Playmaker - Estatísticas e curiosidades no momento certo

Error message here!

Error message here!

Esqueceu-se password?

Perdeu a password? Introduza o seu endereço de email. Irá receber um link para criar uma nova password.

Error message here!

Voltar ao login

JuventusItália
ItáliaBologna
ChavesPortugal
PortugalBenfica
FC PortoPortugal
PortugalTondela
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
2018/09/14 14:41
E3
"A Preto e Branco” é uma coluna de opinião que procurará reflectir sobre o futebol português em todas as suas vertentes, de uma forma frontal e sem tibiezas nem equívocos, traduzindo o pensamento em liberdade do seu autor sobre todas as questões que se proponha abordar.

Passado o período estival e feito um compasso de espera a ver no que paravam as modas da nova época desportiva, e especialmente no que ao futebol concerne, é tempo de voltar às crónicas que há muito tempo o Luís Rocha Rodrigues me deu a honra de convidar a fazer para o zerozero.

E por isso hoje abordarei quatro temas diferentes e de plena actualidade.

O primeiro tem a ver com aquilo a que se pode chamar “época nova e pecados velhos”.

Refiro-me naturalmente ao futebol que em toda a Europa, sem qualquer dúvida e de bem longe, mais polémicas envolve, ao ponto de elas serem quase uma obrigatoriedade (fomentada, é certo, por alguns jornais e televisões porque polémicas....vendem), sem a qual o nosso futebol não seria o que é!

Ao fim da primeira jornada, já se discutiam árbitros e arbitragens, nomeações e erros do VAR, sempre com os clubes do costume, especialmente Benfica e Porto, porque o Sporting andava entretido com os seus próprios problemas, a contribuírem para o desprestigio e descredibilização de um futebol que já anda muito por baixo nessas matérias.

É absolutamente impressionante como os dirigentes desses clubes não percebem o mal que andam a fazer ao nosso futebol com essas polémicas, essa conflitualidade permanente, essa constante troca de acusações que apenas os colocam num ridículo de que infelizmente nem se apercebem.

O segundo tem muito a ver com o primeiro e versa a questão das polémicas em volta dos famigerados e-mails divulgados pelo Porto e pertencentes ao Benfica.

É uma questão que seria simples noutro país, mas ameaça arrastar-se sem fim à vista no país das polémicas, ao sabor de investigações que parecem não ter fim e de um empurrar de culpas entre as partes envolvidas.

A questão é simples.

Houve um hacker que roubou ao Benfica correio privado?

Puna-se conforme as leis.

Houve quem pagasse ao ladrão para obter os documentos?

Puna-se conforme as leis.

Esses mails revelam a prática de crimes diversos pelo seu proprietário?

Puna-se conforme as leis e neste caso também as leis desportivas.

Não vejo onde está a dificuldade!

O terceiro ponto tem a ver com a selecção nacional, que depois de um Mundial algo amargo, e em que ficou a sensação de que podíamos ter ido bem mais longe, regressou à competição participando na novel Liga das Nações, que é uma invenção da UEFA para as federações (e ela própria naturalmente) ganharem mais dinheiro à custa dos clubes, que são quem paga aos jogadores e que os veem sujeitos a um desgaste cada vez maior época após época.

Com Ronaldo de férias em termos de selecção, foi oportunidade de Fernando Santos convocar muita gente nova para os jogos com a Croácia e com a Itália, o primeiro particular e o segundo oficial, devendo dizer-se que a resposta dos convocados foi positiva, porque, depois de um jogo “entretido” (como diria o grande Quinito) com a Croácia, fizeram uma boa exibição face aos italianos, conquistando justa vitória e deixando no ar a estranha impressão de que Portugal é mais forte com Ronaldo mas joga melhor sem ele!

Os próximos jogos, se Ronaldo continuar de “licença sabática”, confirmarão essa impressão ou não.

Ainda em relação à selecção, de salientar, a par das justas chamadas de Cláudio Ramos, Rony Lopes, Bruma e Pizzi, a facilidade com que jogadores do Benfica vão à selecção depois de três ou quatro bons jogos pelo clube, como foi o caso de Gedson Fernandes.

Recordo-me que, em tempos, no último ano de André André no Vitória, antes de se transferir para o Porto, estava ele a fazer uma época extraordinária, onde já levava uma dúzia de golos marcados mais algumas assistências, perguntaram a Fernando Santos porque razão nem para um jogo particular era convocado.

