. Tenho uma ideia para si: acabar com todas as equipas que compõem a pirâmide do futebol e deixar apenas 3, nas quais dividiam-se em equipa A, B, C. . Z. E mais terminava-se com todas as cidades, vilas e aldeias do país, ficando só Lisboa e Porto. o que me Diz seu onagro?
fa
?
2017-03-20 14h21m por famaaa
Isto tudo foi só por causa da equipa B do Guimarães jogar à segunda? É que não percebi nada. .
A culpa não é da liga, o Guimarães é que tem de fazer essa gestão ( que acho que a faz muito bem ), se não pode desiste da equipa b.
Rs
koln
2017-03-20 14h12m por Rsoares67
NÃO.

Os jogadores evoluem a fazer jogos competitivos na segunda liga, e não a competirem entre si numa liga amigável só de equipas B, ou ligas mais fracas como o CPP (onde só devem estar se descerem).

É preciso garantir que as equipas B não são acrescentam competição desleal às equipas ditas normais, e para isso é preciso limitar o uso de jogadores da A.

Tirar as equipas B da segunda liga é MATAR um projeto que tem sido um claro caso de sucesso.
rb
equipas B
2017-03-20 14h01m por rbr
Artigo com algumas ideias interessantes, mas com uma altamente discutível.
Em nenhum momento, deve ser alterada a norma do número de elementos com mais de 23 anos a puder ser utilizada, ou os clubes utilizarão a equipa b para rodar muitos elementos pouco utilizados na equipa principal. Em certas situações pode acontecer que a maior parte da equipa utilizada não seja sequer da equipa b. Por exemplo, este ano no aporting, tem sido utilizados vários elementos na equipa b, que origin...ler comentário completo »
A_
luso08
2017-03-20 13h09m por A_verdade_pura
luso não concordo consigo - equipas que tenham um bom scouting e uma boa estrutura de formação, mesmo sem serem grandes (Braga, Vitória, Maritimo, Boavista e Belenenses) - de momento não vejo mais ninguém - conseguiriam perfeitamente ter uma equipa B na II Liga, com mais ou menos dificuldade, e com sustentabilidade. . . a equipa B pode ser apetrechada com diversos juniores do ano anterior e dos 2/3 anteriores que andem por ai + juniores desse ano + jovens -23 da principal sem espaço + jov...ler comentário completo »
ko
equipas B
2017-03-20 13h04m por koln
As equipas B´s disvirtuam completamente toda a verdade desportiva na segunda liga, isto porque se não podem subir aposto com quem quer que seja como só descem se quiserem e os três grandes então aposto o que quiserem como nunca descem, já pensaram o que é que a Sportv is dar aos sabados e domingos de manhã?
Por estes e outros motivos, cozinhados, favores etc havia duas hipoteses, ou um campeonato de sub 23 como existe em Inglaterra ou então não saíriam do CPP.
A_
Opinião equipas B
2017-03-20 13h00m por A_verdade_pura
vou ser sincero: não gostei nada deste artigo - primeiro, falta muita base factual para falar deste assunto - alguém que devesse falar do assunto deveria saber, sem duvidas e "salvo erros" (se fosse um dos 3 estarolas se calhar não se esquecia e fazia questão que os louros fossem para quem de direito), que foi o marítimo, rival do meu CD Nacional que manteve a aposta e foi isso que mais inspirou o regresso das equipas B em tempo de crise (foi dito por algumas pessoas ligadas à criação do pro...ler comentário completo »
dr
Opinião
2017-03-20 12h39m por dragaoazul_18
A parte da participação nas Taças sou completamente contra. Depois se houve-se jogos entre a equipa A e B seria um jogo de pais contra filhos. Seria totalmente despropositado . Quanto a limitação de estrangeiros, sou completamente a favor. As equipas B foram criadas principalmente para proteger o jovem jogador Português e isso seria uma medida que já deveria ter sido tomada.

