Pormenor Profundo
Leandro Monteiro
2019/02/10 10:26
E0
Nesta coluna um treinador e analista de futebol pretende alcançar os pormenores mais profundos, vislumbrando o despercebido, dando mote sobre uma visão mais alargada da modalidade, promovendo a arte do futebol.

A equipa técnica comandada por Francisco Chaló, com a coadjuvação de André Mota e Miguel França, tem tido um impacto incrível na Argélia, equipa do Norte de África com claros predicados europeus. A ideia assenta em princípios basilares indispensáveis ao cunho do experiente técnico português.

Façamos um preâmbulo para nos contextualizarmos de quem é o Paradou AC. Fundado em 1994 por membros da equipa Hydra AC, situa-se em Argel (a capital) e deve ser das raras equipas no mundo que, simplesmente, não tem adeptos (pela recente fundação e localização). Outro dado curioso é que não têm estádio, assim jogam na casa de um rival, o USM Argel. É política da equipa ser um clube formador, não contratando nenhum jogador, explorando exclusivamente a sua cantera e, por isso, não se espanta que a média de idades seja de inusitados 21 anos.

Apesar da constatação de alguns múltiplos handicaps, têm o mérito de:

- Estar no 3ª lugar da classificação atual e a 4 pontos do 2º classificado (o objetivo é a manutenção);

- 2ª melhor ataque (apenas perdendo para o líder do campeonato);

- Estão nos quartos-de-final da taça da Argélia (prova ainda a decorrer);

- O seu jogador Hichem Boudaoui foi eleito o melhor jovem jogador da primeira liga na última edição da bola de ouro da Argélia;

- O melhor marcador do campeonato é o colega Zarakia Naidji (sem nenhum golo de penalti);

- Venderam Farid El Mellali ao Angers (Primeira Divisão Francesa).

Mas, para além dos referidos Boudaoiu e Naidji, deve considerar-se o potencial de Adam Zorgane, um médio com características mais ofensivas dotado de uma visão de jogo acima da média e o lateral Haithem Loucif, que cria desequilíbrio aos adversários face à sua enorme intensidade e qualidade.

A equipa de Chaló pratica um jogo em X, alternando movimentos curtos com longos, combinações diretas com indiretas. Ofensivamente, ocupa todos os corredores de jogo, organizando transições ofensivas mortíferas (com envolvimento de muitos elementos) e defende baseado em triângulos organizacionais para reduzir o tempo e espaço aos adversários, como podemos conferir no vídeo abaixo.

Não dissociando a parte cultural ao desenvolvimento do jogo, têm contextualizado os recursos para operacionalizar sucessos.



Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
EAinda não foram registados comentários...
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
Novo derby num contexto ímpar, uma eliminatória e a duas mãos, o que obriga a reajustes de planeamento, é imperativo não se pensar só em 90 minutos, mas, ...
07-02-2019 09:50E2
Um Sporting versus Benfica é sempre um inquietante desafio com desfecho múltiplo e cheio de imprevisibilidade. Este jogo do campeonato foi marcado pela associação ...
04-02-2019 20:56
Haris Seferovic atravessa uma das fases de maior sucesso. Mas a nossa comparação vai para o mesmo número de jogos efetuados quer no passado, quer há 2 anos. Em 29 jogos ...
30-01-2019 15:36E2
Opinião
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
Da Bombonera, com amor
Luís Mateus
Sempre (In)festa
Filipe Dias
Joga Bonito
Laurindo Filho
Vénia ao 3º Anel
Filipe Inglês
Azul e Branco
Carlos Teixeira