A resposta é para mim inesquecível e o angustiado “E quem tiro?” diz tudo sobre quem de facto tem influência nos bastidores.

Resta dizer que, no final dessa época, André foi transferido para o Porto e de imediato convocado para um jogo particular da selecção e que o seleccionador nunca teve essas angústias quanto ao referido Gedson e a outros jogadores como Renato Sanches, que há sete meses não fazia um jogo oficial mas foi chamado.

O quarto ponto tem a ver com as curiosas escolhas de UEFA e FIFA quanto a melhores jogadores.

No Mundial, a FIFA escolheu Modric como melhor jogador, o que, não sendo injusto, porque de facto fez uma boa prova, foi escolha que podia ter recaído sem qualquer problema em mais três ou quatro jogadores, no mínimo.

Agora foi a UEFA a considerar o mesmo Modric como melhor jogador da Europa na última época, o que não pode deixar de ser considerado como uma decisão bizarra, pese embora a aparente democraticidade do colégio eleitoral, porque, tendo o croata feito uma boa época, houve quem tivesse feito bem melhor, nomeadamente no próprio Real Madrid.

Com Cristiano Ronaldo à cabeça.

A dias de sabermos quem a FIFA vai considerar o melhor do mundo (e depois mais para diante veremos quem será o “Bola de Ouro”), resta a curiosidade de ver se a “moda” Modric se mantém ou se de facto a escolha vai premiar quem foi mesmo o melhor do mundo em 2017/2018.

Porque, se a escolha voltar a ser Modric, teremos de nos lembrar irresistivelmente daquilo a que os espanhóis chamam a “mão negra” e que é a explicação para fenómenos aparentemente inexplicáveis e de que se suspeita que tenham sido manipulados de forma oculta.

Só que, neste caso Modric, parece cada vez mais que a mão não é negra mas sim...”blanca”.



Comentários (3)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
MA
JAOF
2018-09-14 20h07m por Malainpn
Eu não escrevi que era impossível. Alias, todos os 3 pontos são possíveis.
É possível apanhar o hacker, se ele não tiver saído da UE e houver cooperação (que não houve até agora).
É possível seguir o rasto do dinheiro e descobrir quem pagou/recebeu.
É possível recuperar os emails (não tenho certeza que são legais de constituir prova, pelo menos os que foram divulgados publicamente).
É possível. . . mas não é "simples" e existem "dificuldades", ao contrário d...ler comentário completo »
Malainpn
2018-09-14 17h16m por JAOF
«já não existem nos servidores do Benfica»

Ok. . . mas existem, foram mandados por e-mail para outras pessoas. . . e tudo isso fica guardado em enormes campos com super-computadores durante alguns anos, por acaso um dos locais é mesmo em Portugal.

Querendo, é possível ter acesso a essa informação e recuperar os e-mails. . . mas lá está, QUERENDO. . .
MA
Não é tão "simples"
2018-09-14 15h27m por Malainpn
Ponto prévio: não sou benfiquista. Tenho pena que, para ter uma conversa decente, tenha que o admitir.

"Houve um hacker que roubou ao Benfica correio privado?
Puna-se conforme as leis. "

Não é bem assim. . . ele não está em Portugal, a justiça Romena não responde aos (3) pedidos da justiça portuguesa e parece que, até ver, o hacker está livre de qualquer punição.

"Houve quem pagasse ao ladrão para obter os documentos?
Puna-se co...ler comentário completo »
OPINIÕES DO MESMO AUTOR
O meu clube é o Vitória. Mais propriamente o Vitória Sport Clube, nascido e sediado em Guimarães, que é hoje um dos mais históricos, tradicionais e ...
21-07-2018 19:35E8
Este Mundial da Rússia já era estranho antes de ter começado por razões que vão desde a escolha das cidades que sediaram jogos, demasiado concentradas num ...
07-07-2018 15:17E8
E o Mundial está em pleno curso, prendendo a atenção de muitos milhões de pessoas em todo o planeta, confirmando ser o maior espectáculo desportivo à ...
25-06-2018 10:26
Opinião
Visão de jogo
Pedro Silva
A preto e branco
Luís Cirilo Carvalho
O meu mundo aos quadrados
José Pedro Pais
Azul do céu como o futuro
Sebastião Barata
Azul do céu como o futuro
Sebastião Barata
Visão de jogo
Pedro Silva