Quanto a utilização de jogadores a mais de 23 anos, a limitação de 2 seria mais que suficiente e iss...ler comentário completo »
Rs
luso08
2017-03-20 12h25m por Rsoares67
Isso que disseste sobre o Miguel Rosa não é verdade. Ele jogou uma época pelo Benfica B, tendo feito 41 jogos e marcado 17 golos. Nessa época já tinha 24 anos, já não era um jovem acabado de sair dos júniores, e tinha qualidade de primeira liga e não de segunda.

Devias ter desconfiado disso assim que o escreveste, um jogador ter 41 golos na segunda liga é completamente surreal. Os melhores marcadores da segunda liga costumam ter cerca de metade desse número de golos.
lu
Equipas B
2017-03-20 12h05m por luso08
Não existem mais porque a Liga não quis abrir mais que seis vagas, porque na altura também o Nacional demonstrou interesse em criar uma equipa mas não teve vaga.

Actualmente penso que apenas os clubes grandes terão porte financeiro para manter uma equipa B na Segunda, os restantes clubes a nível nacional que tenham boas camadas de formação, como é o caso do Varzim apenas podem mantém as equipas B nos distritais, nalguns caso até contra a vontades dos outros clubes, como acon...ler comentário completo »
Rs
Algumas notas
2017-03-20 12h02m por Rsoares67
Em relação à ideia que as equipas B deviam ser autorizadas a utilizar mais jogadores com mais de 23 anos de forma às equipas A poderem rodar jogadores, a minha opinião sobre é muito simples: nem pensar!

As equipas B's têm que ser viveiros de jovens jogadores, e isso deve ser a absoluta prioridade. Além disso, quantos jogadores com mais de 23 aceitariam de bom grado rodar numa equipa B? O Depoitre não é jogador de segunda liga. . . o Jardel também não. . . nem o Jefferson, n...ler comentário completo »
Qu
Equipas "B"
2017-03-20 11h54m por Quicanga
Desculpe mas não consegui estar "calado" depois de ler esta sua opinião, que na minha humilde opinião, adepto de um clube que não dos eucaliptos do nosso futebol e adepto da verdade dos nosso campeonatos, é uma tremenda hipocrisia e uma falta de consideração pelos clubes ditos mais pequenos. O futebol português não é só a 1ª Liga, nomeadamente os 3 ditos grandes. . . .
As equipas "B" são mais uma aberração do nosso futebol, desvirtuam o campeonato da 2ª Liga, como é possível qu...ler comentário completo »
el
Melhor exemplo de gestãoé o Vitoria SC
2017-03-20 11h42m por eloycorreia
Na minha opinião, os plantéis da equipa B deveriam ter no máximo 10-12 jogadores. O plantel seria completado por jogadores não convocados pela equipa A e por jogadores do plantel junior.
am
Sr. Luís Cirilo
2017-03-20 11h31m por amo-te-vitoria
Com vitoriano que também sou, discordo completamente da sua opinião. Para mim o Vitória SC é o principal responsável por esta situação.
Desde a criação a equipa B, que o Vitória Sport Clube já deveria ter tratado do necessário (obras), para jogar no campo 3 da Academia.
Não tem qualquer lógica sobrecarregar o relvado do Estádio D. Afonso Henriques, que todos sabemos é já de si frágil.

Rumo ao 4º lugar !
Rumo ao Jamor !
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
A Taça de Portugal é, todos os sabemos, uma prova diferente que, tendo um sortilégio muito próprio (o chamado “espírito” de Taça) a torna ...
16-10-2017 00:05
Sendo claro que desde que me conheço o meu clube é o Vitória, como é natural sendo nado e criado em Guimarães, nunca padeci desse mal tão português ...
09-10-2017 11:33E15
Hoje, domingo, é um dia muito importante para o futuro de todos nós porque nos trezentos e oito concelhos deste país vão ser escolhidos os autarcas que os ...
01-10-2017 19:24E3
Opinião
Visão de jogo
Pedro Silva
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
Visão de jogo
Pedro Silva
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
Na Minha Secreta Área
Luís Rocha Rodrigues